Drones vão transportar amostras de exames em Belo Horizonte

Projeto é uma iniciativa da rede de laboratórios Grupo Pardini, que planeja uma “ponte aérea” de drones entre hospitais da capital mineira
Drone
Grupo Pardini espera obter a aprovação da ANAC para o uso dos drones até o fim do ano (Grupo Pardini)

Está em curso na cidade de Belo Horizonte (MG) uma campanha de testes para aprovar o uso de drone no transporte de amostras biológicas para exames. O processo é iniciativa da rede de laboratórios Grupo Pardini, que planeja criar uma “ponte aérea” de drones entre os hospitais Hermes Pardino e Instituto Orizonti na capital mineira.

O projeto é realizado em parceria com a Speedbird Aero, startup que já desenvolveu uma série de drones dedicados a serviços de entregas, incluindo até delivery de comida. O primeiro voo de teste com o Grupo Pardini foi realizado em dezembro de 2020, quando a companhia entrou com o pedido de registro da aeronave e autorização de voo na Agência Nacional de Aviação Civil.

A expectativa é que todo o processo de certificação do “drone hospitar” com os órgãos oficiais seja concluído em menos de seis meses. Além da aprovação da ANAC, o serviço também precisa passar pelo aval do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), bem como Vigilâncias Sanitárias Estaduais e Municipais. A expectativa é que todo o processo seja concluído até o final deste ano.

Drone
O drone da Speedbird Aero pode transportar 8 kg de cargas (Grupo Pardini)

A rota aérea entre os hospitais onde os drones serão utilizados dura em torno de seis minutos. De carro, esse percurso leva entre 20 e 30 minutos, diz o Grupo Pardini. O drone usado nas provas pode transportar um pequeno recipiente com até 8 kg de carga.

Para o diretor assistencial do Instituto Orizonti, Dr. Estêvão Albuquerque, a área de saúde hoje é a que mais demanda inovação. “O transporte não tripulado de exames traz um grande impacto para toda a cadeia de saúde, diminui tempo, facilita deslocamento, otimiza recursos. Oferecer aos nossos pacientes essa possibilidade certamente é um diferencial na prestação do serviço médico-hospitalar”, comentou.

Veja mais: Boeing volta a superar a Airbus na entrega de aviões

Total
0
Shares
Previous Post
Boeing 737 MAX 8 - Ethiopian Airlines

Vítima das falhas do 737 MAX, Ethiopian Airlines marca retorno do jato para julho

Next Post

Na contramão do mercado, Singapore troca 787-10 pelo 777-9

Related Posts