OV-10 Bronco

A Boeing está considerando a possibilidade de reabrir a linha de produção do turbohélice de ataque leve e observação OV-10 que teve a última unidade entregue em 1976. A empresa confirma que o OV-10 pode ser oferecido como aeronave de ataque leve ou transporte pequeno de cargas para a Força Aérea Americana.
O mercado internacional também está sendo considerado como aeronave que possibilita voos baixos, capacidade de observação de um helicóptero com alcance de um de asa fixa. A Boeing foi citada recentemente pela USAF como uma potencial fornecedora de uma aeronave de ataque leve que poderia reviver a produção do OV-10.

Embora conhecido por sua capacidade de sobrevivência, o OV-10 continua em serviço de combate em cinco países: pela Colômbia, Indonésia, Filipinas e Venezuela com armamento embarcado equivalente ao helicóptero de ataque Bell AH-1. Alguns destes países e talvez novos clientes poderiam atualizar as aeronaves ou comprar novas células do OV-10.

A USAF não decidiu entretanto se vai criar uma frota de aeronaves de ataque leve conhecido como AO-X. A Guarda Aérea Nacional irá testar o Beechcraft AT-6 Texan II. A USAF também está comprando uma dúzia de AT-6 para fornecer a Força Aérea Iraquiana. Os outros candidatos ao suposto contrato AO-X também incluem o Embraer EMB-314 Super Tucano e o A-67 Dragon.