Marinha desativa porta-aviões São Paulo

Corporação desistiu do programa de modernização da embarcação, que não navega desde 2014
NAe São Paulo parado na Ilha das Cobras, onde ficou durante boa parte de sua carreira no Brasil (Alexandre Galante/Poder Naval)
NAe São Paulo parado na Ilha das Cobras, onde ficou durante boa parte de sua carreira no Brasil (Alexandre Galante/Poder Naval)
NAe São Paulo parado na Ilha das Cobras, onde ficou durante boa parte de sua carreira no Brasil (Alexandre Galante/Poder Naval)
NAe São Paulo parado na Ilha das Cobras, onde ficou durante boa parte de sua carreira com a Marinha  (Alexandre Galante/Poder Naval)

A Marinha do Brasil (MB) anunciou nesta terça-feira (14) a “desmobilização” do porta-aviões NAe São Paulo. Em outras palavras, a embarcação, que não navega desde 2014, será definitivamente desativada. O processo, que inclui a desmontagem de componentes do navio que podem ser reaproveitados, ocorrerá nos próximos três anos.

Segundo comunicado do Centro de Comunicação Social da Marinha, o Almirantado, após diversas tentativas de recuperar a capacidade operacional do navio aeródromo, concluiu que o programa de modernização do São Paulo exigiria “alto investimento financeiro, conteria incertezas técnicas e necessitaria de um longo período de conclusão.”

Em nota, a Marinha ainda afirma que a obtenção de um novo porta-aviões ocupará a terceira prioridade de aquisições, atrás do PROSUB (submarino de propulsão nuclear) e o programa de construção das corvetas Classe Tamandaré.

A corporação ainda reiterou que as atividades com aeronaves de asa fixa serão mantidas a partir da Base Aérea Naval, em São Pedro da Aldeira (RJ). É neste local que os caças AF-1 estão concentrados desde que o NAe São Paulo foi estacionado na base da Marinha na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, em 2014. A MB também afirmou que pretende manter os treinamentos dos pilotos com ajuda de “marinhas amigas.”

Cronologia do NAe São Paulo

15/11/1957 – Começa a construção do porta-aviões Foch para a Marinha da França.

23/07/1960 – O navio é lançado ao mar.

NAe São Paulo quando ainda era o “FS Foch”, navegando a serviço da França (Domínio Público)
NAe São Paulo quando ainda era o “FS Foch”, navegando a serviço da França (Domínio Público)

15/07/1963 – O Foch é comissionado pela Marinha.

7/05/1977 – O navio participa de missões no Djibuti.

1983-84 – O Foch é enviado para combate na guerra civil no Líbano.

1993-1994 – O porta-aviões francês atua na Guerra na ex-Iugoslávia e também a serviço das Nações Unidas.

5/9/1998 – Chegam ao Brasil 23 unidades do caça leve A-4 Skyhawk, comprados do Kuwait. Eles formaram o primeiro esquadrão de asa fixa da Marinha e foram o primeiro passo para equipar um porta-aviões com aviões de combate.

15/11/2000 – O Foch é descomissionado da Marinha Francesa e vendido ao Brasil.

17/02/2001 – Já como São Paulo, o porta-aviões é recebido pela Marinha brasileira para substituir o Minas Gerais.

17/05/2004 – Uma explosão ocorre na sala de máquinas do navio, matando três marinheiros e ferindo outros oito. Um defeito numa tubulação de vapor é a causa do acidente. A Marinha decide promover uma reforma no São Paulo.

Caças AF-1 estacionados no convés de voo do NAe São Paulo (MB)
Caças AF-1 estacionados no convés de voo do NAe São Paulo (MB)

2005-2010 – Uma grande modernização é realizada no navio-aeródromo. Desde as turbinas a vapor até os geradores elétricos são reformados, entre outras melhorias. A embarcação recebe novos sistemas eletrônicos e tem suas catapultas revisadas.

Agosto de 2010 – O São Paulo volta ao mar para testes.

Agosto de 2011 – Em testes, o porta-aviões volta a ter problemas com incêndios em várias partes do navio, causando pânico em tripulantes na época.

Dezembro de 2014 – Sem conseguir resolver os problemas do navio, a Marinha do Brasil anuncia uma nova reforma que deveria ocorrer entre 2015 e 2019 e que faria o porta-aviões operar até 2039.

Setembro de 2016 – Apesar de reconhecer os problemas com o sistema de propulsão e de catapultas, a Marinha nega que irá desativar o São Paulo.

O NAe São Paulo era o maior navio militar em operação na América Latina (Alexandre Galante/Poder Naval)
O NAe São Paulo era o maior navio militar em operação na América Latina (Alexandre Galante/Poder Naval)

Fonte: Poder Naval

Total
1
Shares
0 0 votes
Article Rating
219 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wane
Wane
5 anos atrás

Ou seja, compramos lixo.

