Caças do Brasil e EUA vão se enfrentar no final de semana

FAB e Marinha dos EUA vão realizar treinamentos conjuntos de ataque e defesa na costa brasileira
O porta-aviões nuclear USS George Washington vai realizar manobras com a FAB (US Navy)
O porta-aviões nuclear USS George Washington vai realizar manobras com a FAB (US Navy)
O porta-aviões nuclear USS George Washington vai realizar manobras com a FAB (US Navy)
O porta-aviões nuclear USS George Washington vai realizar manobras com a FAB (US Navy)

O porta-aviões USS George Washington da poderosa Marinha dos Estados Unidos (US Navy) está prestes a “invadir” o litoral do Brasil. A enorme embarcação, que contornou a América do Sul após visitar o Japão, vai aproveitar a passagem pela costa brasileira para realizar treinamentos com a Força Aérea Brasileira (FAB).

O exercício, chamado Operação UNITAS 2015, vai reunir aeronaves do US Navy e da FAB em simulações de combate. Pelo lado américano, entrarão em “combate” o caça F/A-18 Hornet e o avião de vigilância E-2 Hawkeye com seu enorme radar de busca. Já a FAB vai empregar as aeronaves de patrulha marítima P-95 Banderulha e P-3 Orion, o jato de vigilância E-99, um avião-tanque KC-130 Hércules e o caças A-1 e F-5.

Como explicou a FAB, o cenário dos combates consiste em caças brasileiros A-1 realizarem ataques a alvos fictícios com a proteção dos F-5, enquanto os F-18 norte-americanos vão tentar impedí-los. Em dias alternados, os papéis vão se inverter: os F-18 farão a escolta dos A-1 e os F-5 o papel de força oponente.

O treinamento prevê simulações de combate na chamada arena BVR (Além do Alcance Visual), quando os caças identificam seus alvos pelo radar e lançam seus mísseis antes mesmo de enxergarem os oponentes, e também no modo WVR (Com Contato Visual), quando são empregados mísseis de curto alcance e canhões. Os treinamentos vão ocorrer em áreas do espaço aéreo onde já acontecem missões de rotina da FAB, sem interferência para a aviação comercial.

Os aviões de ataque A-1 da FAB vão tentar furar o bloqueio de caças F-5 e F-18 (FAB)
Os aviões de ataque A-1 da FAB vão tentar furar o bloqueio de caças F-5 e F-18 (FAB)

“A expectativa é a melhor possível, sobretudo, em função da aeronave contra a qual iremos realizar o combate dissimilar, o F-18”, explicou o Brigadeiro Fernando Almeida Riomar, comandante da Terceira Força Aérea, unidade responsável pelo treinamento das unidades de caça e de reconhecimento da FAB. Segundo ele, os pilotos brasileiros atingiram um nível elevado de conhecimento, por conta priorização desse tipo de treinamento. “Em termos de doutrina e capacitação, no meu entendimento, nossos pilotos estão muito bem preparados, especialmente, no que se refere ao nível de consciência situacional nas missões de combate”, afirma.

O "avião-radar" E-2 Hawkeye dos EUA vão monitorar o movimento das aeronaves (US Navy)
O “avião-radar” E-2 Hawkeye dos EUA vão monitorar o movimento das aeronaves (US Navy)

Em três anos, esse é o terceiro exercício da FAB ao lado das forças armadas dos EUA. Em 2013, em Natal (RN), aconteceu o exercício CRUZEX Flight. No ano passado, os dois países participaram da terceira edição do exercício Salitre, realizado em Antofagasta, no Chile. Nos dois casos, os EUA estiveram representados pela sua força aérea, a USAF, com caças F-16.

“É uma oportunidade de se aproximar e exercitar de maneira colaborativa nossas habilidades em um ambiente naval de desafios crescentes”, afirmou em comunicado oficial o Contra-Almirante George Ballance, comandante da Quarta Frota da US Navy. “A participação do USS George Washington e de sua ala aérea neste ano faz desta uma das maiores UNITAS dos últimos tempos”, disse.

