Conheça as máquinas voadoras de Santos Dumont

Considerado o inventor do avião, apesar de controvérsias, o “Pai da Aviação” iniciou sua carreira aérea com balões
O primeiro voo do 14-Bis aconteceu em 12 de novembro de 1906. O aparelho voou por 220 metros (Fotos - Domínio Público)
O primeiro voo do 14-Bis aconteceu em 12 de novembro de 1906. O aparelho voou por 220 metros (Fotos – Domínio Público)
Santos-Dumont foi o inventor da primeira máquina voadora que decolou por meios próprios
Santos-Dumont foi o inventor da primeira máquina voadora que decolou por meios próprios

Alberto Santos-Dumont pode não ter sido o primeiro homem a voar, mas foi a partir de seu primeiro aeroplano, o famoso “14-Bis”, que a aviação começou a se desenvolver de fato. Antes de seu primeiro voo em Paris, em 12 de novembro de 1096, os irmãos Wright já haviam conseguido fazer decolar o “Wright Flyer I” três anos antes nos Estados Unidos, mas com o auxílio de uma catapulta. O avião de Dumont, em contrapartida, alçou voo com o próprio motor, como acontece até hoje.

No entanto, antes de voar com o 14-Bis, o engenheiro “auto-didata” brasileiro vivendo na França iniciou sua carreira aérea com balões. Não só isso, é creditado a Santos Dumont a invenção do dirigível. Até então um balão voava sem controle, sendo empurrado apenas pelo vento. Dumont modificou o conceito ao inserir um motor a gasolina que girava uma hélice, dando total controle ao aerostato.

Comemora-se no dia 20 de julho o aniversário de Santos-Dumont. No entanto, o primeiro aviador brasileiro se foi de forma prematura, tendo se suicidado do dia 23 de julho de 1932 no Guarujá (SP) aos 59 anos de idade. Sua morte é atribuída ao uso bélico do avião, que ia contra os ideais de Dumont, que pretendia uma utilização pacífica de seu invento.

Veja mais: De potência ao sucateamento, conheça a Força Aérea Revolucionária de Cuba

Aviões foram utilizados para bombardear São Paulo durante a Revolução Constitucionalista de 1932. Muitas dessas aeronaves sobrevoaram o Guarujá antes de atacar a capital, visão que teria motivado o suicídio de Santos-Dumont, segundo apontam relatos históricos. O corpo do aviador está enterrado no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro, e seu coração foi preservado e hoje está exposto no museu da Força Aérea Brasileira em Campos dos Afonso.

Conheça as principais máquinas voadoras de Santos-Dumont:

Brésil

O balão "Brésil" era inflado com hidrogênio, um novo (e perigoso) conceito da época
O balão “Brésil” era inflado com hidrogênio, um novo (e perigoso) conceito da época

A primeira vez que Santo-Dumont voou foi a bordo do balão esférico “Brésil” (“Brasil”, em francês). O aparelho, que não tinha nenhuma forma de controle direcional, era inflado com hidrogênio. Outros balões dessa época alçavam voo ao encher a câmara com ar quente. O invento do balão, aliás, é creditado a outro brasileiro: o padre Bastolomeu Gusmão, em 1709.

N-1

O projeto N-1 de Santos-Dumont foi o primeiro dirigível da história
O projeto N-1 de Santos-Dumont foi o primeiro dirigível da história

Considerado o primeiro balão motorizado da história, o N-1 foi a primeira máquina voadora projetada por Santos-Dumont que podia ser controlada. O aparelho, com 25 metros de comprimento e equipado com um motor a gasolina, decolou pela primeira vez em 1898, mas acabou rasgando antes de realizar alguma manobra. Dois depois, reparada, o dirigível voou novamente, tendo realizado uma série de movimentos no ar, provando que o conceito funcionava. Um imprevisto, porém, encurtou a viagem: a bomba encarregada de manter o balão inflado falhou e ele começou a murchar a 400 metros de altura. Felizmente, o aviador conseguiu pousar com segurança.”Diminui a velocidade da queda, evitando assim a maior violência do choque. Variei desse modo o meu divertimento: subi num avião e desci numa pipa”, revelou Santos-Dumont ao jornal Le Petit Journal.

