Nasa planeja enviar helicóptero para Marte em 2020

Agência espacial recebe novo investimento do dos EUA para continuar o desenvolvimento da aeronave que vai voar no planeta vermelho
Com a ajuda aérea, a Nasa vai vai planejar melhores rotas para os 'hovers' na superfície de Marte (NASA)
Com a ajuda aérea, a Nasa vai vai planejar melhores rotas para os ‘hovers’ na superfície de Marte (NASA)
Com a ajuda aérea, a Nasa vai vai planejar melhores rotas para os 'hovers' na superfície de Marte (NASA)
Com a ajuda aérea, a Nasa vai poder criar melhores rotas para os ‘hovers’ na superfície de Marte (NASA)

O congresso dos Estados Unidos aprovou nesta semana um novo investimento de US$ 15 milhões para a Nasa continuar desenvolvendo um pequeno helicóptero não-tripulado que vai auxiliar na exploração de Marte. O plano da agência espacial é enviar o veículo para o planeta vermelho em uma missão programada para 2020.

Segundo especificações do projeto, o helicóptero da Nasa, muito parecido com os drones, tem motores elétricos e pesa apenas 900 gramas. A autonomia de voo será curta, no máximo três minutos. Mesmo assim, a agência norte-americana afirma que o uso da aeronave vai auxiliar os controladores a planejar rotas mais acessíveis para os ‘hovers’ de exploração na superfície.

Como planeja a agência espacial, a “base de operações” do helicóptero pode ser o próprio hover, onde também faria a recarga de suas baterias, aproveitando os painéis solares do veículo terrestre.

O Jet Propulsion Laboratory, laboratório contratado pela Nasa para projetar o helicóptero “marciano”, ainda diz que as imagens obtidas do alto também podem ajudar a encontrar algum objeto de interesse distante do veículo terrestre, que então pode ser direcionado até o local visualizado pela aeronave.

Voando em Marte

Por conta da baixa pressão atmosférica, quase três vezes menor que a da Terra, é difícil conseguir levantar voo em Marte. Isso acontece devido a gravidade do planeta, que também é quase três vezes inferior a do nosso (como comparação, na Lua essa força é seis vezes menor).

Para um avião convencional conseguir sustentação em Marte é preciso voar em alta velocidade em todas as fases do voo, inclusive para pousar em “segurança”. Devido a baixa pressão do planeta, as asas não têm “ar” o suficiente para se apoiar – a atmosfera de Marte é composta basicamente de CO2.

Com essa dificuldade, decolar e pousar na vertical pode ser a única forma realmente segura e eficiente de voar pelos céus de Marte.

Fonte: Ainonline

Veja mais: Aviões podem voar nos céus de outros planetas?

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
7 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luisinho
Luisinho
6 anos atrás

Muito legal, isso sim é pesquisa… devem gastar dinheiro com isso sim, elevar os sonhos e o conhecimento, esse deve ser o objetivo principal da humanidade, sem isso seria desnecessário gastar dinheiro com qualquer outra coisa.

CAPITÃO KIRK
CAPITÃO KIRK
6 anos atrás

COMO SE MARTE FOSSE ASSIM, ESTA NASA QUER ENGANAR O MUNDO DESDE A IDA A LUA DE 1969 QUE NÃO ACONTECEU …

MARCIO LIRA
MARCIO LIRA
6 anos atrás

O Jet Propulsion Laboratory (JPL) é da NASA, não?

MARCOS VINICIUS PEREIRA BORGES
MARCOS VINICIUS PEREIRA BORGES
6 anos atrás

Chega a ser engraçada esta história.
Estes pequenos helicópteros certamente não precisariam de uma base para reabastecimento.
Se o sol em Marte incide de forma análoga à Terra, ele poderia voar tendo em seu corpo placas solares.
Basta que o aparelho seja leve.
Sendo que provavelmente já existam satélites da Nasa em Marte, o aparelho poderia ser controlado pela Nasa, via Satelite.
A coisa é tão infantil, que chega a ser engraçada.

igal flint
igal flint
6 anos atrás

zzzzzzzzzzzzz

wagner
wagner
6 anos atrás

Deviam envestir em drones são mais eficientes tecnologia mais de ponta o helicóptero é meio ultrapassado para esse tipo de tarefa

Karam
Karam
5 anos atrás

3 minutos de autonomia?

Previous Post
Segundo a Embraer, o KC-390 pode transportar 80 soldados ou 64 paraquedistas (FAB)

KC-390 realiza primeiro lançamento de paraquedistas

Next Post
A Azul conta atualmente com cinco jatos Airbus A330 (Thiago Vinholes)

Azul estreia seu primeiro voo para a Europa

Related Posts
Total
0
Share