A Spirit foi a 8° maior companhia dos EUA em 2018, com 29,3 milhões de passageiros transportados (Airbus)

Maior empresa do segmento de viagens ultra low-cost nos EUA, a Spirit Airlines confirmou nesta semana a compra de 100 aeronaves da família A320neo. O pedido da companhia inclui um mix de modelos A319neo, A320neo e A321neo, que serão entregues até 2027. O contrato também oferece a opção de 50 aviões adicionais. O valor da negociação não foi divulgado.

“Este novo pedido representa outro marco para a Spirit”, disse o presidente e CEO da Spirit Airlines, Ted Christie. “As aeronaves adicionais serão usadas para apoiar o crescimento da Spirit à medida que adicionamos novos destinos e expandimos nossa rede nos EUA, América Latina e Caribe. Esperamos ansiosamente trabalhar com nossos valiosos parceiros da Airbus para finalizar nosso contrato. ”

A Spirit Airlines tem hoje a décima maior frota de aeronaves com comerciais dos EUA, com quase 140 jatos Airbus, modelos A319, A320 e A321, além 13 jatos A320neo. Além do novo pedido por 100 aviões, a companhia já havia encomendado outros 55 aparelhos.

“A família Airbus A320 tem sido uma forte plataforma para o notável sucesso da Spirit nos últimos anos”, disse Christian Scherer, diretor comercial da Airbus. “O espírito entusiasmado e contínuo que a companhia aérea demonstra em nossa família A320neo é muito gratificante, e estamos ansiosos para participar do crescimento contínuo da equipe Spirit por muitos e muitos anos.”

A Spirit foi a primeira companhia aéreo do mundo a receber um avião da Airbus produzido na fábrica em Mobile, Alabama, nos EUA, em 2017. A instalação do grupo europeu hoje também está habilitada para produzir os modelos da série A320neo e ainda é preparada para receber uma linha de montagem do A220.

O primeiro A320 americano será entregue a companhia Spirit Airlines (Airbus)

O primeiro A320 “Made in USA” está na frota da Spirit Airlines (Airbus)

Ultra crescimento

A Spirit confirmou a compra dos novos jatos Airbus durante a apresentação de seus resultados comerciais. A empresa divulgou uma receita de US$ 992 milhões no último trimestre, um crescimento de 10% em relação ao resultado do ano anterior. Com o anúncio de ganhos positivos, as ações da companhia subiram 4,6%.

A Spirit Airlines entrou no mercado de aviação comercial em 1993, embora tenha origens bem mais antigas no ramo de voos charter. No início, a empresa era como qualquer outra entre as tantas opções nos EUA, com uma malha de voos regionais baseadas da Flórida. Sem conseguir grandes resultados, o grupo mudou de postura em 2007 e adotou o estilo ultra low-cost.

A Spirit voou com jatos MD-80 até 2006, quando recebeu os primeiros Airbus A320 (Konstantin von Wedelstaedt)

A companhia foi uma das primeiras nos EUA a dissociar as comodidades que normalmente estão incluídas no preço do bilhete básico e passou a cobrar pelos serviços. Essa mudança, além de alterações nas frotas e modelo de operações, reduziram os custos da Spirit em cerca de 40%.

Em abril de 2010, a Spirit se tornou a primeira companhia aérea dos EUA a cobrar passageiros por malas de mão. Mais adiante esse mesmo exemplo foram seguidos pelas outras empresa ultra low-cost dos EUA, a Allegiant Air e pela Frontier Airlines.

Desde que adotou o modelo de tarifas de baixo custo, a Spirit vem crescendo de forma expressiva um ano após o outro e hoje é oitava maior companhia aérea dos EUA. Em 2010, a empresa transportou cerca de seis milhões de passageiros e em menos de 10 anos esse número já quase quintuplicou: em 2018 foram mais de 29,3 milhões.

Veja mais: Queda do Boeing 737 MAX da Lion Air foi causado por uma série de falhas