A Emirates vai receber 30 jatos Boeing 787-9 entre 2023 e 2028; pedido é avaliado em US$ 8,8 bilhões (Boeing)

Depois de confirmar uma encomenda de 50 aeronaves Airbus A350-900, a companhia Emirates Airlines anunciou nessa quarta-feira (20) no Dubai Airshow um acordo com a Boeing para receber 30 jatos 787-9 entre 2023 e 2028. O contrato é avaliado em US$ 8,8 bilhões.

Com os novos pedidos confirmados, a Emirates precisou revisar suas negociações com a Boeing. Há dois anos, a companhia havia assinado um acordo provisório para adquirir o 787-10, maior modelo da família Dreamliner e concorrente direto do A350-900. Para não ter dois aviões semelhantes na frota, a empresa optou pelo 787-9, que pode ser configurado com 296 assentos em duas classes.

A Emirates também converteu parte de seus pedidos do 777X pelo 787-9. Como resultado, a empresa reduziu a encomenda de 150 para 126 unidades do novo 777. Apesar da mudança no acordo, a companhia de Dubai continua sendo o maior cliente da aeronave. As primeiras entregas estão previstas para 2021.

“Tenho o prazer de anunciar um pedido firme para 30 Boeing Dreamliners. Esse é um investimento importante e uma adição à nossa futura frota e representa os esforços contínuos da Emirates para fornecer os melhores serviços de transporte aéreo de qualidade aos nossos clientes. Também temos o prazer de reafirmar nosso compromisso com o programa Boeing 777X e aguardamos ansiosamente sua entrada em serviço”, afirmou o xeque Ahmed bin Saeed Al Maktoum, presidente e diretor executivo da Emirates.

As encomendas de 80 jatos avançados de fuselagem larga mostram que até a Emirates está buscando a versatilidade e eficiência de aeronaves menores que os “gigantes” Airbus A380 e o Boeing 777, hoje os únicos aparelhos na frota da empresa. Com os novos aviões, a empresa vai poder atuar em rotas que atualmente não são viáveis devido a menor demanda e oferecer mais frequências diárias em destinos mais movimentados.

“Estamos empolgados em finalizar esse importante pedido de uma das principais companhias aéreas do mundo. Nosso acordo solidifica o plano da Emirates de operar o 787 Dreamliner e o 777X, que constituem a combinação de pessoa larga mais eficiente e capaz do setor ”, disse o presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes, Stan Deal.

Veja mais: Primeiro Airbus A380 é desmontado na França