N-3

O dirigível N-3 decolou em Paris no dia do "fim do mundo"
O dirigível N-3 decolou em Paris no dia do “fim do mundo”

Em 1899 Santos-Dumont projetou o dirigível N-3, um novo balão com formato alongado e inflado com gás de iluminação, com 20 metros de comprimento. O aparelho decolou no dia 13 de novembro daquele ano, data em que, de acordo com alguns astrólogos, o mundo acabaria. O planeta continuou existindo e Dumont contornou pela primeira vez a Torre Eiffel pela primeira vez, gesto que seria repetido com os outros balões criados pelo brasileiro.

N-5

O N-5 foi a primeira máquina voadora a contornar a Torre Eiffel, em 1901
O N-5 contornando a Torre Eiffel, em 1901

O dirigível N-5 foi a primeira máquina voadora Santos-Dumont a receber um prêmio, em 1901. O aparelho foi uma resposta do brasileiro para participar do “Premio Deutch”. A competição consistia em criar um dirigível que fosse capaz de decolar do parque de Saint Clouf, contornar a Torre Eiffel a 11 km de distância, e depois retornar em segurança ao ponto de origem, tudo isso em 30 minutos. Com o aparelho voando a uma média de 22 km/h, Dumont venceu a disputa e embolsou 100 mil francos.

N-9

Santos-Dumont voava com frequência sobre Paris com o N-9
Santos-Dumont voava com frequência sobre Paris com o N-9

Pensando em popularizar o dirigível, Santos-Dumont criou em 1903 o N-9, um aparelho portátil com menos de 10 metros de comprimento e um motor de 3 cavalos de potência. Para mostrar sua praticidade, o inventor brasileiro voava com frequência a bordo do N-9 sobre Paris, pousando em diversos locais da cidade. Para partir com o aparelho diretamente de sua casa, Dumont criou uma plataforma de atracamento na varanda de sua casa na França.

N-10

O N-10 era um projeto de dirigível para transportar até 20 passageiros
O N-10 era um projeto de dirigível para transportar até 20 passageiros

Após criar uma série de dirigíveis de uso individual, Santos-Dumont propôs em 1905 o primeiro projeto de transporte público aéreo. O N-10 tinha capacidade para transportar 20 passageiros e foi chamado por seu criador de “Ônibus”. Foi a maior máquina voadora criada pelo inventor brasileiro, com 48 metros de comprimento. Devido a complexidade do pouso com uma aeronave tão grande, Dumont sugeriu que as pessoas embarcassem em cestos, que seriam puxadas até o dirigível uma a uma. O modelo, no entanto, não teve fins comerciais.

N-14

O projeto N-14 combina um avião a um balão de sustentação
O projeto N-14 combina um avião a um balão de sustentação

O embrião do primeiro avião de Santos-Dumont nasceu no projeto N-14, em 1904, que combinava um balão preso a um aeroplano, já muito semelhante ao 14 Bis. Extremamente instável, o aparelho tinha dificuldade para se manter no ar preso ao balão. O inventor planejava inscrever seu projeto em uma nova competição de máquinas voadoras, mas acabou convencido de um avião precisava voar por seus próprio meios e seguiu com seus testes.

14-Bis

O primeiro voo do 14-Bis aconteceu em 12 de novembro de 1906. O aparelho voou por 220 metros (Fotos - Domínio Público)
O primeiro voo do 14-Bis aconteceu em 12 de novembro de 1906. O aparelho voou por 220 metros (Fotos – Domínio Público)

No dia 12 de novembro de 1906 decolou o que é considerado por muitos o primeira máquina mais pesada que o ar, o 14-Bis. Evolução do projeto N-14, mas desta vez sem o balão de sustentação, o novo invento de Santos-Dumont tinha um motor de 50 cv (o dobro do usado no N-14) e um formato de “biplano invertido”, com as asas na parte traseira e o controles da frente. O aparelho decolou da praça Bagatelle, em Paris, e voou por cerca de 220 metros a oito metros de altura a 30 km/h e pousou em segurança. Estava consagrada a invenção do avião.

