Embraer seleciona painel de última geração para o KC-390

Pilotos terão a disposição telas sensíveis ao toque e até head-up display de “caça”
Cargueiro ou caça? O KC-390 vai ter até head-up display, como aviões de combate (Rockwell Collins)
Cargueiro ou caça? O KC-390 vai ter até head-up display, como aviões de combate (Rockwell Collins)
Cargueiro ou caça? O KC-390 vai ter até head-up display, como aviões de combate (Rockwell Collins)
Cargueiro ou caça? O KC-390 vai ter até head-up display, como aviões de combate (Rockwell Collins)

A Embraer definiu nesta semana o painel que vai equipar do cargueiro KC-390. E que painel! A fabricante selecionou o sistema de aviônicos “Pro Line Fusion”, desenvolvido pela empresa norte-americana Rockwell Collins, com recursos que facilitam bastante o trabalho dos pilotos.

Não há relógios, medidores, termômetros. Todas as funções e equipamentos da aeronave serão apresentadas em telas digitais sensíveis ao toque. Segundo o fabricante, o painel de última geração facilita a navegação e permite a mudança de comandos com apenas um toque.

O KC-390 vai ter até head-up display, recurso normalmente utilizado em caças. Esse equipamento mostra as informações básicas de comando ao piloto direto para uma tela transparente na altura de sua visão. Desta forma, pode pilotar sem desviar a atenção do horizonte. Será útil em operações de reabastecimento aéreo, algo que o modelo da Embraer também será capaz de fazer – além de também reabastecer outras aeronaves.

A Rockwell Collins também vai fornecer ao KC-390 o sistema de lançamento de cargas, chamado pela sigla CHADCS. Esse equipamento serve para manter a carga segura, monitorar seu peso e executar os lançamentos aéreos de cargas, que podem ser suprimentos para tropas ou até veículos.

O cargueiro militar da Embraer será equipado para lançar cargas de paraquedas (Rockwell Collins)
O cargueiro militar da Embraer será equipado para lançar cargas de paraquedas (Rockwell Collins)

As primeiras entregas do KC-390 a Força Aérea Brasileira (FAB) estão previstas para meados de 2017. Além do Brasil, o jato também vai equipar as forças armadas da Argentina, Chile, Colômbia, Portugal e República Tcheca. O modelo também interessa a Itália e Suécia. Esses países, no entanto, ainda não confirmaram oficialmente seus pedidos.

Veja mais: Antonov apresenta rival do Embraer KC-390

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tetsuo Shimura
Tetsuo Shimura
6 anos atrás

Acho que a Embraer poderia pensar uma versão civil para o KC 390 ou até desenvolver um como da Airbus usado para transportar partes de seus aviões fabricadas em outros países para uma futura empresa brasileira de logística.

ADRIANO
ADRIANO
6 anos atrás

SOU LEIGO NO ASSUNTO MAIS GOSTO MUITO E LEIO UM POUCO, E TENHO UMA CURIOSIDADE QUE TALVEZ POSSA SER EXPLICADO POR ALGUÉM, ESSE AVIÃO CARGUEIRO KC-390 PARECE QUE SERÁ BEM MODERNO A NÍVEL DOS MELHORES DO MUNDO E COM TECNOLOGIA EM BOA PARTE NACIONAL, TEM BOA CAPACIDADE DE CARGA, BONS MOTORES A JATO E BOA AUTONOMIA, NÃO SERIA POSSÍVEL TER UMA VERSÃO DESSE CARGUEIRO TRANSFORMADA EM BOMBARDEIO ?

Márcio Lira
Márcio Lira
6 anos atrás

Adriano, para se produzir um “bomber” haveria de ser feito uma aeronave com as configurações bem diferentes de uma cargueira.
O que a Embraer pode produzir na mesma plataforma é uma aeronave de busca e salvamento, por exemplo.

Previous Post
O AT-6 'Wolverine' é o principal concorrente do Super Tucano no programa OA-X (Textron)

‘Wolverine’ pode estrear pela Força Aérea do Iraque

Next Post
O porta-aviões nuclear USS George Washington vai realizar manobras com a FAB (US Navy)

Caças do Brasil e EUA vão se enfrentar no final de semana

Related Posts