Boeing anuncia produção do novo jato 787-10

Maior versão da série vai poder transportar até 323 passageiros; primeira entrega é prevista para 2018
O 787-10 é grande apenas em tamanho; a autonomia do modelo será o menor da série (Boeing)
O 787-10 é grande apenas em tamanho; a autonomia do modelo será o menor da série (Boeing)

O 787-10 é grande apenas em tamanho; a autonomia do modelo será o menor da série (Boeing)

O 787-10 é grande apenas em tamanho; a autonomia do modelo será o menor da série (Boeing)

A Boeing anunciou nessa quarta-feira (2) ter concluído o projeto do 787-10. Isso significa que a nova aeronave, que será a terceira versão e a de maior capacidade da família Dreamliner, está pronta para ser produzida em série. Segundo a fabricante, a montagem da primeira fuselagem começa no início do próximo ano, em Everett, Washington, nos Estados Unidos.

O design e a construção do 787-10 é “95% idêntico” ao do 787-9, explicou a Boeing. “Nós otimizamos o projeto para as necessidades do mercado e estamos animados e ansiosos para a produção”, afirma Ken Sanger, vice-presidente de desenvolvimento do Boeing 787. A necessidade citada pelo executivo é pelo transporte de mais passageiros e não necessariamente por maiores distâncias.

O novo 787-10 será o maior da série, com 68 metros de comprimento , e também o mais pesado, podendo decolar com cerca de 250 toneladas – a versão 787-9 tem 63 m e pesa 244 t. No entanto, a ampliação da fuselagem vai aumentar a capacidade de passageiros e reduzir o alcance da aeronave em relação as versões 787-8 e 787-9.

O 787-10 vai poder transportar até 323 passageiros e cobrir uma distância máxima de 12.000 km. O 787-9, por outro lado, tem capacidade para 290 ocupantes e pode voar por mais de 14.000 km. O maior alcance do modelo “9” é justificado por suas asas maiores, com 63 metros de envergadura, o que permite armazenar mais combustível. Já as asas do 787-10 tem 60 m de uma ponta a outra, portanto com tanques menores.

Essa configuração fará do 787-10 uma aeronave ideal para trechos de média distância e com alta demanda de passageiros. Além disso, o novo jato da Boeing apresenta vantagens significativas em consumo de combustível e custos com manutenção mais baixos em relação a aeronaves da geração anterior.

A empresa japonesa ANA será uma das primeiras a receber o 787-10 em 2018 (Boeing)
A empresa japonesa ANA será uma das primeiras a receber o 787-10 em 2018 (Boeing)

Como informou a Boeing, o primeiro voo do novo 787 está programado para meados de 2017 e a primeira entrega deve acontecer em 2018. Mesmo sem sair do papel, o 787-10 já tem 164 pedidos de companhias aéreas do mundo todo, o que representa 14% de todas as encomendas realizadas pelo Dreamliner.

O Boeing 787, considerado um dos jatos comerciais mais modernos da atualidade, estreou no mercado em 2011 com a companhia japonesa ANA. Até outubro deste ano, a fabricante norte-americana entregou 340 unidades do aparelho, nas versões 787-8 e 787-9. O modelo 787-10 é avaliado em cerca de US$ 306 milhões.

Veja mais: Boeing anuncia novo jato 777X para 2020

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
clara babo
clara babo
5 anos atrás

Espremer ainda mais ? ? Penso que umas camas individuais , EMPILHADAS ……que poderiam ser colocadas desde o chão até ao teto do avião …… de ambos os lados ……. e no centro ……. tipo gavetão , para nos podermos levantar … ( Hahaha….salvo seja, como na morgue ) …… mas não estou a brincar , os passageiros poderiam dormir , e viajar muito mais confortáveis com a coluna na posição horizontal ! …… Deveriam existir aviões para o mesmo percurso com estas duas opções ……uns com camas e outros com cadeiras ……o cliente escolheria a sua preferência ! ….. Muitos escolheriam tomar um whisky e uma pastilha e dormir a viagem toda …… e quando se quizessem levantar era só carregar num botão para a cama sair fora ….. a qual recolheria automáticamente enquanto o passageiro não voltasse ! …

Previous Post
Todo mundo juntinho! Pelo menos os assentos reclinam até a posição horizontal (US Patents/Boeing)

Boeing pode “espremer” passageiros da classe executiva

Next Post
Os capacetes de "isolamento sensorial" da Airbus prometem aliviar o medo que passageiros tem de voar (EU Patents)

As estranhas patentes da Airbus

Related Posts