O E-99 vai ser os olhos da FAB no céu durante as simulações de combate (FAB)
O E-99 vai ser os olhos da FAB no céu durante as simulações de combate (FAB)

Exercícios

A UNITAS é um exercício realizado pelas forças armadas das Américas desde 1960. Esta é a edição de número 56, e também terá a participação das fragatas brasileiras Constituição, Liberal e Greenhalgh, do submarino Tapajó e dos navios-patrulha Gurupá, Babitonga e Amazonas, além de rebocadores e dos helicópteros UH-12/13 Esquilo e AH-11 Lynx.

Além do Brasil e EUA, também vão participar do treinamento embarcações do Chile, México, Peru e Reino Unidos. As manobras aéreas aéreas serão realizadas com apoio das Bases Aéreas de Canoas e Santa Maria, no Rio Grande do Sul, e de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, respectivamente.

Veja mais: O Brasil pode deter os países vizinhos pelo ar?

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
19 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
José
José
6 anos atrás

Lá vem outro 7 a 1.

eduardo lopes
eduardo lopes
6 anos atrás

Os estados unidos vão pensar que país facil de se invadir e atacar!. Nessas horas melhor deixar só eles treinarem do que demostrar vunerabilidade de armamentos.

Gemilson
Gemilson
6 anos atrás

O Brasil apesar de ser um gigante ,nao constroi suas proprias ideias ou tecnologia so copia ou compra,e desde entao as maiores potencias do mundo aproveita proximidade pra obter informaçoes detalhadas pois ja e uma base inteligente de buscar poder .

guilherio
guilherio
6 anos atrás

Eu não sei o porque o de desvalorizar tanto o que é nosso, neste caso o nosso poderio militar em relação aos outros países, endeusam tanto as forças americanas e pessoas que nunca pisaram em um quartel querem falar que lutamos de arco e flecha, sim temos problemas de infraestrutura, mas eles tem, ou vocês acham que as forças deles nunca perderam combates, a FAB tem um poderio imenso, as pessoas são contra ao que seja Brasileiro informem-se mais

André
André
6 anos atrás

Acho que o Guilherio tem razão. É assim que devemos pensar. Mas que lendo o texto é engraçado, isso não dá pra negar: caças F18 atacando os F5 brasileiros hehehe

Thiago de Oliveira
Thiago de Oliveira
6 anos atrás

Como não desvalorizar o que é nosso, quando até o nosso vizinho Venezuela tem jatos bem superiores aos nosso? Temos quantidade, mas nos falta qualidade

Vinicius
6 anos atrás

a unica coisa que tenho a fala e que os russos so tem bomba kkkkk manda uma pro brasil mata geral

Paulo Sérgio de Lima
Paulo Sérgio de Lima
6 anos atrás

As forças estão equilibradas!
As aeronaves da FAB estão em é de igualdade tecnológica com as da USNAVY.Os caças F18 estadunidenses são de 4ª geração, mais nossos F5M, foram modernizados e com essa modernização, passarão ser caças de 4ª geração!Nosso avião radar R99A é do mesmo nível que o E-2 hawkeye, inclusive acho até que o nosso é melhor porque é um jato, e o deles é turbo hélice!Só tenho uma dúvida:nossos A1, já são do modelo A1M?!E os F18 dos estadunidenses são F18 SUPER HORNET?!Eles não trouxeram F35 STHEALT mais quando troxerem já teremos nos GRIPEN NG, equipado com radar AESA, para poder rastrear os F35 deles!

Henrique Freitas
Henrique Freitas
6 anos atrás

O Brasil participou de un treinamento semelhante com a França. Na época usava o mirage III contra o mirare 2000 francês. Os franceses evitavam voar com os brasileiros, pois nada tinham a aprender nos velhos aviões brasileiros. Estes, por sua vez, usaram a inteligência, as limitações tecnológicas e tática dos anos 80 para darem uma taca nos franceses… no final, faziam fila para voarem junto aos brasileiros para aprenderem um pouco mais. Parabéns Força Aérea Brasileira.

Osmar
Osmar
6 anos atrás

Na verdade perdemos 12 anos de PT com o Bolivarianismo e 8 com a inércia do FHC. É importante a compra do jatos suecos devido a tecnologia para fabricação que será passada para o Brasil, assim como o submarino nuclear francês (se não me engano). Nosso engenheiros tem competência para fazer igual, não tem é investimento.

Thg
Thg
6 anos atrás

Acho q já estou com vergonha… Não pelas nossas força armadas, mais pela falta de investmento no setor militar, e no desenvolvimento de tecnologia propria…. Parabéns forças armadas brasileiras por fazerem mais com menos….

