Em show aéreo, China revela diversos drones e avião de guerra eletrônica

Aeronaves como a nova variante J-16D e os drones WZ-7 e CH-6 serão apresentados pela Força Aérea do país pela primeira vez
O J-16D, versão de guerra eletrônica do caça da Shenyang (Reprodução/Weibo)

A China escolheu o show aéreo de Zhuhai, que começa nesta semana, para realizar mais uma demonstração de força ao apresentar uma série de novas aeronaves da Força Aérea do Exército de Libertação, mais conhecida pela sigla em inglês PLAAF.

Entre os modelos estão vários drones, alguns inéditos, e o novo avião de guerra eletrônica J-16D, baeado no caça multifuncional da Shenyang (versão local do Sukhoi Su-27 russo).

O jornal Global Times, do partido comunista chinês, visitou o evento neste domingo e antecipou imagens das aeronaves.

O drone WZ-7, destinado a missões de reconhecimento e patrulha de longa duração

Um dos destaques é o drone de grande altitude WZ-7, destinado a realizar missões de longa duração em fronteiras e alto-mar. A aeronave possui semelhança com o Global Hawk dos EUA, graças a entrada de ar na porção superior da fuselagem, mas traz algumas características próprias como asas em formato de diamante.

Outro drone relevante é o WZ-8, com capacidade hipersônica e que foi visto no desfile dos 100 anos do Partido Comunista em julho. O avião não tripulado é focado em missões de reconhecimento em grande altitude.

A PLAAF também mostrará o CH-6, um veículo aéreo não tripulado de ataque e reconhecimento de proporções enormes. Ele utiliza dois motores turbofans instalados na cauda e seria capaz de transportar armamentos.

O avião não-tripulado WZ-8 tem capacidade hipersônica

Rival do EA-18G Growler

Flagrado dias antes do show aéreo, o J-16D deve chamar bastante atenção em Zhuhai. Trata-se de uma variante de guerra eletrônica com função semelhante ao Northrop Grumman EA-18G Growler, da Marinha dos EUA.

O caça transporta vários pods com equipamentos capazes de confundir, bloquear e até mesmo destruir radares inimigos. Eles estão localizados nas pontas das asas e embaixo dos motores, pelo que mostram as primeiras imagens.

A China tem investido na expansão e modernização de suas forças militares nos últimos anos, causando preocupações em potências ocidentais. O país está construindo seu terceiro porta-aviões, o primeiro a utilizar catapultas de lançamento de aeronaves, e que graças a isso podem decolar com maior peso.

O drone gigante CH-6, com dois motores e capacidade de ataque ao solo (Weibo)

A PLAAF também está desenvolvendo seu primeiro bombardeiro furtivo, chamado informalmente de H-20, e cuja apresentação é prometida há algum tempo.

A presença militar na região motivou um acordo inédito entre os EUA, Reino Unido para dotar a Austrália de submarinos com propulsão nuclear. O anúncio gerou protestos da China e da França, esta última que tinha um contrato anterior para fornecer embarcações de propulsão convencional.

O show aéreo de Zhuhai ocorrerá entre os dias 28 de setembro e 3 de outubro na Província de Guangdong.

Total
101
Shares
3.7 3 votes
Article Rating
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fernando Gourgel
Fernando Gourgel
20 dias atrás

Resumindo todos têm o direito de se defender , mas a contrapartida é um mundo mais perigoso e letal, nova corrida aos armamentos, só de forma mais global.

Vitoe
Vitoe
19 dias atrás

Tudo imitação, nada original 😂😂😂! E alguns de madeira kkkkk.

Previous Post

Rolls-Royce bate GE e PW e fornecerá novos motores para os bombardeiros B-52H da USAF

Next Post
Uma série de componentes críticos do C919 é fabricado por empresas do Ocidente (Xinhua)

Jato chinês C919 tem produção ameaçada por falta de componentes ocidentais

Related Posts