A EmbraerX é uma das oito empresas envolvidas no projeto Uber Elevate (EmbraerX)

A EmbraerX, divisão da fabricante brasileira focada novas tecnologias, realizou recentemente o primeiro “voo virtual” em um simulador com seu eVTOL, uma nova geração de aeronaves com motorização elétrica e projetadas para realizar pousos e decolagens verticais. Veículos desse tipo, também conhecidos como “táxis voadores”, serão empregados nos próximos anos pela Uber em viagens compartilhadas, em um novo negócio que a empresa norte-americana chama de “Uber Air”.

Os testes no simulador reproduzem os comandos de voo reais e as leis de controle que abrirão o caminho para eventuais ensaios de voos e no processo de certificação do eVTOL. Essa é uma etapa fundamental para “calibrar” os controles computadorizados (fly-by-wire) de uma nova aeronave. A Embraer é uma das raras fabricantes do setor que domina esse processo.

“Essa é uma ferramenta (o simulador de voo da Embraer) que se mostrou muito útil e muito poderosa em desenvolvimento anteriores de aeronaves da Embraer. Nele nos experimentamos as mesmas leis de controle que serão pilotadas em nosso veículo eVTOL. Também desenvolvemos a interface homem-máquina que estará disponível no veículo antes que ele torne autônomo”, comentou Luiz Valentini, diretor de engenharia da EmbraerX.

Segundo o engenheiro de leis de controle da EmbraerX, Yasser Abdallah, o eVTOL precisa ser um veículo de fácil manuseio. “Buscamos uma maneira muito simples de controlar a aeronave, deixando para a função fly-by-wire todos os comandos complicados”, disse ele, acrescentando que o simulador de voo ajuda a avaliar esse novo conceito de voo.

“Tive o privilégio de realizar o primeiro voo da aeronave. Ele tem basicamente dois comandos de controle, muito simples de usar. Foi um voo absolutamente fácil de ser realizado”, disse Gerson de Oliveira, piloto de testes da Embraer.

A divisão da Embraer ainda não comenta sobre o desempenho ou lançamento do eVTOL, mas diz que o conceito “busca a melhor experiência do usuário para fazer uma aeronave acessível para todos”. O veículo sugerido pela empresa brasileira conta com oito rotores de sustentação e dois para impulsionar o voo vertical, todos movidos por motores elétricos.

A EmbraerX também está trabalhando em soluções para a introdução dos eVTOL no mercado. Em parceria com controladores de tráfego aéreo, acadêmicos, pilotos e especialistas do setor, a empresa brasileira lançou em 2019 o projeto de tráfego aéreo urbano FlightPlan2030.

Uber Air

Além da Embraer, a Uber Air também conta com a participação de outros grandes nomes da indústria aeronáutica, entre elas Boeing e a Bell Helicopter, e empresas menores, como a Karem Aircraft, Pipistrel e a Jaunt Air Mobility.

As viagens de eVTOL serão realizadas entre “skyports” distribuídos nas cidades (Uber)

O plano da Uber oferecer uma nova opção de transporte urbano, no qual passageiros poderão fazer reservar de assentos em voos compartilhados por meio de aplicativos de smartphones. A empresa também promete oferecer um serviço acessível, com preços (por assento) equivalentes ao de corridas de UberX.

A Uber pretende iniciar seu novo serviço de transporte aéreo em 2023, começando as atividade em Dallas e Los Angeles, nos EUA, e Melbourne, na Austrália. Segundo a companhia, existem mais de 60 cidades no mundo com potencial para receber o transporte de eVTOLs, incluindo São Paulo (SP).

Veja mais: Embraer estuda projeto de turboélice com capacidade para 100 passageiros