Avião experimental que promete voos supersônicos mais silenciosos será apresentado em janeiro

Desenvolvido pela Lockheed Martin a pedido da NASA, o X-59 vai testar tecnologias capazes de evitar ou atenuar o ruído causado pela quebra da barreira do som
Aeronave de pesquisa X-59 QueSST da NASA
Primeiro voo do X-59 é programado para 2024 (NASA)

O aguardado programa Quesst (Quiet SuperSonic Technology ou Tecnologia Supersônica Silenciosa) da NASA, que estudará tecnologias para reduzir o ruído causado pela quebra da barreira do som, teve a apresentação do protótipo X-59 marcada para 12 de janeiro de 2024.

Desenvolvido pela Lockheed Martin, o jato experimental deverá voar em algum momento do ano que vem, espera a agência governamental.

A missão, como a NASA chama o programa, teve início em meados da década passada, quando a Lockheed foi contratada para desenvolver um projeto preliminar que utilizasse conceitos capazes de reduzir ou eliminar o ‘boom’ supersônico.

O ruído causado pelo voo acima da velocidade do som é um dos grandes desafios para que aeronaves civis possam entrar em operação, já que a poluição sonora terá de ser evitada para que governos possam aprovar seu uso.

A montagem do protótipo do X-59 teve início em 2018 nas instalação da Lockheed Martin em Palmdale, Califórnia. O primeiro voo era esperado para 2023, mas em outubro a agência decidiu ajustar o cronograma e postergar a decolagem inaugural.

Demonstrador supersônico: X-59 é projetado para voar a velocidade máxima de 1.510 km/h (Lockheed Martin)

O X-59 é uma aeronave que lembra um caça de combate, e não por acaso utiliza alguns componentes de outras aeronaves como o trem de pouso do F-16 e o sistema de suporte de vida do F-15.

Ele possui um longo comprimento de 29 metros, graças ao enorme nariz que, somado ao formato de cintura da fuselagem, teriam a capacidade de “suavizar” o boom supersônico.

Siga o AIRWAY nas redes: Facebook | LinkedIn | Youtube | Instagram | Twitter

A aeronave possui canards, estabilizadores verticais e horizontais e asas bastante curtas, além da ausência de para-brisas na cabine do piloto. Ele se guia para a frente por meio de uma câmera. Além disso, a Lockheed Martin equipou o x-59 com um motor General Electric F414, usado em caças como o F/A-18.

Espera-se que o aprendizado com o programa Quesst possa ser absorvido por projetos de aeronaves civis supersônicas no futuro e assim tornar os voos mais velozes uma realidade para o cidadão comum.

 

Total
1
Shares
Previous Post

Jato C919 faz primeiro voo fora da China continental

Next Post

Empresa de leasing faz megaencomenda de 140 jatos A321neo e 737 MAX

Related Posts
Total
1
Share