Aviões estão mais próximos para pousar em Guarulhos

Nova separação reduziu distância entre aviões de 9,2 km para 5,5 km e aumentou capacidade de operações por hora para 52 pousos e decolagens
Aeroporto de Guarulhos: redução no intervalo dos pousos para aumentar capacidade
Aeroporto de Guarulhos: redução no intervalo dos pousos para aumentar capacidade
Aeroporto de Guarulhos: redução no intervalo dos pousos para aumentar capacidade
Aeroporto de Guarulhos: redução no intervalo dos pousos para aumentar capacidade (Governo Federal)

Desde quinta-feira (08), os aviões que alinham para pousar em Guarulhos, o maior aeroporto do país, estão voando mais próximos. Um novo padrão de operações passou a ser adotado a fim de aumentar a capacidade de 47 para 52 pousos e decolagens por hora. Com isso, a distância entre aeronaves na aproximação para pouso caiu de 5,5 milhas (9,2 km) para 3 milhas (5,5 km).

O objetivo da medida é permitir mais slots para companhias interessadas em operar em Guarulhos. Para que isso fosse possível, foi preciso envolver desde a GRU Airport, concessionária que administra o aeroporto, a Infraero, responsável pela torre de controle, e também o DECEA, departamento que comanda as operações aéreas na região.

Gargalos como saídas da pista após o pouso foram eliminados e as próprias companhias aéreas precisaram aprimorar a comunicação com a torre e reduzir o tempo de taxiamento para liberar rapidamente a pista. A estratégia deverá ser implementada em outros aeroportos, a princípio.

Veja como é a nova aproximação dos aviões em Guarulhos
Veja como é a nova aproximação dos aviões em Guarulhos

Pousos simultâneos

Embora seja o aeroporto mais movimentado do país, com cerca de 800 voos diários,  Guarulhos possui apenas duas pistas que têm uma separação inferior a que permite operações simultâneas – são 375 metros quando seria necessário ao menos 760 metros. Por essa razão, a única forma de aumentar o número de operações é agilizar o trânsito dos aviões.

Apesar disso, há estudos para que o aeroporto passe a operar pousos quase simultâneos, nos moldes do que faz hoje o aeroporto de San Francisco, nos Estados Unidos.

Veja também: avaliação de aeroportos brasileiro sobe em um ano

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
12 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alexandre Berejuk
Alexandre Berejuk
6 anos atrás

Sugestão: usar uma foto atual, talvez a própria GRU Airport forneça (a foto do post – tirada da torre – é do período de construção do T3).
Dúvida: essa distância mínima entre as pistas para operação simultânea está de acordo com a norma brasileira?

Geraldo Silva Rocha
Geraldo Silva Rocha
6 anos atrás

Para os Comandantes e Co-Pilotos que operam ou operaram na aviação internacional(Europa e USA) com bom treinamento está ótimo,para os pilotos da aviação nacional precisamos mais divulgação Ex.como pousar e livrar sem parar na pista de pouso livrar a pista sempre nas saídas rápidas etc.a iniciativa é ótima Parabéns.

Zavoc
6 anos atrás

Estive em um voo que aterisou em Guarulhos a um mes atras onde o piloto teve que arremeter por que havia outro aviao na pista….imagina agora com essa distancia menor…Deus nos proteja!

João Francelino
6 anos atrás

É triste ver com o passar dos anos que a moradia irregular está se alastrando freneticamente. E as autoridades não fazem nada.
Entorno do aeroporto e até na serra da Cantereira percebe-se o queijo suíço com o desmatamento.

Henrique Araújo
Henrique Araújo
6 anos atrás

Pousei em GRU (voo vindo de Madri) quinta-feira, dia 08.10. A aeronave, logo após livrar a pista de pouso, ficou 20 min na pista de táxi esperando finger livre no T3. Não adianta aumentar a capacidade de pouso se não há capacidade de operação em terra.

Gilberto
Gilberto
6 anos atrás

Só mesmo na republiqueta de bananas que se concentra praticamente todos os vôos em um único aeroporto. Por isso é que essa joça de pais não vai para frente. Imaginem uma pessoa que vem da Europa e vai a Recife precisar passar por sobre a cidade, Voar + 3 horas, ir a SP e depois voar + 3 horas de volta. É o fim da picada.

roberto antonio souza leite

obras importantes para infraestrutura busines iportante ao pais
e toda america latina;;

Fabio
Fabio
6 anos atrás

É a crise… precisam aumentar o número de voos por hora.

Reinaldo
Reinaldo
6 anos atrás

Sugiro colocar uma foto mais atualizada. A foto acima ainda é das obras do terminal 3. Que já está pronto há mais de um ano…

Carlos
Carlos
6 anos atrás

A respeito do comentário de Gilberto.
Pode-se pular de paraquedas em Recife ou aproveitar o tur pelo pais antes de chegar ao destino.

Nogueira
Nogueira
6 anos atrás

Caro Gilberto, você sabia que existem voos diretos da Europa para Recife? E não é de agora não! Quem precisa ir da Europa para Recife/PE ou vice versa, tem de saber sobre a existência de tais voos. É triste ver como brasileiro reclama de tudo e de todos, sem se ater ao trabalho de tomar informações antes de falar. Bem, ter trabalho dá trabalho né, o bom mesmo é se ater apenas em amenidades, não é verdade?

Luiz Carlos Gonçalves
6 anos atrás

Gilberto
Eu não sei em que “joça” de país você vive, mas no Brasil há voos internacionais a partir se várias cidades, como Belo Horizonte, Rio, Recife, Brasília, Manaus, Porto Alegre, Campinas e até Porto Seguro. Eu mesmo viajo todos os anos para Europa e Estados Unidos e nunca saí ou fiz baldeação em Guarulhos.

Previous Post
A companhias dos EUA transportaram 25,3% de todos os passageiros do mundo em 2014 (American Airlines)

Aviação transportou 3,3 bi de passageiros em 2014

Next Post
A Emirates Airlines possui uma frota com 65 aeronaves Airbus A380 (Emirates Airlines)

Airbus A380 começará a voar para o Brasil em novembro

Related Posts
Total
0
Share