Argentina confirma desenvolvimento do novo avião de treinamento “Malvina”

Aeronave de treinamento básico de uso civil e militar será produzida pela fabricante local FAdeA
O Malvina é uma continuação do Programa IA-100, que foi suspenso em 2016 (Casa Rosada)
O Malvina é uma continuação do Programa IA-100, que foi suspenso em 2016 (Casa Rosada)

O Ministério da Defesa argentino anunciou nesta segunda-feira, 24 de agosto, o lançamento do projeto IA-100 “Malvina”, uma aeronave direcionada para treinamento básico de pilotos civis e militares. O desenvolvimento e produção do avião monomotor será conduzido pela Fábrica Argentina de Aviones (FAdeA), que receberá um financiamento de US$ 2,5 milhões do Instituto de Ajuda Financeira para o Pagamento de Aposentadorias e Pensões Militares (IAF).

“É uma iniciativa criativa e inovadora que constitui um ponto de partida para que posteriormente outros investimentos produtivos possam ser financiados da mesma forma que estamos realizando este”, disse o ministro da defesa da Argentina, Agustín Rossi, sobre a participação do IAF.

O Malvina será o primeiro avião desenvolvido pela FAdeA em mais de 30 anos. O projeto mais recente da fabricante argentina é o jato de treinamento avançado e ataque leve IA-63 Pampa, integrado à Força Aérea Argentina (FAA) em 1988. “É um ponto de inflexão para a fábrica que há muito tempo não produz um avião novo. É emblemático para a nossa gestão e para a fábrica”, comentou o ministro argentino.

O nome da nova aeronave é uma referência as Ilhas Malvinas, território britânico no Atlântico Sul oficialmente chamado Ilhas Falkland e que é reivindicado por Buenos Aires. A disputa pelo arquipélago levou a Argentina a uma guerra contra o Reino Unido em 1982, no qual os sul-americanos foram derrotados. Malvina também um nome feminino comum no país.

“Lançamos esta iniciativa em um momento em que a indústria aeronáutica está em profunda crise em todo o mundo, mas na Argentina decidimos apostar muito nesta indústria, que é uma das mais importantes da indústria de defesa”, disse Rossi.

A presidente da FAdeA, Mirta Iriondo, afirmou que “este projeto incentiva o desenvolvimento da indústria aeronáutica nacional, pois através da FAdeA fornecedores locais estarão envolvidos em um projeto com alto potencial de crescimento, entendendo que esta nova aeronave poderá ser oferecida a forças aéreas de outros países para o treinamento de seus pilotos”.

O comandante da FAA, o Brigadeiro Isaac, também celebrou a aprovação do projeto: “É uma alegria iniciar este projeto. Quero destacar algo que não é menor: este protótipo que sairá do FadeA será um avião que balizará os manuais de produção para defesa, e faz parte de uma exigência operacional feita pela Força Aérea Argentina”.

Concepção artística do Malvina na configuração para três ocupantes (FAdeA)

Novo, mas nem tanto

O Malvina é uma continuação do Programa IA-100, um demonstrador de tecnologia para uma aeronave de treinamento acrobático desenvolvido pela FAdeA entre 2014 e 2016, quando acabou suspenso. Agora o projeto será retomado incorporando os requisitos pedidos pela Força Aérea Argentina.

A aeronave será produzida na sede da FAdeA em Córboda. A fabricante afirma que o avião tem baixo custo de aquisição e de operação e terá uma vida útil de aproximadamente 30 anos. O projeto também prevê o desenvolvimento de versões do Malvina para três e quatro ocupantes.

Veja mais: Quais aeronaves faltam nas forças armadas do Brasil?

Total
49
Shares
Previous Post

Japão quer vender cargueiros Kawasaki C-2 aos Emirados Árabes Unidos

Next Post

Rússia testa o caça Su-57 pilotado por controle remoto

Related Posts
Total
49
Share