Argentina ativa esquadrão de demonstração aérea com aviões históricos

Três monomotores B-45 Mentor foram reativados para compor a “Escuadrilla Histórica Mentor”
(Divulgação)
Os B-45 Mentor foram os avião de treinamento básico da FAA por quase 60 anos (Fuerza Aérea Argentina)

A Força Aérea Argentina (FAA) inaugurou no último dia 13 de agosto um novo esquadrão de demonstração aérea, como se fosse uma Esquadrilha da Fumaça local. Porém, o novo grupo de aviação argentino também tem um propósito nostálgico. A “Escuadrilla Histórica Mentor” é composta por antigos monomotores Beechcraft B-45 Mentor, um clássico entre os aviões de treinamento militar.

Os três primeiros B-45 da esquadrilha histórica foram apresentados na base aérea de Córdoba, onde ficarão baseadas. Os aviões são operados pelo Centro de Testes de Voo da Direcção-Geral de Investigação e Desenvolvimento da FAA. Segundo a imprensa argentina, o esquadrão deve ser formado por quatro ou seis aviões revitalizados.

Por quase 60 anos o Mentor foi o avião de treinamento básico da força aérea argentina. As primeiras aeronaves chegaram ao país em 27 de junho de 1957 e os modelos finais foram desativados da escola de cadetes da FAA somente em 2014, substituídos pelo monomotor alemão Grob G 120. Em contrapartida, a escola de aviação naval da marinha argentina continua operando o avião, mas na versão mais potente Turbo Mentor.

Novo mentor do pilotos da FAA: o monomotor alemão Grob G 120 é montado da Argentina (FAdeA)

Versão militar do clássico Bonanza, o B-45/T-34 é uma aeronave de dois lugares, de asa baixa, construída em metal e com cabine em tandem. O avião foi projetado por Walter Beech, o fundador da Beech Aircraft Company, na segunda metade da década de 1940.

Em 1956, a FAA assinou um contrato com a empresa dos EUA para comprar 90 exemplares do Mentor. A maior parte dos aviões foi montada pela Fábrica Militar de Aviones (atual FAdeA) em Córdoba usando componentes importados fornecidos pela Beechcraft. O primeiro T-34 finalizado no país voou em 1959. Agora com o novo esquadrão histórico, o legado da aeronave que formou tantos pilotos argentinos será preservado em grande estilo.

Veja mais: Super Tucano entra no radar de compras militares da Ucrânia

Total
22
Shares
Previous Post

Super Tucano pode treinar pilotos de caças supersônicos na Ucrânia

Next Post

Após disputa legal, empresa russa Volga-Dnepr recebe primeiro Boeing 777F

Related Posts
Total
22
Share