Frances Esperto
Frances Esperto
5 anos atrás

Apesar de tudo o porta aviões foi um ótimo negócio. Para os franceses…

Feng
Feng
5 anos atrás

Estava na hora….Brasil não tem capacidade para operar navios grandes deve concentrar-se no desenvolvimento de navios pequenos com alto poder de fogo com mísseis de cruzeiro. Menos custo com capacidade de produzir em maior número.

Proximo a aposentar são os A4-Skyhawk…..da época da guerra do vietnã….Tome vergonha…

Eder
Eder
5 anos atrás

É só mais um exemplo de como é aplicado o dinheiro público.

Nahim
Nahim
5 anos atrás

Lendo a cronologia do NAe São Paulo percebe-se que a França além de vender um porta-aviões defasado para o Brasil, mandou de lambuja uma bomba capaz de explodir a qualquer momento. Isso que é falta de respeito entre as Nações.

Nelson
Nelson
5 anos atrás

Quer dizer; compramos uma sucata que nunca funcionou. Dançamos mais uma vez. O Minas Gerais, apesar de ser outra sucata, foi menos vergonhoso.

Felipe Maciel
Felipe Maciel
5 anos atrás

Thiago, mas hein?!? Esta foi a pior compra da Marinha, ficou boa parte do tempo em reforma!!!

Ladislau
Ladislau
5 anos atrás

5o maior do mundo???

Só se for o 5o maior abacaxi do mundo…

Waldomiro.
Waldomiro.
5 anos atrás

Mais uma mostra da decadência do Brasil. Se não sabemos consertar, por que não contratar os franceses para fazer o trabalho? Agora, se ele está cheio de problemas técnicos, a conclusão é que os franceses empurraram sucata para nós por alto custo? QUEM avaliou? Ou será que não temos dinheiro para a manutenção?
Sem dinheiro, sem porta aviões, a Marinha sempre teve pensamento voltado à luta anti submarina e não para projetar poder longe do país, como fazem os americanos, então é melhor investir pesado em submarinos com características de caça e em fragatas anti submarinas. Esquecer porta aviões pois isto é coisa de país de primeiro mundo.

Junior
Junior
5 anos atrás

Isto que podemos chamar de política externa brasileira, comprar um navio Francês completamente sucateado!!!! Ou investe em algo novo e, preferencialmente, com tecnologia nacional, ou é melhor fechar as portas!!!

Felipe Cruz
Felipe Cruz
5 anos atrás

E é com os “parceiros” franceses que nos venderam essa bomba que esperam desenvolver os submarinos novos e o nuclear…

Marcelo Carvalho
Marcelo Carvalho
5 anos atrás

Não existe almoço grátis, só sucata.

Tarquiniosg
Tarquiniosg
5 anos atrás

Quem ganhou a comissão de compra?

Tiago
Tiago
5 anos atrás

É uma vergonha um país continental como o nosso viver de “carro” usado né…

João Batista
João Batista
5 anos atrás

Aos poucos as FFAA vão se transformando unicamente em polícias.

Perseverante
Perseverante
5 anos atrás

Dinheiro publico jogado no lixo. Assistência social e educação “ZERO”

henrique
henrique
5 anos atrás

Porta aviões reciclável só poderia dar nisso.
Essa embarcação é movia a óleo diesel (se colocar diesel S10, dá problema na junta do cabeçote) e, com o preço do combustível nas alturas, melhor vender mesmo.
Se eu fosse a Marinha, alugaria esse navio pra fazer festas rave e baladas caras.
Com certeza, com o dinheiro arrecadado, daria pra pagar alguma empresa privada pra fazer a segurança da costa brasileira….

João Batista
João Batista
5 anos atrás

Ao que parece, as análises de cenários futuros indicam não haver ameaças externas a justificar a manutenção de uma força naval de combate. Parece que o único perigo futuro é a revolta da população contra os desmandos do governo e, infelizmente, as FFAA estão se transformando aos pouco em polícias do governo.

Niltinho de Jesus
5 anos atrás

Quanto dinheiro jogado fora, só aqui mesmo. Brasil é o lixão militar, só compra lixo.

eduardo lopes
eduardo lopes
5 anos atrás

“Em nota, a Marinha ainda afirma que a obtenção de um novo porta-aviões ocupará á (terceira prioridade) de aquisições, atrás do PROSUB submarino de propulsão nuclear e Thiago pergunte por nós para a marinha qual é a primeira prioridade?. E descordo de você Feng no que você escreveu “Brasil não tem capacidade para operar navios grandes” tem sim capacidade mas os custo com as altas patente ou alto escalão na ativa e reserva; e os baixo salários dos nossos marinheiros desistimula o investimento em qualquer esfera de segurança NACIONAL tanto terrestre ,maritima ou aerea. Ao menos não temos que temer uma invasão pelos uruguais ou paraguaios do resto dos nossos vizinhos estão melhor que nós

Jhon Maclane
Jhon Maclane
5 anos atrás

Depois de milhões gastos em peças e milhões em custos operacionais, vão desistir da sucata comprada da França.
E o que vão fazer com as peças novas caríssimas que foram compradas?

