Primeiro satélite militar brasileiro começa a ser testado

Equipamento de comunicação avançado tem lançamento programado para o final de 2016
O satélite de defesa do Brasil será posicionado a 360 km da Terra (FAB)
O satélite SGDC-1 está posicionado a 360 km da Terra (FAB)
O satélite de defesa do Brasil será posicionado a 360 km da Terra (FAB)
O satélite de defesa do Brasil será posicionado a 360 km da Terra (FAB)

No último dia 14, foram iniciados os testes no primeiro satélite brasileiro de defesa e comunicação, anunciou nessa segunda-feira (22) a Visiona Tecnologia Espacial, responsável por coordenar o sistema SGDC (Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas).

O SGDC está sendo construído pela Thales Alenia Space, em Cannes, na França, onde foi realizada a junção entre a plataforma do satélite e o módulo de comunicação (carga útil), marcando assim o início da campanha de integração e testes.

“O programa continua avançando conforme o planejado e em linha para o lançamento em 2016. Nos próximos meses, o satélite passará por uma bateria de testes que simularão o ambiente de lançamento e espacial, além de testes funcionais”, conta Eduardo Bonini, presidente da Visiona.

Com o sistema SGDC, o Brasil pretende não só conquistar a soberania em comunicações estratégicas civis e militares, como ampliar o acesso à banda larga de internet para todo o território nacional.

O lançamento do satélite está programado para o final de 2016, mas deve entrar em operação somente em janeiro de 2017, após uma série de testes em órbita. O SGDC será posicionado a 36.000 km de distância em relação a superfície da Terra.

Satélite brasileiro

A “Visiona Tecnologia Espacial”, responsável pela construção do SGDC na França, é uma joint-venture entre Embraer (51%) e Telebras (49%). A empresa nacional foi criada para conduzir o processo de viabilização e participação do processo de absorção de tecnologia estrangeira.

Essa é a primeira imagem do SGDC com todas as suas grandes partes unidas (Visiona)
Essa é a primeira imagem do SGDC com todas as suas grandes partes unidas (Visiona)

Ao todo, 49 especialistas brasileiros já fizeram cursos e participaram de processos de construção e pesquisa do satélite com os profissionais da Thales Alenia Space. O projeto, que tem chancela dos ministérios da Defesa, das Comunicações e da Ciência e Tecnologia, tem o objetivo de trazer ao Brasil o conhecimento necessário para a construção de satélites e seus sistemas embarcados. O SGDC começou a ser construído em janeiro de 2014.

O satélite tem propósitos civis e militares. Quando entrar em operação, o equipamento será utilizado em meios de comunicação de alta velocidade. Para os militares, servirá para estabelecer pontos de comunicação avançada com banda larga via satélite em regiões remotas do País. O projeto também está aberto para propostas comerciais.

Veja mais: Aviões da Gol terão internet via satélite

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
antonio carlos
antonio carlos
5 anos atrás

grande coisa. não vai verna para as unidades militares terem terem equipamento para usar o sinal do satélite importado. O atual lançado no governo sarney, brasilsat, tem canal de banda x e nem usam direito. No padrão otan é uso em todos os níveis .

Sergio Mazzi
5 anos atrás

Se o satélite é geoestacionário, deverá ficar posicionado a 36.000 km, e não 360 km como indica o texto.

Roberto
Roberto
5 anos atrás

Na verdade o projetista e construtor do satélite é a Thales. A Visiona vai supervisionar e gerenciar a operação.

Previous Post
Bayraktar TB2, o primeiro drone de guerra da Turquia (reprodução/Youtube)

Turquia testa com sucesso seu primeiro drone armado

Next Post
O raio-x dos aeroportos colore os objetos na mala de acordo com sua densidade: azul não é bom... (Simulscan)

Como o raio-x dos aeroportos enxergam por dentro das malas

Related Posts