Avianca Brasil deixa a Star Alliance

Em recuperação judicial desde o final de 2018, a Avianca Brasil encerrou seus voos em junho
Avianca Brasil terá um enorme desafio para sobreviver nesta semana (Avianca)
O Certificado de Operador Aéreo da Avianca Brasil foi suspenso pela ANAC em junho (Avianca)

A companhia aérea brasileira Ocean Air Linhas Aéreas S/A, baseada em São Paulo e que operava anteriormente como Avianca Brasil, deixará formalmente a Star Alliance a partir de 1º de setembro de 2019.

A saída da Ocean Air acontece após vários meses de estado pré-falimentar e a suspensão de seu Certificado de Operador Aéreo (COA) pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

“Ao ingressar na Star Alliance em 2015, a Avianca Brasil promoveu contribuições importantes para a nossa proposta junto aos clientes no mercado brasileiro, e lamentamos esse infeliz acontecimento”, afirmou Jeffrey Goh, CEO da Star Alliance.

Em comunicado, a Star Alliance ressaltou que a saída da Avianca Brasileira não afeta de forma alguma a participação da Avianca Holdings, que continua como membro da aliança de companhias aéreas, que a partir de setembro contará com 27 empresas membros.

Onze das companhias aéreas associadas à Star Alliance disponibilizam operações diretas a partir de e para o Brasil: Air Canada, Avianca, Air China, Copa Airlines, Ethiopian Airlines, Lufthansa, SWISS, South African Airways, TAP Air Portugal, Turkish Airlines e United.

Juntas, as empresas membros da Star Alliance operam 588 voos semanais de 11 pontos domésticos no Brasil para 17 hubs de companhias do grupo, oferecendo conexões para 738 destinos internacionais.

A Stal Alliance está presente no Brasil desde 1997, mesmo ano em que a aliança foi criada.

Veja mais: Boeing aumentará produção do 767

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
anne Karoline Maciel de carvalho barbosa

Nosssa!!! Desde 2018 tento emitir passaens com os pontos amigo 60.000 pontos jogads ao vento???? Não há como emitir por uma parceira ainda?

Previous Post

Boeing aumentará produção do 767

Next Post

Turbo-hélices de passageiros voltam a ser uma aposta no mercado

Related Posts