Rafael Alves
Rafael Alves
5 anos atrás

EU TENHO VERGONHA DE SER BRASILEIRO! !!!
A FRANÇA USA O NAVIO POR 40 ANOS… DE MANEIRA SUPER ATIVA. COMPRAMOS… E DEMOS 3 ROLES EM 16 ANOS… NÃO SOMOS CAPAZES DE OPERAR NADA… SOMOS CORRUPTOS EM TUDO E CASADOS EM TUDO. POH COMPRAMOS UMA FERRARI VELHA E QUEREMOS ANADAR NELA A BASE DE CALDO DE CANA??? O BRASIL NÃO É UM PAÍS SÉRIO. .. SE FOSSE NEM COMPRARIA ESSA VELHARIA… OU NO MÍNIMO NÃO INVESTIRIA DINHEIRO EM ALGO Q NÃO SOMOS CAPAZES DE OPERAR. MEU PAÍS É UM LIXO. QUERO SAIR DAQUI SOCORRO !!!!!

Eliomar
Eliomar
5 anos atrás

Apesar de ser um navio antigo colocava o Brasil no seleto grupo de países que possuem porta-aviões. Agora nós vemos de onde veio o dinheiro do bolsa-família, minha casa minha vida, veio do corte destinados a outras áreas de severa importância, ao invés de se impor como potência aos vizinhos, o governo petista achou mais fácil comprá-los com obras superfaturadas.

Rafael Alves
Rafael Alves
5 anos atrás

República das bananas. . .
Vergonha mundial. . .
Vamos defender nos as fronteiras com mulatas e plumas….

mario
mario
5 anos atrás

Como pode isso ? Desses 14 anos de uso , praticamente só deu problemas ! Parece até aquele caso da compra da refinaria superfaturada de Passadena . No final , não valeu a pena ter comprado e o dinheiro foi jogado no lixo.

PETER ARMSTRONG
5 anos atrás

Afunda, afunda o quanto antes. será ao menos uma resposta brasileira para os que nos enganaram…

Wilson Júnior
Wilson Júnior
5 anos atrás

Daria uma ótima atração turística em qualquer cidade litorânea brasileira com condiç~oes de recebê-lo.

Fernando
Fernando
5 anos atrás

Projeto do submarino nuclear virou piada, só gasto e roubo, digo com prioridade, só desvio de dinheiro, deveriam investigar.

José
José
5 anos atrás

Me tirem uma dúvida… Na época que foi comprado pela marinha brasileira ouvi relatos que o porta aviões já tinha passado do tempo de uso, ou seja, seria uma espécie de muséu ou estaria pronto para desmanche.

Franklin
Franklin
5 anos atrás

Que péssimo negocio fez a Marinha em adquiri-lo. Comprou este problema, digo, canoa furada, por uma fortuna, operou por três anos e nunca mais funcionou. Esta no estaleiro a mais ou menos treze anos. E além do mais três vidas se perderam. Vendam no quilo é aprendam com seus erros.

André
André
5 anos atrás

França 7 x 1 Brasil

rick
rick
5 anos atrás

Quanto dinheiro jogado no lixo… A compra e a manutenção de sucata “naufragou” milhares de Reais…. Compra política e não estratégica…

Wilson nunes
Wilson nunes
5 anos atrás

Totalmente desnecessário. Sucata francesa.

Douglas
Douglas
5 anos atrás

Que zica neh meu, o Brasil só faz cagada; ta loco.

rick
rick
5 anos atrás

A marinha poderia patrulhar o Rio Tietê com uma porcaria (m….) dessas…

José Pacheco
5 anos atrás

Político é assim…nenhum vale nada…qualquer engenheiro bem formado e informado daria aval negativo….só tem sem vergonha….esse país vai afundar…

Haroldo Amorim
5 anos atrás

Porque não constroem um aqui, com tecnologia e mão de obra nacional ? Porque não encararam isso como desafio? Temos competência pra isso, o Brasil já foi líder mundial na construção naval, basta o governo se mobilizar e parar de gastar dinheiro com “fundo partidário”, licitações mal feitas, mal conduzidas e de resultados duvidosos. Vamos lá Brasil, mostra tua cara, em vez de ficar passado vexame ao mundo. Vamos fazer é aqui, vamos mostrar ao mundo que a gente pode, e Sr Temer?

