Gol lança serviço de autodespacho de bagagens no Galeão

Companhia afirma que equipamento atende três vezes mais passageiros que os guichês convencionais
A Gol afirma que o equipamento pode atender um passageiros em apenas 40 segundos (Airway)
A Gol afirma que o equipamento pode atender um passageiros em apenas 40 segundos (Airway)
A Gol afirma que o equipamento pode atender um passageiros em apenas 40 segundos (Airway)
A Gol afirma que o equipamento pode atender um passageiros em apenas 40 segundos (Airway)

A Gol inaugurou na última sexta-feira (24) o primeiro serviço de autodespacho de bagagens do Brasil. O sistema começou a funcionar na área de embarques domésticos do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ). Agora os próprios passageiros podem imprimir as etiquetas de bagagens e despachá-las, processo que segundo a companhia aérea vai fazer as filas andarem mais depressa.

O despacho automático está disponível em quatro das 30 posições de atendimento da companhia no Galeão. De acordo com a empresa, cada passageiro leva apenas 40 segundos para despachar a mala no novo sistema, sendo possível atender até 60 clientes por hora. Como comparação, o guichê convencional atende cerca de 20 pessoas a cada hora.

“Pode haver uma pequena insegurança dos clientes no começo em despachar a mala no guichê sem um funcionário. Mas isso passa com o tempo”, apostou a gerente operacional de aeroportos da Gol, Ana Cristina Souza. “A Gol também está fazendo um trabalho de orientação com os passageiros no Galeão para explicar como funciona sistema.”

A gerente da companhia também confirmou que o sistema de autodespacho será implantado no aeroporto de Guarulhos (SP), em São Paulo, até o final deste ano. Ana Cristina ainda citou que os parceiros internacionais da Gol, as companhias Air France e KLM, também utilizam o equipamento. A Gol não divulgou quanto investiu na aplicação do novo sistema.

Autodespacho

O passageiro que optar pelo despacho automatizado de bagagem primeiro deve realizar o check-in de seu voo nos totens de autoatendimento da Gol, mesmo que já tento efetuado o check-in online. O processo é necessário para imprimir a etiqueta, que em seguida deve ser colada na bagagem, de preferência em alguma alça, como fazem os agentes de aeroportos.

(Airway)
A máquina avisa se a mala estiver fora dos padrões

Em seguida o passageiro deve se dirigir até o guichê de autodespachado e acomodar o volume no equipamento. Feito isto, o próximo passo é escanear o cartão de embarque e a etiqueta da bagagem. E pronto: a máquina imprime um recibo e lá se vai a mala pela esteira.

O equipamento avisa se a bagagem estiver fora dos padrões de peso e dimensões da companhia para o despacho e indica ao passageiro procurar o atendimento convencional.

Robô canadense

A máquina de autodespacho usada nos guichês da Gol é a Scan&Fly, fabricado pela SITA no Cadaná. Elbson Quadros, vice-presidente da empresa na América Latina, contou que o equipamento usado pela Gol é o mesmo já utilizado em diversas partes do mundo e pesquisas mostraram que o atendimento automatizado reduz em mais da metade as filas para despacho de bagagem.

“É um serviço que agiliza o atendimento das companhias e melhora o fluxo de passageiros nos aeroportos”, disse Quadros. O equipamento da SITA também será introduzido em aeroportos administrados pela Infraero entre o final deste ano e início de 2019. As máquinas de autodespacho de bagegens serão utilizadas de forma compartilhada entre as empresas aéreas nos terminais de Congonhas (SP), Santos Dumont (RJ), Curitiba (PR), Belém (PA), Goiânia (GO) e Maceió (AL).

(Airway)
O passageiros precisa escanear os códigos de barra do bilhete e o etiquete da bagagem para o despacho

Atendimento tecnológico

Em um passado não muito distante passagens aéreas eram como importantes documentos. Eram bilhetes impressos em papeis reluzentes com as logomarcas das empresas e guardados em charmosos envelopes. Eram tão bonitos que muitos os guardavam de recordação. Já quem por acaso perdia a passagem corria o risco de perder o avião…

A passagem aérea hoje é apenas um simples pedaço de papel ou nem isso. Usando os bilhetes eletrônicos escaneados da tela de smartphones é possível entrar no aeroporto e seguir direto para a área de embarque, passando longe de filas em guichês de check-in.

A automatização do check-in no Brasil com smartphones começou em 2012, quando as companhias nacionais lançaram a opção do bilhete eletrônico em seus aplicativos. Além de agilizar os embarques de passageiros, a tecnologia também reduz os custos da empresa, que envolve menos funcionários e equipamentos nos processos de embarque.

A própria Gol inclusive já usa uma “nova geração” do check-in eletrônico, o “Selfie Check-in”, por reconhecimento facial. A empresa foi a primeira do mundo a utilizar esse recurso, lançado em junho de 2017.

Foi-se o tempo da passagens aéreas em belos encartes. Antigos exemplares são vendidos como relíquias (Ebay)
Foi-se o tempo da passagens aéreas em belos encartes. Antigos exemplares são vendidos como relíquias (Ebay)

“Os passageiros estão evoluindo muito mais rápido do que nos imaginamos. Essas tecnologias são muito usadas pelos clientes, como vem sendo o Selfie Check-in. Por isso acreditamos que o autodespacho de bagagens também será bem recebido”, finalizou a gerente da Gol.

Veja mais: Norwegian Air confirma planos de subsidiária brasileira

Total
0
Shares
Previous Post

Super Tucano segue na disputa por encomenda da força aérea dos EUA

Next Post

Azul estreará Airbus A330-900neo em 15 de dezembro

Related Posts