Jato executivo Pilatus PC-24 é autorizado a operar em pistas de terra

Fabricante suíça completou a campanha de testes com a aeronave em pistas não pavimentadas
(Pilatus)
Com o PC-24 não tem frescura: o jato suíço pode pousar em pistas de terra, grama, cascalho ou neve (Pilatus)

Primeiro jato executivo “off-road” do mercado, o Pilatus PC-24 foi certificado na última semana pela agência europeia de aviação civil (EASA) para realizar operações a partir de pistas não pavimentadas. Como efeito imediato da homologação, todos os aviões produzidos pela empresa suíça agora podem pousar e decolar em aeródromos de terra, cascalho, grama ou cobertos de neve.

A fabricante realizou uma campanha de pós-certificação ao longo de 2019 nos EUA e Europa para abrir o leque de operações de seu novo produto. Antes disso, em dezembro de 2017, a aeronave já havia recebido a certificação básica da EASA e desde então a Pilatus entregou cerca de 70 exemplares do jato.

Comparado a outros jatos executivos que não operam em pistas precárias, o PC-24 pode atender quase o dobro de aeroportos em todo mundo. “Mais aeroportos significam mais opções, levando os operadores para seus destinos mais rapidamente e com uma economia de tempo valiosa”, afirma a fabricante suíça.

“ Estou muito satisfeito em observar a conclusão bem-sucedida desses testes abrangentes. Nosso PC-24 provou que é capaz de voar em toda a gama de missões para as quais foi desenvolvido. O Royal Flying Doctor Service da Austrália e as operadoras da América do Norte ou da África já usam pistas irregulares regularmente, provando o quão único é o PC-24”, disse Oscar J. Schwenk, presidente da Pilatus.

O avião presidencial da Suíça é um Pilatus PC-24 (PIlatus)

Herança utilitária

Um dos principais objetivos da Pilatus durante o desenvolvimento do PC-24, e também o elemento de maior complexidade e inovação do projeto, foi incorporar parte das características e capacidades do versátil turboélice PC-12 no modelo com motores a jato.

Seguindo essa linha, a fabricante incluiu uma porta de carga no PC-24, praticamente igual a do PC-12, e também projetou a aeronave para operar a partir de pistas não pavimentadas, o que representa um enorme desafio para um avião com motores a jato, mais sensíveis a detritos e poeira.

O PC-24 é o único jato executivo equipado de fábrica com uma posta de carga (Pilatus)

Além da capacidade para operar em aeródromos irregulares, o PC-24 também tem uma das melhores performances da categoria em pistas pavimentadas. De acordo com a fabricante suíço, o jato pode operar em pistas com apenas 800 metros de comprimento. Também voa bem: alcança velocidade máxima de 815 km/h e tem autonomia de 3.768 km (com peso máximo de 8.005 kg).

O PC-24 também tem uma capacidade de passageiros semelhantes a de seu “irmão” turboélice, com espaço para até 10 ocupantes, enquanto o PC-12 pode embarcar nove pessoas. O novo jato da Pilatus é avaliado em cerca de US$ 8,9 milhões, o equivalente a R$ 38,4 milhões.

Veja mais: Em busca de clientes da Ásia, Embraer E195-E2 estreia em Singapura

Total
84
Shares
Previous Post

Tilt-rotor Osprey estreia como aeronave de transporte nos porta-aviões dos EUA

Next Post
Airbus A321XLR

Airbus crê em venda “fácil” de 1.000 jatos A321XLR em 10 anos

Related Posts