Avião elétrico da Zunum vai usar motor de helicóptero como gerador

Safran, da França, vai fornecer um turbo-gerador para o avião com motorização híbrida da Zunum Aero; primeiro voo é esperado para 2020
A Boeing também é parceira da Zunum Aero, startup que está desenvolvendo o que pode ser o primeiro avião comercial elétrico (Divulgação)
A Boeing também é parceira da Zunum Aero, startup que está desenvolvendo o que pode ser o primeiro avião comercial elétrico (Divulgação)
A Boeing também é parceira da Zunum Aero, startup que está desenvolvendo o que pode ser o primeiro avião comercial elétrico (Divulgação)
A Zunum Aero já conta com investimentos da Boeing e da companhia JetBlue (Divulgação)

A Zunum Aero, startup dos Estados Unidos que planeja lançar uma família de aeronaves com motorização híbrida-elétrica, selecionou a Safran Helicopter Engines, da França, para fornecer uma turbina de nova geração para acionar o gerador elétrico do Zunum ZA10, que será o primeiro avião dessa nova categoria. O plano da empresa americana é realizar o primeiro voo do modelo até 2020.

Segundo a Safran, a motorização proposta para os aviões da Zunum Aero pode oferecer custos de operação “extraordinariamente baixos”. A previsão é que a nova aeronave proporcionará um custo aproximado de apenas 8 centavos de dólar (R$ 0,30) por assento-quilômetro ou US$ 250 (R$ 935) por hora de voo da aeronave híbrido-elétrica, o que é de 60% a 80% menor do que os gastos exigidos por aeronaves convencionais de porte semelhante ao do ZA10.

A motorização sugerida pela Zunum para seus aviões é semelhante a dos automóveis híbridos mais recentes. Esses veículos são impulsionados exclusivamente por eletricidade e usam motores a combustão somente para acionar geradores elétricos que recarregam suas baterias.

De acordo com a Zunum, a turbina fornecida pela Safran (o modelo Ardiden 3Z) deve apresentar uma potência na faixa de 1.700 a 2.000 shp.

“A aeronave Zunum ZA10 trará um desempenho revolucionário para a aviação regional, abrindo caminho para serviços aéreos de alta velocidade rápidos, eletrificados e acessíveis às comunidades de todos os lugares”, disse Matt Knapp, co-fundador da Zunum Aero.

(Divulgação)
O ZA10 é projetado para transportar 12 passageiros; fabricante ainda planeja aviões maiores (Divulgação)

O Zunum ZA10 é projetado para transportar 12 passageiros e proposto para atuar no mercado de aviação regional em viagens de curto alcance, com alcance aproximado de 1.120 km.

O primeiro cliente da aeronave será a JetSuite, companhia dos EUA que oferece voos fretados e sob demanda, e que pretende adquirir até 100 unidades. A previsão da fabricante é entregar os primeiros aviões a partir de 2022.

Veja mais: Zunum Aero quer ser a Tesla Motors da aviação

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Valmir
Valmir
2 anos atrás

Falta explicar vantagem desse projeto. A turbina pode ficar desligada em voo? Como é feita propulsão somente com a bateria? Se a turbina não desligar ela teria que funcionar só com bateria, mas isso reduz a propulsão. Se a turbina permanecer ligada o tempo todo não há economia de combustível. Ou a bateria vai acionar um motor elétrico acoplado a hélices?

Previous Post

Novo porta-aviões britânico realiza primeiras operações com caças F-35B

Next Post
As apresentação da Esquadrilha da Fumaça são realizadas com seis aeronaves Embraer Super Tucano (FAB)

Cidades do interior paulista recebem Esquadrilha da Fumaça

Related Posts