Emirates faz teste rápido de Covid-19 em passageiros antes do embarque em Dubai

Empresa também implantou uma série de medidas de distanciamento social e cuidados para evitar a disseminação do coronavírus em seus voos
A Airbus entregou 15 jatos A380 em 2017; o Boeing 747 somou 14 entregas (Airbus)
A Airbus entregou 15 jatos A380 em 2017; o Boeing 747 somou 14 entregas (Airbus)
Haja teste rápido: os A380 da Emirates são configurados para transportar mais de 400 passageiros (Adrian Pingstone)

A companhia aérea Emirates Airlines iniciou nesta semana um procedimento que pode virar rotina nos aeroportos pelo mundo durante a pandemia da Covid-19. Passageiros que embarcaram no voo de hoje para a Tunísia foram testados para o novo coronavírus antes do embarque em Dubai.

A Emirates é a primeira empresa aérea a realizar testes rápidos do vírus em passageiros. O exame de sangue rápido foi realizado pela autoridade de saúde de Dubai (Dubai Health Authority), com resultados disponíveis em 10 minutos. Este primeiro teste foi realizado na área de check-in do Terminal 3 do Aeroporto Internacional de Dubai.

“O processo de teste foi tranquilo. Estamos trabalhando para ampliar esse serviço e realizar os testes em outros voos, permitindo testes no local e confirmação imediata aos passageiros da Emirates que viajam para países que exigem certificado de teste da Covid-19. A saúde e a segurança dos funcionários e passageiros no aeroporto continuam em primeiro lugar”, disse Adel Al Redha, diretor de operações da Emirates.

Os protocolos de check-in e embarque da companhia aérea também foram adaptados para manter o distanciamento social. Barreiras de proteção foram instaladas em cada balcão de check-in para fornecer segurança adicional aos passageiros e funcionários durante as interações. Luvas, máscaras e higienizadores para as mãos são obrigatórios para todos os funcionários do aeroporto de Dubai.

Os passageiros também devem usar suas próprias máscaras quando estiverem no aeroporto e a bordo da aeronave e respeitar as regras de distanciamento social. A Emirates também modificou seus serviços a bordo por razões de saúde e segurança.

Revistas e outros materiais de leitura impressos não estarão disponíveis e alimentos e bebidas continuam oferecidos a bordo, mas a embalagem e a apresentação serão modificadas para reduzir o contato durante o serviço de refeições e minimizar o risco da interação. Não serão aceitas bagagens de cabine nos voos. A bagagem de mão permitida na cabine será limitada a notebook, bolsa, maleta de mão ou itens de bebê. Todos os outros itens precisam ser despachados e a Emirates adicionará a tarifa de bagagem de cabine à franquia de bagagem do cliente.

“Para combater a Covid-19, trabalhamos de maneira proativa com várias organizações governamentais e privadas do setor de saúde e implementamos todas as medidas necessárias, incluindo proteções na saúde pública e prestação de serviços de saúde de alta qualidade, de acordo com as diretrizes internacionais mais recentes. Acreditamos que o trabalho em parceria com outras organizações do setor público e privado produz soluções mais eficazes”, acrescentou Humaid Al Qatami, diretor geral da Dubai Health Authority.

A Emirates também informou que todas as suas aeronaves passarão por processos adicionais de limpeza e desinfecção em Dubai após cada voo. A empresa aérea dos Emirados Árabes Unidos é o maior operador do Airbus A380, com 115 exemplares na frota, além de outros 142 jatos Boeing 777.

Teste rápido

Testes rápidos de Covid-19 como o usado pela Emirates são um importante artificio para conter a disseminação da doença a partir de aeroportos, além de registrar e monitorar os casos confirmados de pessoas infectadas.

Check-in com exame de sangue: teste rápido de coronavírus mostra o resultado em 10 minutos (Emirates)

O procedimento realizado em Dubai consiste em colher uma gota de sangue dos passageiros. A amostra é misturada com reagentes especiais que detectam os anticorpos do corpo humano que atacam o coronavírus.

O teste rápido é uma ferramenta importante no combate da doença, embora não sirva como prova definitiva. Muitas pessoas infectadas só produzem anticorpos contra o coronavírus após 7 dias. Assim, se o exame é realizado logo no começo da infecção ele pode não detectar a Covid-19, mesmo a pessoa estando contaminada.

As ações implantadas pela Emirates para combater a Covid-19 começam a mostram um novo caminho que a aviação comercial deve trilhar nos próximos anos. Assim como o ataque terrorista contra as Torres Gêmeas em Nova York, no fatídico 11 de setembro de 2001, apertou os critérios de segurança no setor aéreo, o coronavírus pode mudar para sempre a forma de interação social e cuidados de saúde em aeroportos e a bordo de aeronaves comerciais.

Veja mais: Antonov AN-225 vai participar do combate ao coronavírus 

 

 

Total
2
Shares
Previous Post
Boeing 787

Boeing entregou apenas 50 aeronaves nos últimos quatro meses

Next Post

Novo vídeo de acidente com SSJ100 na Rússia mostra o momento dramático da evacuação

Related Posts
Total
2
Share