Avianca e Delta anunciam fim dos voos para a Venezuela

Instabilidade política e econômica tem reduzido o número de companhias aéreas internacionais no país. Brasileiras já haviam abandonado rotas para Caracas anteriormente
Avianca deixará de voar para Caracas em agosto (Allan Wilson)
Avianca deixará de voar para Caracas em agosto (Allan Wilson)

A frágil situação política e econômica da Venezuela tem causado uma debandada de companhias aéreas internacionais que voavam para o país. Nesta semana, a americana Delta Airlines e o braço colombiano e peruano da Avianca confirmaram que suspenderão seus voos com destino a capital Caracas.

A Avianca anunciou em nota que cessará as duas frequências que opera entre Caracas e as cidades de Bogotá e Lima, no Peru a partir do dia 16 de agosto. A razão alegada pela empresa foi falta de garantia em relação à segurança das operações, além da crise “sócio-econômica” por que passa o país.

“Depois de mais de 60 anos de serviço contínuo na Venezuela, a Avianca lamenta tomar esta decisão difícil, mas nossa obrigação é garantir a segurança das operações. Temos intenção de retomar os vôos assim que pudermos contar com as condições necessárias para isso”, declarou a empresa em seu site na internet.

No caso da Delta, a informação consta em sua programação, que prevê a última decolagem de Caracas no dia 17 de setembro – a companhia opera um voo para seu hub em Atlanta.

A Delta Airlines é uma das maiores companhias dos EUA e do mundo (Delta)
A Delta Airlines voará entre Atlanta e a Venezuela até 17 de setembro (Delta)

Sem voos desde 2016

A lista de companhias aéreas que deixaram de voar para a Venezuela é extensa. Entre elas estão a Air Canada, cujo último voo ocorreu em março de 2014, Alitalia (abril de 2015), Lufthansa e Aeroméxico (junho de 2016) e United Airlines, em junho deste ano.

As brasileiras LATAM e Gol também suspenderam suas operações no ano passado. O braço brasileiro da LATAM realizou o último voo semanal entre São Paulo e Caracas em 28 de maio de 2016. Já a Gol decidiu encerrar temporariamente sua frequência para o país em setembro passado após ter mais de R$ 400 milhões bloqueados na Venezuela por conta de um impasse a respeito do pagamento de combustíveis.

Ainda operam voos regulares para o país sul-americano empresas como a TAP, Air France, Iberia, Air Europa, Turkish e companhias da continente como Aerolíneas Argentinas, Copa Airlines, TAME e Cubana de Aviación.

Veja também: As famosas companhias aéreas do passado

As operações extras da Gol para o evento serão realizadas de 13 a 25 de setembro (GOL)
A Gol decidiu suspender os voos entre São Paulo e Caracas em setembro do ano passado (Gol)

Total
0
Shares
Previous Post

Força Aérea dos Estados Unidos prepara arma hipersônica de ataque

Next Post

Delta, Air France-KLM e Virgin Atlantic lançam joint-venture

Related Posts