ATR inicia certificação de avião abastecido com 100% de combustível sustentável

Modelo ATR 72-600 movido por SAF será operado pela companhia sueca Braathens Regional Airlines
A ATR já testou um turboélice com um motor PW127 abastecido com SAF (ATR)

A fabricante franco-italiana ATR anunciou nesta semana que iniciou o processo de certificação do turboélice ATR 72-600 abastecido com 100% de combustível sustentável de aviação (SAF, na sigla em inglês). O projeto é realizado em parceria com a petrolífera finlandesa Neste e a companhia aérea sueca Braathens Regional Airlines, que será o operador de lançamento da aeronave movida a SAF.

A Braathens já realizou voos de teste com um de seus ATR 72-600 abastecido com uma mistura de 50% de querosene e 50% de SAF. Os ensaios, executados em 2019, permitiu uma redução de 46% das emissões de CO2 da aeronave, revelou a empresa na época. Em 2021, a companhia sueca se associou a ATR e a Neste para dar continuidade ao projeto.

Em fevereiro deste ano, a ATR iniciou uma campanha de testes com uma aeronave protótipo ATR 72-600 na qual um motor PW127 foi alimentado com combustível fóssil e outro com SAF. Segundo o fabricante, o avião com essa configuração acumulou sete horas de voo e recebeu críticas positivas das tripulações. O próximo passo agora é abastecer os dois motores com o combustível ecológico.

Engenheiro de sistemas de propulsão da ATR, Romain Pomier comentou que o objetivo da fabricante e de seus parceiros no projeto é alcançar a certificação para o ATR 72-600 abastecido com 100% de SAF entre 2024 e 2025. Os voos de demonstração, ainda sem data definida para começar, serão realizados na Suécia, na rota entre Malmö e Estocolmo, simulando uma operação comercial da Braathens.

Per G. Braathen, presidente da companhia regional sueca, disse que “é absolutamente vital que a aviação vá ainda mais longe para se descarbonizar. É o que queremos e o que nossos passageiros e o público em geral esperam. No entanto, devemos ser realistas e aceitar que hoje é impossível atingir esse objetivo com uma única ação concreta. Este é um processo com muitas etapas e no curto prazo a forma mais eficiente de reduzir as emissões de CO2 é aumentar o uso de SAF. A parceria com a ATR para obter a certificação 100% SAF nos permitirá atingir nossa meta de 100% SAF em nossas aeronaves até 2030”.

SAF

A adoção de combustível de aviação sustentável será um passo importante para a redução das emissões de CO2, já que a ATR estima que um turboélice abastecido 100% com SAF pode emitir 82% menos dióxido de carbono do que uma aeronave abastecida com querosene comum.

Em vez de ser refinado a partir do petróleo, o SAF é produzido a partir de recursos sustentáveis, como óleos de origem biológica descartados (como óleo de cozinha) e resíduos agrícolas ou CO2.

Total
26
Shares
Previous Post

Com autonomia ímpar, A321XLR realiza voo inaugural

Next Post

Opinião: políticos não têm que apitar sobre despacho de mala

Related Posts
Total
26
Share