Parada desde 2018, Piaggio Aerospace consegue financiamento para retomar atividades

Fabricante italiana entrou em concordata no final de 2018 e iniciou um processo de reestruturação
(Tibboh – Wikimedia Commons)
Principal produto da Piaggio, o exótico P.180 Avanti é um turboélice com desempenho de jato: alcança 745 km/h (Tibboh – Wikimedia Commons)

A Piaggio Aerospace, que entrou em concordata no final de 2018, conseguiu angariar € 30 milhões (cerca de R$ 196,2 milhões) de um fundo de investimentos da Itália, abrindo caminho para a fabricante italiana retomar totalmente suas operações e continuar o esforço para atrair um novo comprador. O principal produto da empresa é o exótico turboélice executivo P.180 Avanti.

“O acordo, alcançado ao final de um processo que envolveu inicialmente outras instituições financeiras públicas e privadas, agora permitirá que a Piaggio Aero Industries e a Piaggio Aviation – as duas empresas do grupo Piaggio Aerospace – estejam plenamente operacionais”, disse Vincenzo Nicastro, o comissário que administra a dívida da Piaggio. “O processo de venda (das divisões da Piaggio) também pode ser concluído”, acrescentou.

O fundo Mubadala injetou 225 milhões de euros na empresa, mas não foi o suficiente para reerguê-la. Endividada, a Piaggio declarou insolvência em 2018 e iniciou um processo de reestruturação.

Desempenho de jato, custo de turboélice

O Avanti é fabricado desde 1986; Piaggio já entregou mais de 200 aviões (Philipofpoland – Wikimedia Commons)

Desde 1986, a Piaggio produziu mais de 200 unidades do P.180 Avanti, projeto que utiliza motores na configuração “pusher”, ou seja, instalados com as hélices na parte traseira do motor. O aparelho também utiliza canards, mas mantém os profundores na cauda em T. Sua aerodinâmica aprimorada tornou sua fuselagem bastante característica, sobretudo pela asa à meia altura.

Modelo com maior desempenho, o Avanti EVO pode voar a 745 km/h e tem alcance de 3.278 km. Segundo o fabricante italiana, o P.180 oferece um desempenho semelhante ao de um jato executivo, mas com um custo operacional 40% mais baixo. O avião bimotor também é oferecido em versões militares especializadas em patrulha marítima.

Veja mais: Quais aeronaves faltam nas forças armadas do Brasil?

 

 

Total
22
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Álvaro Tunis Soares
11 meses atrás

Adicionar na lista de e-mails. Obrigado

Previous Post

Boeing recebe pedidos por jatos MAX, mas chama o avião de “737-8”

Next Post

Nova estação radar da FAB em Corumbá (MS) vai ajudar a coibir o narcotráfico

Related Posts