China Eastern Airlines fecha compra dos primeiros cinco C919

Companhia aérea estatal será a cliente lançadora do jato comercial da COMAC. Primeiro jato deve ser entregue no final de 2021
COMAC C919
(COMAC)

A COMAC celebrou nesta segunda-feira, 1º, em Xangai, um contrato de aquisição de cinco jatos C919 com a China Eastern Airlines. A companhia aérea, que já era parceria de longa data no desenvolvimento da aeronave, será a cliente lançadora do mais avançado avião de passageiros do país.

A fabricante chinesa, no entanto, não forneceu uma previsão de quando o primeiro C919 será entregue à China Eastern Airlines, mas a expectativa é que isso ocorra até o final do ano, quando a aeronave de corredor único será certificada pela autoridade de aviação civil da China.

“É o início de um novo capítulo na indústria de grandes aeronaves de fabricação nacional. O fato de o grupo China Eastern Airlines se tornar o primeiro cliente do C919 no mundo é uma ação concreta realizada por ambas as partes para estudar profundamente e implementar as idéias de Xi Jinping sobre o socialismo com características chinesas em uma nova era”, afirmou Liu Shaoyong, presidente da companhia aérea.

Estatal, o grupo China Eastern é um dos maiores do mundo, com 750 aeronaves espalhadas em suas companhias aéreas, dos quais apenas três unidades foram produzidas na China, do ARJ21-700, primeiro jato comercial moderno do país.

Representantes da COMAC e da China Eastern Airlines assinam o contrato de compra do C919 (COMAC)

Acusações de espionagem industrial

O C919 é o mais ambicioso avião de passageiros já desenvolvido pela China e atua no mesmo segmento do Airbus A320, com o qual compartilha semelhanças. A China Eastern, inclusive, possui atualmente quase 230 unidades do jato europeu, o que demonstra o potencial de vendas domésticas do modelo da COMAC.

As duas empresas estatais assinaram o primeiro acordo sobre o C919 em 2010. Seis anos mais tarde, a China Eastern firmou um Memorando de Entendimento de compra da aeronave, quando passou a ser sua cliente lançadora.

Apesar do otimismo chinês, o C919 passa por várias provações. Os Estados Unidos consideram a aeronave fruto de espionagem industrial e por conta disso a COMAC passou a fazer parte de uma lista de empresas de defesa chinesas com fachada civil.

O C919 utiliza o turbofan Leap-1, da CFM, joint venture entre a norte-americana GE e a francesa Safran, mas deve ser equipado no futuro com um motor desenvolvido localmente.

Por enquanto, o C919, com capacidade entre 168 e 190 assentos, deve ser um produto voltado ao mercado doméstico chinês, no qual a COMAC diz ter 800 pedidos. Mas seu alegado preço mais baixo e economia de combustível podem, quem sabe, um dia interessar a companhias aéreas de outros países.

Airbus A320 da China Eastern (Aero-Icarus/Wikimedia)

Veja também: Presidente da Airbus reconhece que C919 é um competido sério

Total
27
Shares
Previous Post

Boeing prevê ‘boom’ de jatos de corredor único e encolhimento de mercado da Embraer

Next Post
Boeing 767-300BCF - LATAM Airlines

LATAM anuncia conversão de oito Boeing 767 de passageiros em cargueiros

Related Posts