ATR 42 para pistas super curtas está quase pronto, diz fabricante

Turboélice ATR 42-600S é projetado para operar em pistas com apenas 800 metros de comprimento
ATR-42-600S
Novo ATR 42-600S deve estrear no mercado em meados de 2024 (ATR)

A fabricante franco-italiana ATR informou nesta sexta-feira (29) que está próxima de completar a primeira fase de modificações numa aeronave de testes 42-600 para transformá-la na variante 42-600S, de pouso e decolagem curtos (STOL, na sigla em inglês).

De acordo com a empresa, que é controlada pelos grupos Airbus e Leonardo, o modelo em fase de adaptação que servirá de protótipo na etapa inicial de testes terá uma “configuração STOL parcial”. As modificações incorporadas a aeronave incluem o reforços na parte traseira da fuselagem, sistema de frenagem automática e spoilers de solo, além dos computadores de controle desses dispositivos.

François Lannaud, gerente do programa STOL da ATR, diz que a fase inicial de testes de voo da aeronave acontecerá até o fim deste ano. “Eventualmente, vamos parar a aeronave novamente para uma segunda fase de conversão para trazer a aeronave a sua configuração final”, acrescentou o executivo.

A segunda fase de modificações da aeronave incluirá a instalação de um novo e maior leme direcional, componente que ampliará a capacidade de controle do avião em velocidade mais baixas. A certificação do ATR 42-600S na Europa está prevista para o segundo semestre de 2024.

Programa lançado pela fabricante em 2019, o ATR 42-600S é proposto para operar em aeroportos que possuem pistas com apenas 800 metros de comprimento. A capacidade de passageiros do STOL será limitada em 42 ocupantes, enquanto o ATR 42-600 convencional comporta até 50, mas exige pistas com mais de 1.000 metros de extensão para operar com segurança.

A ATR aposta alto na novidade e acredita que o modelo para pistas curtas pode expandir seus negócios em cerca de 25%. A empresa calcula que atualmente existem cerca de 500 aeroportos em todo o mundo com pistas entre 800 e 1.000 metros que podem receber operações do ATR 42-600S.

Um avião com as capacidades do novo ATR abre novas possibilidades na aviação regional. No Brasil, o ATR 42-600S poderia operar nos aeroportos de Guarujá, Ubatuba ou Angra dos Reis, citando apenas alguns exemplos. A fabricante estima que essa fatia do mercado na aviação mundial vai exigir cerca de 800 aeronaves com essas características nos próximos 30 anos.

Total
46
Shares
Previous Post

Rússia busca novo motor para equipar o substituto do AN-2

Next Post

Eve, dos “táxis voadores”, pode valer mais que a própria Embraer

Related Posts
Total
46
Share