Após incidente com United Airlines, 128 jatos Boeing 777 são aterrados

Voo UA328 sofreu uma falha no motor ao decolar de Denver, lançando debris por uma grande região
O motor direito do 777 da United (Reprodução)

Um incidente assustador no sábado, 20, com um jato Boeing 777-200 da United Airlines, cujo motor direito perdeu partes da carenagem após a decolagem, motivou companhias aéreas que operam o modelo a aterrarem suas aeronaves no fim de semana. Em nota, a Boeing recomendou a suspensão das operações de 128 jatos, 69 dos quais estavam ativos.

O voo UA328 havia acabado de decolado da cidade de Denver com destino a Honolulu quando o motor direito sofreu uma grave pane, se incendiando e passando a vibrar. Apesar da imagem impressionante, a tripulação conseguiu realizar um pouso de emergência em segurança. Nenhum dos 241 ocupantes ou pessoas no solo se feriu.

Todas as aeronaves aterradas são equipadas com o turbofan PW4000, fabricado pela Pratt & Whitney. A aeronave da United, prefixo N772UA, é uma das mais antigos do modelo, tendo sido entregue em setembro de 1995.

Em dezembro, outro 777-200, neste caso da Japan Air Lines, sofreu um incidente semelhante, o que motivou a autoridade de aviação civil japonesa a proibir voos com o jato da Boeing antes mesmo do posicionamento da FAA, a agência federal de aviação civil dos EUA.

“A Boeing está monitorando ativamente eventos recentes relacionados ao voo 328 da United Airlines. Enquanto a investigação do NTSB está em andamento, recomendamos suspender as operações dos 69 777 em serviço e 59 estocados e que usam motores Pratt & Whitney 4000-112 até que a FAA identifique o protocolo de inspeção apropriado”, afirmou a fabricante neste domingo.

A Boeing também comentou que “apóia a decisão ontem do Japan Civil Aviation Bureau, e a ação hoje da FAA de suspender as operações de aeronaves 777 com motores Pratt & Whitney 4000-112. Estamos trabalhando com esses reguladores enquanto estes aviões estão no solo e novas inspeções são conduzidas pela Pratt & Whitney”.

Motor antigo

As aeronaves envolvidas no aterramento estão entre as mais antigas fabricadas. Com mais de 1.650 unidades entregues em 26 anos, o 777 pode ser equipado com três tipos de motores, o GE90 (GE), Trent 800 (RR) ou o PW4000, mas o turbofan da Pratt & Whitney é o menos popular deles, tendo sido instalado em 174 aviões produzidos entre 1995 e 2013.

De acordo com o NTSB (National Transportation Safety Board), “o exame inicial do avião indicou que a maior parte dos danos estava associada ao motor número 2. O exame inicial do motor Pratt & Whitney PW4077 revelou que a entrada e a carenagem se separaram do motor, duas pás do fan foram fraturadas, uma pá do fan foi fraturada perto da raiz, uma pá do fan adjacente foi fraturada no meio do vão, uma porção de uma lâmina foi embutida no anel de contenção e o restante das pás do fan exibiram danos nas pontas e bordas de ataque.

A Pratt & Whitney disse que “está trabalhando em coordenação com os operadores e reguladores para apoiar o intervalo de inspeção revisado dos motores Pratt & Whitney PW4000 que equipam aeronaves Boeing 777”.

Atualmente, apenas cinco companhias aéreas possuem jatos 777 com o motor PW4000, a United Airlines, JAL, All Nippon Airways (ANA), Asiana e Korean Air.

O Boeing 777-200 envolvido no incidente: 26 anos em serviço (InSapphoWeTrust)

Veja também: Mais um defeito é encontrado no Boeing 787

Total
27
Shares
Previous Post
Doutor Ozires Silva e uma de suas principais obras, o Embraer Bandeirante (Ricardo Meier)

Fundador da Embraer, Ozires Silva recebe importante condecoração aeronáutica

Next Post
Embraer Praetor 500

Embraer entrega primeiro Praetor 500 para um cliente brasileiro

Related Posts