A Leonardo é controladora da AgustaWestland, uma das maiores fabricantes de helicópteros do mundo (Anna Zvereva)

A prefeitura Maricá (RJ), por meio da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar), e o grupo industrial italiano Leonardo assinam nesta quarta-feira (12) um acordo para a criação da joint venture Leonardo&Codemar, voltada para projetos nas áreas de aviação e segurança.

Segundo os termos do acordo, estão previstos investimentos e a implantação de uma base da Leonardo no município fluminense. A nova companhia tem 49% de participação da Codemar e o grupo italiano detém os 51% restantes.

“Estamos entusiasmados com o novo desenvolvimento da presença de Leonardo no Brasil, mostrando como um diálogo aberto e justo entre organizações tão diferentes pode moldar oportunidades mútuas inexploradas e promissoras”, disse Alessandro Profumo, CEO da Leonardo. Ele acrescentou: “A nova joint venture se concentrará no fornecimento de sistemas e serviços para segurança, resiliência e proteção de populações e territórios e provará como o espaço, as tecnologias cibernéticas e digitais, aeronáuticas e não tripuladas podem contribuir para o desenvolvimento”.

A joint venture também quer atuar na área de capacitação e atualização de pilotos de aviões e helicópteros em simuladores de voo, além da formação de mão-de-obra para manutenção de aeronaves.

A Leonardo&Codemar é resultado de um acordo firmado em julho de 2019, em Roma, no qual a empresa italiana e a Codemar estabeleceram os princípios para a nova companhia, que terá uma base no Aeroporto de Maricá.

Em comunicado divulgado no ano passado, a Leonardo declarou ter escolhido Maricá “devido ao alto potencial de desenvolvimento econômico apresentado pela prefeitura”. A cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro recebe um grande retorno pelos royalties da exploração do petróleo e gás na região.

Numa evolução dos negócios, a joint venture pode implantar uma linha industrial dos produtos da empresa italiana oferecidos no Brasil e na América Latina. Ex-Finmeccanica, a Leonardo é a controladora da AgustaWestland, uma das maiores fabricantes de helicópteros do mundo.

Veja mais: Argentina avalia reativar Boeing 757 de transporte presidencial