Azul, MAP e Passaredo ficam com slots da Avianca em Congonhas

Empresas terão até 9 de agosto para comprovar atendimento de requisitos operacionais
(Thiago Vinholes)
(Thiago Vinholes)
(Thiago Vinholes)
Gol e LATAM detém atualmente quase 90% dos slots no aeroporto de Congonhas (Thiago Vinholes)

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) finalizou nesta quarta-feira (31) o processo de distribuição provisória dos 41 horários diários de partidas e chegadas (slots) da Avianca Brasil no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP), para as companhias Azul (15 slots), Passaredo (14 slots) e MAP Linhas Aéreas (12 slots).

Segundo a agência, MAP e Passaredo ainda deverão comprovar, junto ao operador aeroportuário e ao órgão de controle do espaço aéreo, o atendimento de requisitos operacionais exigidos para operação no aeroporto. As duas empresas operam com aeronaves turbo-hélice ATR com capacidade para até 70 passageiros.

Em razão das aeronaves de pequeno porte utilizadas pela empresa Two Flex, os 14 slots solicitados foram alocados na pista auxiliar de Congonhas e estão pendentes de confirmação pelo Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA). A companhia voa com monomotores Cessna Caravan com capacidade para nove ocupantes.

Após a aprovação, as empresas poderão iniciar a oferta de voos de acordo com os horários alocados. Caso alguma empresa não seja autorizada a operar, os slots voltarão para o banco e serão distribuídos conforme a Decisão Nº 109, ou seja, até 100% para as empresas que possuem até 54 slots (entrantes) e o restante a ser dividido entre todas as empresas.

Atualmente, 87% dos horários diários disponíveis no aeroporto de Congonhas pertencem às companhias Gol e Latam, que possuem 236 e 234 slots, respectivamente.

Veja mais: Gulf Air pode operar voos domésticos no Brasil

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Eduardo Furim
Carlos Eduardo Furim
2 anos atrás

Com todo respeito, a Gol conseguiu o que queria, através de suas parceiras, que é justamente impedir a Azul de se tornar um concorrente efetivamente naquela praça, e ainda vai vender vôos em sistema de compartilhamento com aquelas empresas parcerias, Passaredo e MAP, tornando ainda maior sua concentração de slots. O consumidor perde.

Iarg Andrade
2 anos atrás

Devido ao alto nível empregado nas operações em Congonhas-SP, é certo que a MAP Linha Aéreas não uilizará nem um ATR da sua frota, um B-737 será incorporado. Logo há uma parceria com a GOL via code share e a terceirização trará suporte e aporte de alguma forma. Com isso o consumidor tende a ganhar redução de tarifa e melhroa no serviço na tríplice ponte aérea. Assim todos esperamos.

Julio Cordeiro
Julio Cordeiro
2 anos atrás

Iarg Andrade, parceria com GOL via code share significa que realmente entraram de laranjas, e que efetivamente entraram na disputa simplesmente para tirar slots da Azul…

Valdemar Aprígio de Oliveira
Valdemar Aprígio de Oliveira
2 anos atrás

Sacanagem pura. Passaredo 14 e Azul 15. Qual a diferença, nenhuma. A Anac continua fazendo pouco caso da Azul.
A Anac ainda informa que no caso de slot devolvido pelas Passaredo e Map,os slots ainda pode voltar uma parte para Golatam? Que é isso. Tinha que voltar para a Azul que só tem 15 enquanto que a Golatam juntas te 470. A Anac pode fazer o favor de rever essa proposta urgentemente. Azul, chega o rei, põe advogado bom nessa questão, que o diopólio vai continuar ainda por muito tempo.

Previous Post

Gulf Air pode operar voos domésticas no Brasil

Next Post

Airbus entrega primeiro A320neo na África

Related Posts