A Air Guiné-Bissau quer voar até para Fortaleza (imagem - Air Guiné Bissau)

A Air Guiné-Bissau quer voar até para Fortaleza (imagem – Air Guiné Bissau)

O governo de Guiné-Bissau anunciou a criação de uma companhia aérea nacional, a “Air Guiné-Bissau”. Primeira empresa do gênero fundada no pequeno país de colonização portuguesa na África, a Air Guiné-Bissau será uma nova porta de entrada e saída do país, que depende principalmente das companhias TAP e Ethiopian Airlines, que são algumas das poucas empresas que voam para a capital Bissau.

A empresa guineense foi criada com a reunião do grupo romeno Tender e a companhia aérea portuguesa EuroAtlantic Airways, que serão responsáveis por fornecer as aeronaves a nova empresa africana. As operações da Air Guiné-Bissau estão programadas para começar ainda neste ano com duas aeronaves MD-82, com capacidade para até 160 passageiros.

Os primeiros destinos da companhia guineense serão Lisboa, em Portugal, e as cidade de Dacar e Praia, no Senegal. A empresa ainda tem planos de curto prazo de voar para a Guiné, Gâmbia, Cabo Verde e França e quando adquirir aeronaves maiores, como os Boeing 767 que estão previstos, a empresa também pretende voar para Fortaleza, no nordeste brasileiro.

O governo de Guiné-Bissau detém 40% das ações da companhia e o grupo romeno Tender é dono de 60% restantes, situação que poderá mudar de acordo com a evolução do interesse de outros empresários ou empresas interessadas no projeto.