Boeing 787-9 da Norwegian Air (Divulgação)

Na véspera de seu primeiro voo entre Londres e Buenos Aires utilizando o aeroporto de Gatwick, ao sul da capital britânica, a companhia aérea Norwegian Air  revelou ter planos de expandir sua presença na América do Sul. Em entrevista ao jornal The Guardian, Bjørn Kjos, presidente da empresa, revelou que em breve o Brasil, Chile e Uruguai poderão ter voos semelhantes partindo de Gatwick.

“Temos grandes planos para a Argentina. Vai ser muito interessante ver as conexões futuras que podemos oferecer a partir de um hub em Buenos Aires. A América do Sul está mal atendida”, disse o executivo. O primeiro voo da Norwegian para a Argentina ocorre nesta quarta-feira (14) com um Boeing 787-9 configurado para 344 lugares, sendo 35 na executiva e 309 na econômica.



Serão quatro frequências semanais, duas à noite e duas pela manhã, operando do segundo aeroporto mais movimentado da Inglaterra. Distante cerca de 45 km do centro de Londres, Gatwick está sendo transformado no hub da Norwegian para voos transoceânicos e base do 787. “O Reino Unido será o ponto de partida da nossa expansão global contínua”, explicou Kjos.

A tarifa cobrada no trecho espanta: são 260 libras por uma viagem de ida, pouco menos de R$ 1.200 – a classe executiva sai por 699 libras, ou R$ 3,2 mil. Para se ter uma ideia, a LATAM e a British Airways cobram aproximadamente R$ 2 mil pela viagem em uma perna na econômica, ou 67% a mais.

Bjørn Kjos ainda fez questão de cutucar suas rivais na rota ao questionar por que elas ainda usam aviões antigos e “queimam muito combustível”. O segredo, segundo ele, é unir um avião eficiente como o 787 com custos semelhantes ao de uma empresa low-cost regional.

Bjørn Kjos, CEO da Norwegian Air: “América da Sul é mal atendida” (Divulgação)

Filial argentina

O apetite da Norwegian pela América do Sul pode ser comprovado pela recente criação da filial argentina da empresa. Fundada em 2017, a Norwegian Air Argentina recebeu seu primeiro avião e autorização para voar em janeiro e deve estrear em breve no país vizinho. Voos para o Brasil já estão nos planos, inclusive. Por enquanto, a companhia voará com o 737-800, mas o 787 também deve ser usado no futuro.

Já no campo global, a Norwegian deve ser uma das principais usuárias do A321neo, que acaba de provar ser possível voar entre Paris e Nova York sem escalas na versão LR. A companhia receberá os primeiros jatos em 2020 e com isso ampliará ainda mais as possibilidades de destinos internacionais. Até lá, quem sabe, o Brasil já esteja na rota da agressiva empresa norueguesa.

Veja também: Ryanair venderá passagens para o Brasil

O primeiro Boeing 737-800 da Norwegian Argentina foi recebido no dia 15 de janeiro