‘Avião azarado’ da Embraer teria sido comprado pela presidente do Palmeiras

Jato E190-E2 que passou por três clientes e nunca foi entregue foi associado à Placar Linhas Aéreas
O primeiro E190-E2 da Placar Linhas Aéreas
O primeiro E190-E2 da Placar Linhas Aéreas (Embraer)

O jato comercial E190-E2 da Embraer de número de série 19020016 parece que terá enfim um dono. Na verdade, uma proprietária, a empresária Leila Pereira, conhecida por ser a presidente do Palmeiras.

Como Airway mostrou em primeira mão, a aeronave fabricada em 2021 foi associada a várias companhias aéreas e chegou a receber a pintura de duas delas, a Congo Airways e a Madagascar Airlines, mas nunca foi entregue.

As razões nunca envolveram aspectos técnicos e sim problemas de seus potenciais clientes, que passaram por mudanças de estratégias e crises financeiras.

Mas desta vez parece que o E190-E2 terá um final feliz, passando a ser o segundo o jato do tipo na frota da Placar Linhas Aéreas, empresa criada por Leila para operar a primeira aeronave, que é usada pelo time de futebol em viagens para seus jogos.

O azarado E190-E2 durante a visita do Primeiro Ministro do Vietnã (Nhat Bac)

Avião com menos assentos, mas não tão VIP

Leila revelou a nova aquisição em um programa de TV, que se juntará ao jato PS-LMP, recebido em junho de 2023.

Ainda com o registro provisóirio 2-RLMT, o novo E190-E2 realizou um voo em 28 de fevereiro, saindo de Montevidéu para São José dos Campos, em SP, onde fica a sede da Embraer.

Siga o AIRWAY nas redes: WhatsApp | Telegram | Facebook | LinkedIn | Youtube | Instagram | Twitter

Leila Pereira a bordo do E190-E2
Leila Pereira a bordo do E190-E2

Esse tipo de voo geralmente envolve a nacionalização da aeronave que, embora seja produzida no Brasil, precisa atender a alguns aspectos burocráticos e legais para ser usada no país.

Segundo Leila, o segundo E190-E2 terá sua capacidade de passageiros reduzida de 114 para 98 assentos. Não se trata, portanto, de uma configuração executiva, mas mais apropriada a voos de fretamento.

Não é por outro motivo que a empresária também dona da Crefisa pretende obter o Certificado de Operador Aéreo da Placar. Com isso, ela poderá prestar serviço com sua frota de jatos para outros clientes quando o Palmeiras não precisar deles.

Total
0
Shares
1 comment
  1. Por que a Embraer não fabrica o próprio avião presidencial? não seria uma estratégia para alçar patamares mais ousados no mercado das grandes aeronaves. Potencial e história ela tem para isso.

Comments are closed.

Previous Post
Jato E195-E2 no Singapore Airshow (Embraer)

Embraer é capaz de quebrar duopólio Airbus-Boeing, aposta banco

Next Post
O primeiro trem do People Mover do Aeroporto de Guarulhos

Aeroporto de Guarulhos ganha o primeiro trem do “People Mover”

Related Posts
Total
0
Share