American Airlines confirma retorno do voo sazonal entre o Rio e Nova York

Companhia aérea vai operar frequência entre 18 de dezembro e 29 de março de 2020 com um Boeing 777-200
Boeing 777-200 da American: companhia voltará a operar entre Rio e Nova York
Voo sazonal da American para o Rio será operado com jatos Boeing 777-200 (Masakatsu Ukon)

Pela primeira vez em sua história sem estar ligado por uma rota direta a Nova York, o Rio de Janeiro voltará a contar com um voo sazonal da American Airlines a partir de 18 de dezembro. A companhia aérea confirmou o retorno da frequência diária durante a alta temporada que vai até o dia 29 de março de 2020.

O voo será operado com o Boeing 777-200 com capacidade para 272 passageiros em três classes. Com isso, os passageiros com destino à capital fluminense e região terão a opção de evitar uma conexão indesejada seja no Brasil ou nos Estados Unidos – a American hoje voa diariamente do Galeão para Miami e de São Paulo para Nova York.

“Nos orgulhamos por operar no Brasil ininterruptamente há quase 30 anos e sermos a companhia com maior oferta de voos para os EUA. O Rio tem um significado especial para nossa empresa, pois foi onde iniciamos nossa história no Brasil, em 1990. Portanto, voltar a conectar diretamente a cidade com Nova York, um dos principais destinos turísticos e corporativos do mundo, tem um sabor especial para nós”, afirma Alexandre Cavalcanti, diretor regional de vendas da American Airlines para o Brasil.

Apesar da declaração animada, não há planos para transformar o voo novamente em uma frequência ininterrupta, como ocorria até março deste ano quando a própria American Airlines decidiu suspender o serviço entre as duas cidades. Depois de um período sem novidades, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, anunciou em redes sociais em setembro que o voo voltaria a ser realizado de forma definitiva.

767 da Delta: voo sazonal entre Rio e Nova York vai ocorrer entre janeiro e março de 2020

Vai-e-vem

Sem o voo da American, restava apenas a frequência sazonal da rival Delta Air Lines, mas em maio a companhia anunciou que não voltaria a operar a rota. Dias depois, a empresa voltou atrás e agora tem programado um voo sazonal entre 02 de janeiro e 03 de março de 2020 com um Boeing 767-300ER.

Quanto às companhias aéreas brasileiras, há ainda menos expectativa de voarem entre o Rio de Janeiro e Nova York. A LATAM, que fez a rota até meados de 2017, decidiu concentrar seus voos de longo curso em Guarulhos. A Azul, por sua vez, tem optado em voar para os EUA a partir de Viracopos e Confins enquanto a Gol não possui uma aeronave capaz de voar sem escalas nesse trecho.

Ligação histórica

Os aviões que fizeram a rota Rio de Janeiro-Nova York começaram a voar entre as duas cidades poucos anos após o nascimento da aviação. Já na década de 1920 havia hidroaviões chegando à então capital federal como os da famosa Pan Am que utilizava um píer próprio para atracar seu aparelho no que mais adiante seria o aeroporto Santos Dumont. Na época, era necessário fazer inúmeras escalas e perder dias para chegar ao destino. Foi somente após a Segunda Guerra que os aviões passaram a fazer o caminho operando a partir de pistas e logo a Varig inaugurou sua frequência em 1955 com destino à Nova York a bordo dos inconfundíveis Lockheed Super Constellation que faziam escalas em Belém, Port of Spain e Santo Domingo, no Caribe.

No início dos anos 60 os imensos (para a época) Boeing 707 assumiram a rota que passou a ser feita sem escalas pela primeira vez. Desde então, o Rio foi palco de voos de várias companhias aéreas como Braniff, United, US Airways e TAM, entre outras. Mas com a inauguração em 1985 do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, a capital paulista voltou a poder receber voos de longa distância e tanto Varig como Pan Am passaram a esticar seus voos até lá. Com a demanda crescendo, logo alguns voos acabaram ligando São Paulo diretamente à Nova York.

Veja também: Após ressaca com LATAM, American Airlines lança novo para Miami

Total
0
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post

Azul recebe primeiro Airbus A321neo do Brasil

Next Post

Copa Airlines programa retorno do 737 MAX ao Brasil para março de 2020

Related Posts
Total
0
Share