China prepara primeiro jato comercial de grande porte

Projeto ‘Comac C929’ terá capacidade para 300 passageiros e alcance de voo intercontinental
O widebody proposto pela CRAIC já foi chamado de C929 (COMAC)
O widebody proposto pela CRAIC já foi chamado de C929 (COMAC)

O "jatão" chinês COMAC C929 deve chegar ao mercado em meados de 2020 (COMAC)

O “jatão” chinês COMAC C929 deve chegar ao mercado em meados de 2020 (COMAC)

Após anos literalmente copiando aviões de empresas ocidentais e construindo outras em parceria com fabricantes da União Soviética e depois da Rússia, a China enfim está pronta para voar com as próprias asas. Segundo o jornal chinês People’s Daily, a Commercial Aircraft Corporation of China (Comac), uma das maiores empresas aeronáuticas estatais do país, está preparada para realizar a apresentação do jato de passageiros C929.

Considerado o “Boeing 777 chinês”, o C929 é uma aeronave de grande porte projetada para voos de longa distância, a primeira desse tipo desenvolvida na China. De acordo com o noticiário chinês, o ‘roll-out’ da aeronave, a tradicional cerimônia de apresentação do primeiro protótipo, está marcado para novembro. Já os primeiros voos estão programados para o final de 2016 ou início de 2017.

A Comac, a exemplo da maioria das outras empresas estatais da China, até o momento divulgou poucas informações sobre as capacidades do C929. Sabe-se que é um jato ‘widebody’ com capacidade para 300 passageiros e alcance de 9.500 km. A previsão é de que o aparelho possa voar a velocidades acima dos 900 km/h e  decolar com  peso máximo de 220.000 kg.

A fabricante chinesa está desenvolvendo os motores do C929 em parceria com a empresa franco-americana CFM International. Já outros componentes da aeronave tem a participação de especialistas da Ulyushin, tradicional fabricante de aeronaves civis e militares da Rússia.

Ainda com uma série de testes para cumprir até ser homologado e receber autorização para voar, o “jatão” chinês deverá chegar ao mercado somente em meados de 2020. Mas antes do C929 vem seus irmãos menores…

Invasão dos jatos chineses

O interesse da China por aviões comerciais de alta performance tem um motivo muito claro: a frota de aviões atualmente em uso no mercado chinês vai precisar triplicar nos próximos 20 anos para acompanhar o crescimento da demanda. Serão necessários quase 20 mil aeronaves para acompanhar o aumento do movimento, período que deve movimentar cerca de US$ 780 bilhões para a compra de novos aparelhos. E os chineses querem sua parte.

O jato regional ARJ21 deve estrear em rotas comerciais em 2018 (COMAC)
O jato regional ARJ21 deve estrear em rotas comerciais em 2018 (COMAC)

O projeto C929 é apenas uma das aeronaves comerciais que a Comac está preparando. O primeiro deles será o ARJ21 ‘Xiangfeng’, um jato para operações regionais com até 105 assentos. Esse aparelho já está na fase final de desenvolvimento e as primeiras entregas, das mais de 320 confirmadas, estão programadas para 2016.

O jato C919 será o concorrente chinês do Boeing 737 (COMAC)
O jato C919 será o concorrente chinês do Boeing 737 (COMAC)

Outro avião que ainda está nas pranchetas, mas por pouco tempo, é o C919, um jato médio de porte e desempenho comparável ao da dupla Boeing 737 e Airbus A320, os modelos mais tradicionais desse segmento. Os primeiros testes de voo também estão programados para 2016 e seu lançamento deve acontecer na próxima década.

Veja mais: Embraer revela primeiros detalhes dos E-Jets 2

Total
1
Shares
Previous Post
Planadores são registrados no Brasil no segmento de aviação experimental (João Mantovani)

Airway TV: Voando de planador

Next Post
Os jatos que pousam em Congonhas contam com avançados sistemas de navegação e controle (Marcelo F. De Biasi)

SP concentra 25% da aviação comercial brasileira

Related Posts
Total
1
Share