Boeing 737-300 da Hooters Air: companhia teve vida curta (Aeroprints)

Já ouviu falar na rede Hooters? Trata-se de uma cadeia de restaurantes dos EUA conhecida pelas garçonetes vestidas com shorts curtos alaranjados e regatas decotadas. Em algumas filiais, é comum que as Hooters Girls (como são chamadas) locomovam-se por meio de patins. A empresa, que nasceu no estado da Flórida, em 1983, atingiu grande sucesso anos após a sua estreia – no início do século XXI, já com 170 restaurantes, sendo 20 deles em países ao redor do mundo – no Brasil inclusive, mas que fechou sua última unidade no ano passado.

Com uma rede alimentícia estabelecida e altamente lucrativa, era hora de expandir o mercado; assim em 2003 nascia a Hooters Air, uma companhia aérea com perfil de baixo custo. Fundada por Robert Brooks, a companhia optou por Myrtle Beach, na Carolina do Sul, como a cidade-sede de suas operações. No entanto, todos os voos eram executados pela Pace Airlines, que tinha sido adquirida por Brooks em dezembro de 2002.

A pequena frota era formada por aeronaves da Boeing, entre eles modelos 737-200, 737-300 e 757-200. Os aviões foram pintados com as cores laranja e azul, além de carregarem na calda o desenho de uma coruja (Hootie, como foi batizada), o principal símbolo da rede. Para muitos, essa estratégia era vista como um “outdoor voador”.

Atendimento incomum

A bordo das aeronaves, além dos pilotos e comissários, embarcavam as Hooters Girls, com o propósito de auxiliar no atendimento aos clientes. A própria Hooters fazia o processo de recrutamento dessas funcionárias para o trabalho nos ares, porém, não fornecia o treinamento acerca dos conhecimentos específicos de cada aeronave e da aviação em geral, autorizado pela FAA (Federal Aviation Administration). Isso as impedia de exercer atribuições técnicas como, por exemplo, o manejo de abertura e fechamento das portas.

Embora fizessem parte do atendimento, as Hooters Girls não tinham autorização para exercer funções técnicas a bordo dos aviões (Reprodução)

As Hooters Girls trabalhavam muito dentro dos aviões: além de auxiliar os tripulantes no que fosse necessário, eram as responsáveis pelo entretenimento a bordo. O padrão de uniformização dessas profissionais nos restaurantes era o mesmo utilizado pelas atendentes durante os voos. A tripulação, contudo, vestia roupas formais.

Baixo custo de passagens

Além do serviço inusitado, a Hooters Air oferecia voos diretos e de baixo custo. Muitos trechos aéreos tinham tarifa fixa de US$ 129, algo como R$ 700 atualmente. A companhia operava em 15 localidades, incluindo cidades populares da Flórida e também Atlanta, Denver, Las Vegas, entre outras.

Graças à operação em destinos menores, a empresa aérea pôde contribuir no desenvolvimento econômico das regiões as quais atendia. Para Paul Karas, gerente do Aeroporto Internacional de Gary na época, a Hooters Air proporcionou, inclusive, mais oportunidades de emprego para a população. Brad Dean, então funcionário da câmara de comércio de Myrtle Beach, afirmou que “em seu apogeu, a Hooters Air trazia entre 3.000 e 5.000 pessoas por semana”.

Manual de emergência do 757 operado pela Hooters Air (Reprodução)

Curto período de vida

A carreira da empresa aérea, entretanto, durou apenas 3 anos. Segundo analistas, a Hooters Air iniciou suas atividades em um momento muito delicado, quando muitas pessoas ainda tinham receio de voar devido à recente memória dos ataques às Torres Gêmeas, no dia 11 de setembro de 2001.

Somado ao baixo público de passageiros, a concorrência tornou-se maior com a expansão de outras aéreas como a Southwest, AirTran, JetBlue e Metro Jet. Outro motivo que acarretou prejuízos foi o alto custo do combustível de aviação, ocasionado pelas passagens dos furacões Katrina e Rita.

Em 2005, dois anos após o início da empresa, foi anunciado o encerramento das operações para Chicago. Pouco tempo depois, Denver não faria mais parte dos destinos atendidos. Em 2006, os voos comerciais e fretados foram interrompidos.

Brooks, que faleceria no ano seguinte, reconheceu na época que “a melhor coisa que podemos fazer é basicamente deixar isso de lado pelo menos por enquanto, até que a indústria mude”.

A Hooters Air não voltou às atividades e deixou um prejuízo total de US$ 40 milhões à holding Hooters of America. Apesar do dano financeiro, a cadeia de restaurantes continuou expandindo sua marca e mantendo-se como um sucesso global, mas no solo.

Página do site da Hooters Air

Veja também: “Biquini airlines”, Vietjet encomenda 20 jatos A321XLR