Demoiselle

Santos-Dumont construiu 50 unidades do Demoiselle
Santos-Dumont construiu 50 unidades do Demoiselle

O último avião desenvolvido por Santos-Dumont foi N-19, também conhecido como Demoiselle. A aeronave experimental voou em 1907 e é considerado o pioneiro dos ultra-leves, gênero de aviões que seria retomado somente na década 1970. O Demoiselle era construído de bambu e possuía um motor de 20 cv, o suficiente para levar o aeroplano a velocidade máxima de 120 km/h. Foram construídas 50 unidades do modelo, que serviriam de passo inicial para inúmeros outros engenheiros e aviadores aprenderem a voar e criarem seus próprios aviões.

Outros inventos de Santos-Dumont

Além do avião e o dirigível, também é creditado a Santos-Dumont a invenção do hangar, em 1901. A estruturas foram projetadas pelo inventor brasileiro justamente para poder guardar em segurança seus dirigíveis. O brasileiro também é considerado o inventor do relógio de pulso, mas isso não é totalmente certo.

Enquanto viveu em Paris, Santos-Dumont era um amigo próximo de relojoeiro Louis Cartier, a que sugeriu em 1904 criar um relógio com pulseira para ser usado no pulso. Até então, os relógios da moda eram os de bolso que ficavam presos a calça por um corrente. A versão aceita é de que os relógios de pulso surgiram no início do século XIX, criado pelo relojoeiro francês Abraham Louis Breguet.

Santos-Dumont também estudou o uso de asas rotativas no projeto N-12 de 1906, que é considerado uma forma rudimentar de helicóptero.

Total
3
Shares
6 comments
  1. Pra minha tristeza e raiva temos que aturar os ianques FDPs que nunca aceitaram ter um brasileiro como o PAI DA AVIAÇÃO.Eles consideram os irmãos wright.

  2. Não vale nem a pena ficar com raiva…. são conceitos de aparelhos totalmente diferentes. Um tinha motor e o conceito era baseado em pipas de papel com tecido e bambu em formato de cubos, contudo, decolava por si só. O outro tinha conceito mais lógico para a época, porem não decolava por si só, dessa forma, era impulsionado por uma espécie de catapulta, no entanto muitos aficionados se dedicaram a melhorar a ideia inicial dos irmãos Wright, transformando essa modalidade numa febre entre os fazendeiros do centro-oeste americano. Todo esse interesse, ajudou em muito o desenvolvimento da aviação nos Estados Unidos, enquanto o projeto de Santos Dumont, foi logo superado, por se tratar de um conceito muito primitivo. Nos demais países europeus, o desenvolvimento de seus próprios modelos foram baseados nos modelos americanos que se seguiram apos a iniciativa dos irmãos Wright.

  3. Quer queiram , quer não, Dumont foi um grande percursor da aviação mundial. A maior parte dos países creditam a ele ser o primeiro a voar em um aparelho mais pesado que o ar. Entretanto, os Estados unidos foram quem mais desenvolveu a indústria aeronáutica, com seus pioneiros. Na realidade a aviação se deve ao esforço conjugado de muitos. dos quais Santos Dumont foi um dos primeiros.

  4. Que se fodam estes americanos etc e tal, Dumont voou muito em balões a principio, logo em seguida o 14 bis etc, logo depois aquele que veio a ser um avião de verdade, o demoiselle… que aliás muitos até os dias de hoje copiam sua planta para fazer ultraleves etc, um exelente projeto, os irmãos bicicleteiros copiavam tudo de todos, jaja os americanos vão dizer que inventaram o SAMBA tambem hahahahahahaha

Comments are closed.

Previous Post
O HondaJet pode viajar com até sete ocupantes (Honda)

Jato executivo da Honda será vendido no Brasil

Next Post
Na América Latina serão necessários cerca de 97 mil novos pilotos e técnicos em 20 anos (Foto - FAA)

Aviação precisará de 560 mil pilotos em 20 anos, diz Boeing

Related Posts