Anderson C. Pedrosa
Anderson C. Pedrosa
6 anos atrás

Olá Senhores,

Sinto informar que mesmo o brasil modernizando os F-5 e tudo mais não se comparam a força de F-18 e o poder móvel de um porta aviões nuclear pelo amor!!!, Sou patriota mas tem coisas que devem ser ditas 1º Nosso País não possui munição nem pra durar 30 minutos em Guerra (Confirmado por Militares de alta patente). 2º Não possuímos equipamentos de monitoramentos aéreo de qualidade porque nosso GOVERNO CORRUPTO não investe nas forças militares que suplicam por melhorias, 3º Só por estes dois fatos ficaria CLARO para qualquer LEIGO que “Só este porta aviões com este poder Bélico destruiria nossa Força Aérea inteirinha fora os bombardeios em terra”

* Submarino nuclear do Brasil não sai do Papel !!!!!!!!
* Legal adquirir Gripen NG, Mas mal vão conseguir manter armamentos por custo $
* As bases militares estão com baixissimo orçamento operando com equipamentos de navegação arcaícos como as NDBs para balizamento civil e militar Afffff !!!!!
* Mal conseguimos tratar as nossas crises internas, Saúde, Educação e Soberania das nossas Fronteiras!

A verdade tem que ser dita acorda Brasil!!!!!
BOLSONARO para Presidente POR FAVOR!!!!

Atenciosamente,

Anderson C.Pedrosa
Téc. Manutenção Aeronaútica.

Jefferson Ferreira
Jefferson Ferreira
6 anos atrás

Querer comparar F5 modernizado com f18 e dizer que tá em pé de igualdade não dá…

É bom para aprendizado dos nossos pilotos, em termos de equipamento fica até ridículo querer discutir.

Berzuka
Berzuka
6 anos atrás

Infelizmente está na nossa cultura não valorizar nossas próprias riquezas, tecnologia, cultura e muito menos a natureza a maior riqueza que nos resta, bem vindo ao Brasil país vendido, aqui tudo tem um preço.
Para quem tem esperança nas Forças Armadas do Brasil pode esquecer, está quebrada, sucateada e desvalorizada. Sem mais.

joao
joao
6 anos atrás

Melhor seria o Brasil ir no cemitério de aviões e fazer um feira-garanto que iriam achar muita coisa boa por lá, a preços módicos

Dino
Dino
6 anos atrás

O que se pode esperar de um exercito que quer impedir seu população praticar tiro ao alvo impondo pesados burocracias, que exigem registro de meros armas de brinquedos (Airsoft) e que vem estes esportistas como inimigo potencial do que possível reserva….

Eugenio
Eugenio
5 anos atrás

Fiquem tranquilos, temos ainda uma reserva técnica composta de 5 Thunderbolt!,

Bruno
Bruno
5 anos atrás

Simplesmente, estão nos estudando. Nossos recursos, técnicas, infraestrutura, logística…. tudo.
E é óbvio que as potências e seus aliados regionais (Chile, Peru, México) vão blefar o tempo todo suas reais capacidades. Vão tentar nos convencer que, mesmos com meios inferiores, somos bons, estamos com treinamento em dia, bla, bla, bla…. sei… me engana que eu gosto.
Brasil é uma piada quando se trata de forças armadas.

Alex
Alex
5 anos atrás

Acho que nossos homens, “jogam” muito bem! Massss! Como dito os meios são arcaicos, mesmo modernizados. É uma batalha de infra estrutura mas a nossa? Já deu para responder. Quanto ao caso deles estarem nos estudando? Acham que os militares brasileiros quando vão lá, fazem o que? Mesmo assim é sempre bom saber que fazemos muito mais, com muito menos. Isso mostra nossa destreza e dedicação. Massss, faltam meios modernos e em número minimamente adequado nas 3 forças.

Previous Post
Cargueiro ou caça? O KC-390 vai ter até head-up display, como aviões de combate (Rockwell Collins)

Embraer seleciona painel de última geração para o KC-390

Next Post
O A380 estacionado no Terminal 3: voo comemorativo, mas sem previsão de ser regular

‘Torcida organizada’ recebe Airbus A380 em seu primeiro voo comercial para o Brasil

Related Posts