Lenda da Fórmula 1, Niki Lauda também fundou três companhias aéreas

Uma das maiores personalidades do automobilismo mundial, o “austríaco voador” foi um grande empresário na aviação comercial com as empresas Lauda Air, Niki e Laudamotion
Niki Lauda iniciou sua carreira de empresário na aviação comercial em 1979 (Divulgação)
Niki Lauda iniciou sua carreira de empresário na aviação comercial em 1979 

Uma das maiores personalidades da Fórmula 1, o tricampeão Niki Lauda morreu nesta segunda-feira (20) deixando uma fascinante história de superação e um enorme legado no automobilismo. Além de um exímio piloto, o “austríaco voador” também foi um grande empresário na aviação comercial, onde marcou seu nome com três companhias aéreas.

A trajetória de Niki Lauda na aviação começou em 1979, quando anunciou sua primeira aposentadoria da Fórmula 1 após duas temporadas frustadas pela equipe Brabham. Foi naquele ano que o piloto, então bicampeão da categoria (pela Ferrari em 1974 e 1977), fundou seu primeiro empreendimento no setor, a companhia aérea Lauda Air.

O início das atividades da empresa, no entanto, aconteceu somente 1985. Nesse meio tempo, o austríaco ainda teve tempo de retornar à F1 e conquistar seu terceiro título na categoria, em 1984 pela McLaren. No ano seguinte, Lauda encerrou definitivamente sua carreira como piloto.

A primeira atividade da Lauda Air foram voos charter e táxi-aéreo. As viagens eram realizadas com jatos BAC One Eleven. Em 1987, a companhia recebeu permissão para operar voos comerciais e três anos depois obteve a licença para voos internacionais.

Com as permissões para operar na aviação comercial, a Lauda Air montou uma variada frota de aeronaves. Viagens de curta e média distância eram realizadas com jatos Boeing 737, Airbus A320 ou com turbo-hélices Fokker F-27. Em voos de longo curso a empresa utilizava os modelos Boeing 767 e 777.

Boeing 777-200 com as cores da Lauda Air; jato voava da Áustria até a Austrália (Montague Smithy)

A empresa de Niki Lauda criou uma importante malha de voos pela Europa a partir da Áustria, com destinos em importantes aeroportos de Portugal, Espanha, Itália, França, Inglaterra e até na Islândia, país que serviu de base de conexão para voos internacionais com destinos nos Estados Unidos.

A Lauda Air também foi a primeira companhia aérea da Áustria a operar voos de longa distância. Em 1989, a empresa lançou o voo de Viena para Sydney e Melbourne, na Austrália, com conexão e parada de reabastecimento em Bangkok, na Tailândia, ou Bali, na Indonésia. A companhia também operou em Hong Kong, Malásia,Vietnã, Dubai e Cuba.

No ano 2000, a companhia do tricampeão da F1 foi adquirida pela Austrian Airlines, que passou a operá-la como uma subsidiária. Em 2005, toda a operação e identidade visual da Lauda Air na aviação comercial foi transferida para o controle da Austrian. Com essa mudança, a marca criada por Niki Lauda ficou restrita apenas nas aeronaves destinadas a operações de voos fretados.

Os voos charter da Lauda Air foram encerrados em 2012 e as aeronaves foram incorporadas pela Austrian Airlines, que hoje faz parte do grupo Lufthansa.

O Fokker F-27 foi um dos primeiros aviões da Lauda Air (Divulgação)
O Fokker F-27 foi um dos primeiros aviões da Lauda Air (Divulgação)

Niki

Enquanto se desfazia de sua primeira companhia aérea, Lauda não perdeu tempo e logo iniciou o processo para criar uma nova empresa no setor, a Niki. O segundo empreendimento do austríaco na aviação começou em 2003, quando adquiriu o controle da companhia Aero Lloyd Austria e assumiu suas operações com a nova marca.

A Niki voou com jatos Embraer E190, apelidados de "Samba" e "Lambada" (scott wright)
A Niki voou com jatos Embraer E190, apelidados de “Samba” e “Lambada” (Scott Wright)

A Niki operava rotas domésticas pela Áustria e voos internacionais na Europa e norte da África. Outra importante atividade da companhia eram voos charter.

Em 2004, a Niki formou uma parceria com a companhia alemã AirBerlin. O acordo entre as empresas contemplava compartilhamento de voos, canais de vendas e até aeronaves. A colaboração também rendeu à companhia de Niki Lauda um posto na aliança Oneworld, permitindo combinar seus voos com os de empresas do mundo todo.

Uma das curiosidades da Niki era a tradição de sempre batizar suas aeronaves com nomes de ritmos musicais, como os jatos A320 “HipHop” e o A321 “Heavy Metal”. A empresa de Niki Lauda também voou com jatos da Embraer entre 2009 e 2015. Os aviões, modelos E190, foram batizados de “Samba” e “Lambada”.

Avião da Niki Air usado pela Air Berlin (Ken Fielding)

O ex-piloto de F1 deixou a Niki em 2011, quando o controle da companhia foi totalmente transferido à AirBerlin. A partir do ano seguinte, as aeronaves começaram a ser customizadas com um novo padrão de pintura, mantendo a antiga marca somente no nariz dos aviões.

Laudamotion

A última investida de Niki Lauda na aviação foi a companhia low-cost Laudamotion. Em 2018, o austríaco assumiu a Amira Air e renomeou a empresa. Além disso, o ex-piloto de F1 adquiriu parte do espólio da AirBerlin, que decretou falência em 2017, e retomou parte da frota de aeronaves que voavam com a Niki.

A Laudamotion, hoje chamada apenas de Lauda, é um subsidiária da Ryanair (Reprodução/Stefan Hartl)

O controle da Laudamotion, porém, ficou pouco tempo nas mãos de Niki Lauda. Em março de 2018, a Ryanair, da Irlanda, iniciou um processo de aquisição da companhia e no início deste ano adquiriu o controle total da empresa, que hoje opera como uma subsidiária do grupo irlandês.

Embora a Ryanair opere somente aeronaves da Boeing, a frota da Laudamotion é composta exclusivamente por jatos da Airbus. Em um anúncio recente, a empresa declarou que pretende comprar até 100 jatos A321 para expandir suas atividades. Em março deste ano, a companhia mudou de nome e passou a ser chamada somente de Lauda.

Veja mais: Boeing “797” pode ter cabine de comando para apenas um piloto

 

Total
0
Shares
Previous Post

Airbus atinge a marca de 12 mil aviões entregues em 45 anos

Next Post

Capital estrangeiro nas companhias aéreas brasileiras agora só depende do Senado

Related Posts