Blue Angels vão voar de Super Hornet

Esquadrilha acrobática do US Navy vai aposentar os Boeing F-18 Hornet, em serviço desde 1986
Uma das especialidades dos Blue Angels são as formações de aviões separados por poucos metros (US Navy)
Uma das especialidades dos Blue Angels são as formações de aviões separados por poucos metros (US Navy)

Uma das especialidades dos Blue Angels são as formações de aviões separados por poucos metros (US Navy)

Uma das especialidades dos Blue Angels são as formações de aviões separados por poucos metros (US Navy)

Umas das esquadrilhas acrobáticas mais conhecidas do mundo, os Blue Angles, vai trocar de avião. O US Navy (Marinha dos Estados Unidos), no comando da divisão, contratou a Boeing para converter caças F/A-18 Super Hornet para realizar show aéreos, informou o site FlightGlobal. O esquadrão voa desde 1986 com o modelo F-18 Hornet.

Embora os dois aviões compartilhem o nome “Hornet” e semelhanças claras no design, tratam-se de aeronaves completamente diferentes. A versão “Super” é 40% mais pesada e 25% maior comparado aos F/A-18C/D, a versão mais moderna operada pelos Blue Angels.

O site do Blue Angels cita que o F-18 Hornet continua em serviço por ser mais leve, o que melhora seu desempenho durante as manobras. No entanto, os jatos utilizados pelo grupo estão começando a sentir o peso da idade. Recentemente, durante apresentações em maio e junho deste ano, um painel da estrutura se soltou de dois diferentes F/A-18A.

“Enquanto o Super Hornet tem a tecnologia mais recente, o Hornet é mais apropriado as necessidades atuais da equipe, devido ao seu peso e capacidade de manobra”, informa a página do grupo Blue Angels.

Mudanças radicais

O F-18 “acrobático” é bem diferente da versão de combate. Para realizar manobras invertidas é necessário uma série de modificações na aeronave, como a remoção dos sistemas de armas e a instalação de bombas de combustível especiais, que mantém os motores funcionando com segurança mesmo sob a intensa variação de forças “g” . E claro, não pode faltar a bomba de óleo na cauda para gerar a tradicional fumaça azul do grupo.

O Super Hornet é um dos aviões de combate mais avançados da atualidade (US Navy)
O Super Hornet é um dos aviões de combate mais avançados da atualidade (US Navy)

Esquadrilha da Fumaça

O Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) da Força Aérea Brasileira (FAB), a tradicional Esquadrilha da Fumaça, também trocou de avião recentemente. A equipe da FAB iniciou neste ano as apresentações com o Embraer Super Tucano, que substituíram os antigos Tucanos.

Com o Super Tucano, que tem motor mais potente (mais que o dobro do Tucano), a Esquadrilha da Fumaça aumentou seu leque de manobras, principalmente as de grande dificuldade. Uma das novidades é uma manobra na qual o avião sobe na vertical até perder toda a velocidade e em seguida inicia uma queda em “cambalhota” até estabilizar novamente.

A Esquadrilha da Fumaça estreou o Super Tucano neste ano (FAB)
A Esquadrilha da Fumaça estreou o Super Tucano neste ano (FAB)

Ficha Técnica: Boeing F/A-18 Super Hornet

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Márcio Lira
Márcio Lira
6 anos atrás

O Super Tucano é mais potente e tb mais pesado. Além do que é uma anv com certas restrições, o que fez com que a altura do display do EDA fosse aumentada pra evitar acidentes (já ocorridos com tal anv).

EDLP
EDLP
6 anos atrás

A manobra da Esquadrilha da fumaça citada na matéria como sendo novidade não é novidade não, chama-se Estol de Badalo e já era feita com o T-27 Tucano. (Manobra muito boa de se fazer).

Previous Post
Boeing F/A-18E Super Hornet

Ficha Técnica: Boeing F/A-18 Super Hornet

Next Post
Os Jumbos abandonados na Malásia já são bem "rodados" (Navjot)

Aeroporto na Malásia ameaça destruir Jumbos abandonados

Related Posts
Total
0
Share