Inédito avião-radar de porta-aviões chinês é visto pela primeira vez

Aeronave embarcada Xian KJ-600 de AEW (alerta aéreo antecipado) lembra bastante o E-2 Hawkeye da Marinha dos EUA
O KJ-600 visto na fábrica da Xian: cópia do E-2 americano?
O KJ-600 visto na fábrica da Xian: cópia do E-2 americano?

Parte do ambicioso programa de modernização e ampliação da Marinha da China, o até então inédito avião-radar Xian KJ-600 foi fotografado pela primeira vez nas instalações da fabricante em Xian-Yanliang.

A imagem de satélite da empresa Planet Labs mostra o turboélice com pouca resolução, mas clara o suficiente para identificar várias semelhanças com o Northrop Grumman E-2 Hawkeye, da Marinha dos EUA, e que tem a função de AEW (Airborne Early Warning ou Alerta Aérea Antecipado) a bordo dos porta-aviões nucleares.

Assim como o Hawkeye, o KJ-600 possui uma cauda com vários estabilizadores verticais a fim de não causar distorções nas ondas de radares do imenso radome montado sobre a fuselagem. O avião, que parece ser ainda um protótipo segundo observadores, pode ser equipado com um radar giratório como no modelo dos EUA ou um conjunto fixo capaz de cobrir um ângulo de 360º.

Até hoje, o KJ-600 havia aparecido apenas em imagens de uma maquete em tamanho real feitas em 2018 como parte de um porta-aviões construído em concreto pela China para treinamento. Apesar da semelhança com o E-2 americano, a origem do avião-radar é um projeto dos tempos da União Soviética, o Antonov An-24, que na China foi construído sob licença como Xian Y-7.

Em 2012, o país asiático adaptou uma unidade do avião de transporte para a função de AEW, o JZY-01. Mas o KJ-600 é um projeto mais refinado e menor a fim de se adaptar ao convés dos porta-aviões chineses – ele traz também as asas dobráveis, necessárias para reduzir sua envergadura.

Porta-aviões nucleares

A China tem acelerado o programa de construção de porta-aviões como uma forma de se equiparar ao poderio marítimo dos EUA e manter sua primazia no Pacífico. Depois de lançar duas embarcações baseadas na classe Kuznetsov da Rússia, o país está desenvolvendo outros dois porta-aviões com propulsão nuclear e catapultas a vapor em vez de rampas.

Por isso KJ-600 é peça importante dessa estratégia ao conferir um sistema de defesa semelhante ao do E-2. No entanto, a China ainda está distante do poderio da Marinha dos EUA que opera 10 porta-aviões da classe Nimitz e prepara a estreia do novo navio da classe Ford.

Cópia russa não prosperou

A tentativa de clonar um projeto dos EUA não é uma prerrogativa apenas da China. No final dos anos 80, a União Soviética projetou o Yakovlev Yak-44, um avião-radar com inúmeras semelhanças com o Hawkeye, mas que possuía hélices contra-rotativas como o Tu-95. Com o colapso do comunismo, o programa acabou cancelado apenas com uma maquete finalizada.

Nos anos 90, a Rússia chegou a projetar um avião-radar embarcado, o Yak-44

Veja também: EUA posiciona bombardeiros stealth B-2 na Ásia para conter ameaça chinesa

Total
17
Shares
Previous Post

TAA-1 e o projeto da Toyota de fabricar aviões

Next Post

FAB faz primeira entrega de suprimentos na nova Estação Antártica Comandante Ferraz

Related Posts