Feaukuti
Feaukuti
5 anos atrás

As forças militares brasileiras são sucateadas há décadas e o resultado, além do descaso com dinheiro público é coleção de sucatas inúteis e um festival de incompetências. Mesmo quando existe algum equipamento mais ou menos atualizado, existe em pouquíssimos números p ser de fato útil ou notado.
Infelizmente, parece q o Brasil não tem dinheiro ou capacidade técnica p operar e manter um porta-aviões. Não q seja de todo mal, já q não vejo nenhuma vantagem em ter um porta-aviões se o Brasil não tem intenção e capacidade de projetar influência para além do território nacional. Por mais respeito q tenho pelo militares, usar Skyhawks atualmente é motivo de piada.

Jose Pernabucano
5 anos atrás

FHC alem de vender muitas empresas boa para grupos estrangeiros ainda fez esse ótimo negocio para a frança. Desde que chegou esse navio nunca foi operacional.

Kow
Kow
5 anos atrás

Culpar os franceses é muita burrice. Tão burro quanto quem avaliou a compra da nau.

Silvanio
Silvanio
5 anos atrás

como sempre o Brasil pegando o resto dos outros, maquinas que são sucata pura.

Chico Araújo
Chico Araújo
5 anos atrás

Depois que gastaram uma fortuna do dinheiro público e matarem vários marinheiros com incêndios, explosões e vazamentos de vapores superaquecidos os “deuses almirantes” resolvem dar a baixa da belonave que nunca passou de um grande lixão que só servia para manter a promoção dos almirantes de 4 estrelas, lamentável.

Roberto Macedo
Roberto Macedo
5 anos atrás

Em 2000 deveriam ter chamado a Dilma para inspecionar o porta aviões, pois de guerrilha ela entende…

Felikes
Felikes
5 anos atrás

A compra desse navio foi um excelente negócio. O preço de compra foi tão baixo que ele desde sempre valia muito mais quando vendido como ferro velho.

Paulo
Paulo
5 anos atrás

É ninguém vai ser responsabilizado pela compra desta b….?

Haroldo Amorim
5 anos atrás

Vamos fazer um aqui, como desafio, temos condições, já fomos um dos líderes da construção naval no mundo. Bora Brasil, bora governo, vamos encaras as coisas, tudo feito aqui, essa deveria ser a diretriz governamental.

Imelton Azevedo
Imelton Azevedo
5 anos atrás

Até hoje eu me lembro de uma afirmação do Lula quando era presidente. Durante a crise política em Honduras em que o povo e a Suprema Corte daquele país tiraram do Poder o corrupto ladrão Manoel Zelaya (cria de Hugo Chaves) e o governo Lula deu total apoio ao corrupto deposto. O Lula em uma entrevista disse, ” PENA QUE NÃO TEMOS UM PORTA-AVIÕES PARA MANDAR PARA LÁ”.

Marcelo Conti
Marcelo Conti
5 anos atrás

Mais uma vergonha para o ex-Brasil (atual brazil).
Depois do golpe de estado, o que esse bando de lesa-pátrias fará é arruinar tudo o que puderem: Petrobras, Engenharia Nacional, BNDES, Forças Armadas…
“(…) A MB também afirmou que pretende manter os treinamentos dos pilotos com ajuda de ‘marinhas amigas’.”… Muy amigas… os mesmos “amigos” que vão ganhar a Base de Lançamento de Foguetes do Maranhão… Vergonha!

Thiago
5 anos atrás

Esta é a velha Marinha de guerra que temos no Brasil. Na época da compra questionou-se muito a utilidade de um porta-aviões com 40 anos de uso, mas o desespero de ficar sem um navio deste tipo (o NAeL Minas Gerais não aguentava mais) fez o almirantado comprar qualquer porcaria. Sem falar que o investimento em tecnologia nacional é muito próximo de zero. O submarino nuclear brasileiro está em construção desde antes do ano 2000. Adivinha o que está pronto até agora…agora imagine quão atual é esta tecnologia que, por baixo, já está alcançando a maioridade…

Celito Medeiros
5 anos atrás

Concordo absolutamente com a marinha do Brasil em aposentar um porta aviões, em um país que não tem história de guerras e nem precisaria deste porta aviões para o patrulhamento das águas territoriais, função que o fazem muito bem sem necessidade de tais despesas!

Previous Post

As aeronaves de combate das forças armadas brasileiras

Next Post
O 787-10 é o terceiro e último modelo programado da família Dreamliner (Boeing)

Novo Boeing 787-10 será apresentado nesta semana

Related Posts
Total
1
Share