Airbus testa novo A321LR na rota Paris – Nova York

Novo jato europeu tem o maior alcance entre as aeronaves de um corredor, capaz de percorrer 7.400 km sem paradas
A Airbus já recebeu mais de 100 pedidos pelo novo A321LR (Airbus)
A Airbus já recebeu mais de 100 pedidos pelo novo A321LR (Airbus)
A Airbus já recebeu mais de 100 pedidos pelo novo A321LR (Airbus)

O jato comercial mais recente da Airbus, o novo A321LR, voou pela primeira vez no final de janeiro deste ano e, apesar de ainda ter realizado poucos testes, já foi enviado para uma difícil avaliação: demonstrar seu comportamento na rota Paris – Nova York, umas das mais movimentadas do mundo e que normalmente é executada por aeronaves de grande porte, o que não é o caso da nova versão do A321neo.

O A321LR, cuja sigla significa “Long Range” (Longo Alcance), voou nessa terça-feira do Aeroporto de Le Bourget, próximo a capital francesa, para o Aeroporto Internacional John F. Kennedy, em Nova York, informou a Airbus. A viagem entre os dois pontos tem cerca de 5.850 km e dura cerca de 8h25 na ida aos Estados Unidos e 7 horas no retorno a Paris.

E o novo jato da Airbus realiza a rota Paris – NY com sobras de combustível: a aeronave foi projetada para percorrer até 7.400 km sem precisar realizar paradas. Com essa autonomia, a maior entre os aviões comerciais de um corredor, o A321LR ainda pode cumprir trechos como Dubai – Pequim, Kuala Lumpur – Tóquio e Recife – Lisboa.

Além do longo alcance, o A321LR também é o jato comercial de um corredor com a maior capacidade de passageiros, podendo ser configurado com até 240 assentos em classe única.

A Airbus afirma já ter registrado mais de 100 pedidos pelo A321LR, cujas primeiras entregas estão programadas para acontecer até o final de 2018. A fabricante acredita que a tendência é que o novo jato substitua aeronaves de grande porte (widebody) que serão aposentadas nos próximos anos.

Boeing prepara concorrente

A Boeing também está atenta a tendência de jatos de um corredor com grande capacidade de passageiros e longo alcance. A resposta da fabricante norte-americana nesse segmento será o 737 MAX 10, o maior 737 nos mais de 50 anos de história da série. A aeronave poderá ser configurada para transportar entre 188 e 230 passageiros, com autonomia estimada em 6.110 km. As primeiras entregas do MAX 10 devem começar a partir de 2020.

O 737 MAX 10 será o maior 737 da história, com 43,8 metros de comprimento (Boeing)
O 737 MAX 10 será o maior 737 da história, com 43,8 metros de comprimento (Boeing)

Veja mais: Emirates anuncia pedido firme por 20 Airbus A380

Total
0
Shares
1 comment
  1. … VEJA SÓ… SE NUMA VIAGEM LONGA, DE MAIS DE 6 Hs. DE DURAÇÃO, VIAJANDO EM UM AVIÃO DE DOIS CORREDORES E BEM ESPAÇOSO, JÁ É CANSATIVO E ESTRESSANTE… IMAGINE, VIAJAR DE PARIS A NOVA YORK, EM UM A321, DE UM SÓ CORREDOR, ESPREMIDO, SEM NENHUM CONFORTO E COM A SENSAÇÃO DE ESTAR DENTRO DE UM CAIXOTE ESTREITO… NINGUÉM MERECE. NA MINHA OPINIÃO, O A321, NÃO É O AVIÃO IDEAL PRA SE VIAJAR TRECHOS TÃO LONGOS ASSIM !!!

Comments are closed.

Previous Post
A Emirates é o maior operador do A380, com mais de 100 unidades na frota (Airbus)

Emirates anuncia pedido firme por 20 Airbus A380

Next Post

Norwegian Air revela interesse em rota entre Inglaterra e Brasil

Related Posts