Boeing 737 MAX sofre primeira baixa em encomendas após acidentes

Companhia indonésia Garuda cancelou um pedido por 49 aeronaves avaliado em US$ 4,9 bilhões
A Garuda Indonesia é a primeira companhia a cancelar pedidos pelo 737 MAX após os acidentes (Divulgação)
A Garuda Indonesia é a primeira companhia a cancelar pedidos pelo 737 MAX após os acidentes (Divulgação)
A Garuda Indonesia é a primeira companhia a cancelar pedidos pelo 737 MAX após os acidentes (Divulgação)
A Garuda Indonesia é a primeira companhia a cancelar pedidos pelo 737 MAX após os acidentes (Divulgação)

A companhia aérea Garuda Indonesia anunciou nesta sexta-feira (22) o cancelamento da encomenda de 49 jatos 737 MAX 8, após os dois acidentes com o novo jato da Boeing em menos de seis meses. A empresa da Indonésia, que já havia recebido uma aeronave, pretendia receber todos os aviões até 2030. O pedido era avaliado em US$ 4,9 bilhões.

“O motivo é que os passageiros da Garuda perderam a confiança e já querem voar no Max”, disse o porta-voz da companhia, Ikhsan Rosan, à agência AFP. “Enviamos uma carta à Boeing solicitando a anulação do pedido.”

O porta-voz da empresa também revelou que uma delegação da Boeing viajará à Indonésia na próxima semana para discutir os próximos passos do cancelamento. A Garuda Indonesia ainda negocia com a fabricante uma possível devolução do único exemplar do 737 MAX 8 que recebeu.

Apesar do cancelar o pedidos por mais unidades do 737 MAX, presidente da companhia, I Gusti Ngurah Ashkara Danapiputra, declarou ao jornal indonésio Detik que a princípio a empresa não considera deixar de operar com aeronaves da Boeing.

“Não queremos substituir a Boeing, mas talvez façamos a opção por outro modelo da companhia”, disse o executivo ao jornal.

Os acidentes com os 737 MAX 8 da Ethiopian Airlines, neste mês, e da Lion Air, em outubro do ano passado, deixaram um total de 346 mortos. As semelhanças entre os dois desastres motivaram agências de aviação civil no mundo todo a proibir voos com o novo jato comercial da Boeing. A fabricante também suspendeu por tempo indeterminado as entregas da aeronave.

Desde 2017, a Boeing entregou 371 jatos 737 MAX (modelos MAX 8 e MAX 9). A fabricante ainda trabalha no desenvolvimento das versões MAX 7 e MAX 10.

A Garuda Indonesia foi a primeira companhia a cancelar seus pedidos pelo 737 MAX após a sequência de acidentes. Já a Lion Air, um dos maiores clientes do novo jato da Boeing com 201 unidades encomendadas, anunciou recentemente o adiamento da entrega de mais aeronaves MAX 8.

Veja mais: Gol suspende operações com o Boeing 737 MAX 8

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marco Andrade
Marco Andrade
3 anos atrás

Deve ser o primeiro de alguns cancelamentos, o que vai dar forças ao A320 Neo. Imagina o passageiro embarcando e ler na fuselagem Boeing 737 Max 8, já houve perda de confiança.

Jorge Augusto De Morais
3 anos atrás

Eu como piloto também não teria coragem de pilotar é muito menos ser passageiro de um avião problemático e admiro a Boeing não ter dado o simulador de funcionamento do novo sistema aos pilotos nem ter tomado providências antes das quedas .
Com certeza Airbus A330 neo vai levar vantagem

Lucas Vieira
Lucas Vieira
3 anos atrás

Marco Andrade, cuidado com precipitações em conclusões, e em parte a imprensa é culpada por isso. Lembre do Electra II, que sofreu desse mesmo mal, e mesmo assim foi um dos aviões mais seguros que já operaram no Brasil. 737 em qualquer versão é um excelente avião, e nenhuma morte na aviação é em vão, só a torna mais segura. Vamos aguardar. Garuda só quer aparecer com essa noticia…

Lucas Vieira
Lucas Vieira
3 anos atrás

Outra Marcos, lembre do Air France 296. em que o moderno sistema FBW foi o vilão, porém com atualizações, virou o queridinho, como em seu comentário. Há 30 anos o A320 que estava do outro lado da história, e nem por isso foi um fracasso.

Miltom
3 anos atrás

E a China se fazendo de morta neste caso do 737MAX. Já já ela ameaça cancelar suas encomendas, aí vai ser a hora de negociar as encomendas a troco do fim do caso Huawei com os americanos .

Edson
3 anos atrás

“e nenhuma morte na aviação é em vão, só a torna mais segura”. Porém os acidentes continuam, e sabe por que? Por causa da ganância, da concorrência, do querer sair na frente e não perder a liderança. Nada justifica a morte para poder se tornar mais seguro.

Previous Post
O SB-1 Defiant é projetado para voar a 460 km/h (Divulgação)

Helicóptero futurista Sikorsky-Boeing SB-1 Defiant completa primeiro voo

Next Post

Internacionalização do aeroporto de São Carlos abre mercado para centro de manutenção da LATAM

Related Posts