Airbus dá início a construção de fábrica para o A220 nos EUA

Linha de montagem ficará adjacente às instalações inauguradas em 2015 para produzir a família A320 em Mobile, no Alabama
Airbus A220-300, antigo C Series: produção nos EUA
Airbus A220-300, antigo C Series: produção nos EUA

A Airbus reuniu uma multidão na semana passada entre funcionários, fornecedores, executivo e jornalistas para lançar oficialmente o início de construção da sua nova linha de montagem para o jato A220 numa cerimônia em Mobile, Alabama, nos Estados Unidos. O local já possui uma linha de montagem para os aviões da família A320 cujo primeiro unidade foi entregue em 2016 para a companhia aérea JetBlue.

A nova linha de montagem deverá ficar completa apenas em 2020, porém, o início da produção está marcado para o terceiro trimestre de 2019. O objetivo da Airbus é complementar a produção do A220 que hoje é realizada em Mirabel, no Canadá, nas instalações da Bombardier, sócia do fabricante europeu. Lá as duas fabricantes já preparam a fábrica para atingir um volume mensal de 10 aeronaves montadas, já nos EUA serão quatro aviões por mês, totalizando uma produção conjunta de 14 aeronaves.

Com a nova linha de montagem, a Airbus pretende diminuir a resistência do governo norte-americana a seus produtos ao atender seus clientes nos EUA. A Delta Airlines, por exemplo, tem uma das maiores encomendas do novo birreator e que foi fruto de um protesto da Boeing na Justiça do país. A rival alegava que a Bombardier havia recebido enormes subsídios para produzir seu avião e com isso o ofereceu a preços mais camaradas que os do Boeing 737 MAX 7, mas o recurso foi negado.

Apesar de sua principal infraestrutura de produção esteja concentrada na Europa (Toulouse, na França, e Hamburgo, na Alemanha), a Airbus sabiamente espalhou várias unidades pelo mundo inclusive nos EUA.

Além da fábrica no Alabama, a fabricante europeia possui centros de engenharia no Kansas e Alabama; uma unidade de treinamento na Flórida (e em breve também no Colorado), um departamente de suporte de materiais além da sede administrativa na Virginia, uma startup na Califórnia; uma divisão de análise de dados de drones (Airbus Aerial) em Atlanta, na Georgia; fábricas de helicópteros no Texas e no Mississippi, e uma linha de montagem de satélites (OneWeb) também na Flórida.

Veja também: Airbus A220 recebe autorização para voos transoceânicos

Total
0
Shares
Previous Post
O Sling 2 decola com peso máximo de apejas 600 kg (Divulgação)

Estado do Espírito Santo ganha primeira fábrica de aviões

Next Post
(Divulgação)

Boeing 747 será atração de parque submerso no Bahrein

Related Posts