O 747 Dreamlifter voou pela primeira vez em 2006, partindo de Taiwan (Altair78)

O 747 Dreamlifter é utilizado para transportar grandes componentes entre as fábricas da Boeing nos EUA (Altair78)

As ações de combate a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) ganharam um reforço de peso. A Boeing está oferecendo os jatos 747 Dreamlifter, um dos maiores aviões de carga do mundo, para ajudar a transportar suprimentos essenciais e urgentes para profissionais de saúde.

“Estamos coordenando em conjunto com órgãos governamentais responsáveis a melhor forma de fornecer nosso apoio”, diz o comunicado da fabricante. E os trabalhos de ajuda humanitária com o cargueiro já começaram. No último sábado (28/3), um Dreamlifter decolou da sede da Boeing em Charleston rumo a Taranto, no sul da Itália, transportando equipamentos médicos.

Baseado no 747-400, o Dreamlifter é a versão mais exótica do icônico Jumbo. A aeronave foi desenvolvida por engenheiros da Boeing na Rússia e as conversões foram executadas em Taiwan. O primeiro voo do cargueiro foi realizado em 9 de setembro de 2006.

A principal função do Dreamlifter é transportar componentes do 787 Dreamliner entre as fábricas da Boeing pelos EUA, o que exigiu uma severa modificação na fuselagem da aeronave. Ao todo, a fabricante emprega quatro aparelhos nessa função, cada um adquirido e convertido por de US$ 1 bilhão. De acordo com dados do fabricante, o jato pode transportar 113 toneladas de cargas e tem alcance de até 7.800 km.

(Eric Salard/Creative Commons)

O Dreamlifter pode transportar 113 toneladas de cargas (Eric Salard/Creative Commons)

Boeing contra a Covid-19

A Boeing também informou que começará a usar seus recursos de impressão 3D em várias instalações nos EUA para fabricar máscaras de proteção para ajudar profissionais que saúde que estão na linha de frente do combate ao coronavírus.

“Nosso objetivo inicial é fabricar milhares de máscaras por semana, seguimos aumentando a produção gradativamente. A Boeing possui máquinas de fabricação em unidades nos estados de Missouri, Califórnia, Arizona, Alabama e Pensilvânia”, ressalta a empresa.

Até momento, a Boeing doou dezenas de milhares máscaras, luvas e outros equipamentos para hospitais nos EUA e outros países que necessitam desses materiais.

Veja mais: As diferentes faces do Boeing 747