Airbus cria solução rápida para converter jatos A330 e A350 em cargueiros

Em tempos de pandemia, aeronave de passageiros estão voando transportando insumos médicos; solução também pode ser adotada modelos A340 e A380
(Airbus)
O A350 com a cabine modificada pode receber até 30 paletes, cada um com até 260 kg (Airbus)

A Airbus divulgou nesta quinta-feira (30/4) um plano para modificar jatos de passageiros A330 e A350 e convertê-los rapidamente para transportar cargas. Segundo a fabricante, essa solução ajudará na continuidade dos negócios das companhias aéreas e reduzir a escassez global de transporte aéreo de carga em meio a pandemia de Covid-19.

A proposta da Airbus é instalar suportes para paletes nos trilhos dos assentos no piso da cabine de classe econômica, sem precisar realizar modificações no interior da aeronave. Posteriormente, os aviões poderão ser reconfigurados para receber passageiros.

O grupo europeu frisou que a solução de conversão rápida das aeronaves facilita as operações de carramento e descarregamento, além de reduzir o uso e o desgaste dos assentos da cabine. Outros benefícios incluem itens de segurança adicionais contra incêndios e “proteções robustas” para impedir o deslocamento dos paletes durante o voo, como frisa a Airbus.

A modificação é fornecida para os operadores dos jatos A330 e A350 como um “Boletim de Serviço da Airbus” e podem ser realizadas imediatamente. A agência de aviação civil da Europa (EASA) estabeleceu um período de isenção de oito meses para permitir que as transportadoras comecem a usar seus widebodies para carga enquanto a crise do coronavírus persistir.

Piloto de testes da Airbus e vice-presidente das operações de voo da empresa, Yann Lardet, disse ao Flight Global que houve uma “evaporação” no transporte de passageiros, enquanto a demanda por suprimentos médicos aumentou. Ele diz que entre 45% e 50% desses itens estão sendo transportados nos porões de carga de aviões de passageiros ou mesmo sobre os assentos.

A conversão das aeronaves pode ser realizada nas bases dos clientes e não requer kits especiais. “Tentamos encontrar uma solução rápida. Ele usa equipamento de carga padrão que pode ser adquirido facilmente”, afirmou Matthias Ierovante, líder do projeto e especialista em programas dos A330 e 350.

Cabine de um widebody repleto de cargas sobre os assentos. Solução da Airbus evita essa situação (Aer Lingus)

Cerca de 30 paletes podem ser instalados em um A350, e 28 no A330. Cada palete é capaz de suportar 260 kg de carga e ocupa um volume de 2,7 m³. Ierovante disse ainda que há uma pequena demanda para equipar modelos A340 e disse que a Airbus estaria preparada para analisar a modificação do A380 se os clientes solicitassem. A modificação pode ser realizada em “alguns dias”, disse o executivo da Airbus.

De acordo com os critérios da EASA, equipamentos no interior que gerem calor, como sistemas de entretenimento de bordo, tomadas de energia e itens de cozinha, devem ser desativados no aviões modificados para transportar cargas. A agência também recomenda desligar os sistemas suplementares de oxigênio e retirar da cabine dispositivos portáteis com baterias de lítio.

Cerca de 20 operadores solicitaram a assistência da Airbus para modificar suas aeronaves, disse Ierovante, sem identificar os clientes.

Veja mais: Veja como podem ser os assentos do aviões após a pandemia

Total
0
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post

SAAB entrega primeiro “avião-radar” GlobalEye

Next Post
Boeing 777-9

Segundo Boeing 777X voa pela primeira vez

Related Posts
Total
0
Share