A Air New Zealand vai decidir se adota ou não a cabine SkyNest no final de 2021 (Divulgação)

A Air New Zealand apresentou nesta semana um novo conceito de cabine de classe econômica com beliches para os passageiros. A empresa da Nova Zelândia chama o projeto de Economy Skynest, um habitáculo com cerca de dois metros de comprimento e espaço para seis camas.

A companhia aérea informou que a Skynest (“Ninho no Céu” em tradução livre) é resultado de um estudo que durou três anos. A pesquisa foi realizada no centro inovação da Air New Zealand, em Auckland e contou a participação de mais de 200 clientes da empresa.

O diretor de marketing da Air New Zealand, Mike Tod, disse que a cabine com beliches é uma opção interessante para alguns dos voos mais longos do mundo, como o serviço direto entre Auckland e Nova York que a companhia vai lançar em outubro deste ano com jatos Boeing 787-9. O tempo de voo é de 15 horas e 40 minutos na até a costa leste dos EUA e 17 horas 40 minutos no retorno a Nova Zelândia.

A transportadora neozelandesa informou que tomará uma decisão final sobre a implantação da Economy Skynest no próximo ano, depois de avaliar o desempenho do primeiro ano do trecho Auckland-Nova York.

“Vemos uma futura experiência de voo em que um cliente de classe econômica em voos de longo curso poderá reservar o Economy Skynest além de seu assento na Economy, descansar um pouco e chegar ao seu destino pronto para seguir adiante. É um divisor de águas em muitos níveis “, disse Nikki Goodman, gerente geral de experiência do cliente da Air New Zealand.

A cabine com seis camas tem cerca de 2 metros de comprimento (Divulgação)

Camas na classe econômica

Ter um espaço confortável que proporcione um sono decente é um dos maiores luxos que um passageiro pode desejar quando viaja de avião. Quem não quer dormir durante um longo voo internacional e chegar descansado em seu destino outro lado mundo?

Antes um benefício exclusivo da primeira classe e executiva, assentos que se transformam em leitos também estão chegando na classe econômica dos aviões. A própria Air New Zealand, habituada a longos voos, é pioneira nessa área. Em 2011, a companhia aérea lançou a Economy Skycouch, um conjunto de três assentos que pode ser convertido em cama.

O SkySofa ocupa as fileiras do meio na classe econômica do A330 da Azul (Divulgação)

O SkySofa ocupa as fileiras do meio na classe econômica do A330 da Azul (Divulgação)

Esse raro recurso na aviação comercial também está disponível nos aviões de grande porte da Azul. A companhia oferece desde 2016 a opção SkySofa na classe econômica dos jatos Airbus A330.

Veja mais: Airbus A321 convertido em cargueiro é liberado para voar na Europa