Republic Airways confirma pedido por 100 jatos Embraer E175

Contrato ainda inclui opções de compra para mais 100 jatos E175 adicionais com opções de conversão para o novo E175-E2; negociação pode alcançar até US$ 9,38 bilhões
(Embraer)
Embraer E175: sob medida para os EUA (Embraer)
(Embraer)
A Republic Airways é o maior operador de E-Jets no mundo, com quase 190 aeronaves na frota (Embraer)

A Embraer está passando por uma semana bastante agitada. Depois de anunciar a entrega do E-Jet número 1.500 e confirmar pedidos firmes das companhias Air Kiribati e Azul pelos novos jatos E190-E2 e E195-E2, a fabricante desta vez assinou um contrato com a Republic Airways, dos Estados Unidos, que encomendou 100 exemplares do E175.

O acordo com a companhia norte-americana havia sido divulgado inicialmente no Farnborough Airshow, em julho, como uma “Carta de Intenção”. A encomenda firme tem valor de US$ 4,69 bilhões, nos atuais preços de lista, e será incluído na carteira de pedidos firmes (backlog) da Embraer do quarto trimestre de 2018. As entregas começarão em 2020.

Além do novo pedido firme, o contrato com a Republic Airways também inclui direitos de compra para 100 jatos E175 adicionais, com opções de conversão para o E175-E2, elevando o potencial da encomenda para até 200 E-Jets. Se todos os direitos de compra forem exercidos pela companhia, o valor da negociação pode chegar a US$ 9,38 bilhões.

“Esta encomenda representa um avanço significativo em nossa longa parceria com a Embraer, além de posicionar a Republic para competir pelas mais de 300 aeronaves regionais que esperamos que estejam em licitação nos próximos cinco anos, uma vez que os acordos de voos existentes expiram com nossos parceiros globais de código compartilhado”, disse Bryan Bedford, Presidente e CEO da Republic.

A Republic Airways é o maior operador de E-Jets do mundo, com uma frota composta por 188 aeronaves, entre modelos E170 e E175. Esses aviões, porém, voam com as cores de outras companhias, no caso a Delta Connection, United Express e American Eagle. A empresa americana é cliente da Embraer desde 1999, quando uma de suas ex-subsidiárias, a Chautauqua Airlines, recebeu seu primeiro ERJ 145 com a pintura da US Airways.

Com este novo contrato, a Embraer vendeu mais de 535 jatos E175 para companhias aéreas na América do Norte desde janeiro de 2013, sendo a responsável por mais de 80% de todos os pedidos neste segmento de jatos de 76 assentos.

Veja mais: Boeing e Embraer aguardam aprovação do governo brasileiro para formar parceria

Total
0
Shares
9 comments
  1. Pois é vejam o volume de vendas que a Embraer realizara até 2020 , e me dizem que sera vendida a Boing por miseros 4 bilhões de dolares isto é entreguismo puro de nossa maior empresa depois da Petrobras , alguém tem que tomar uma atitude e impedir esta negociação, como sempre foi os Estados Unidos matando nossa empresas como sempre aconteceu , FNM , Varig e muitas outras mais , Até quando vamos nos calar
    Vejam a Coreia hoje uma das maiores produtoras de carros , aviões sem interferencia americana onde estão nossos nacionalistas incorruptos que não veem isto !!
    Chega de entreguismo !! Pensei que Bolsanaro iria rever isto , mas vejo que é o lider do Entreguismo de nossas empresas ao Tio Sam !!!! Chega !! vamos bloquear esta operação

  2. E continuando voce não ve na midia também ninguem mostrando isto !! Que pais que não defende suas empresas e sua Luta !! se fosse no Japão ou na Coreia , cairiam todos !!
    Seremos sempre produtores de Soja e Minério barato morrendo de fome e a cada dia se tornando um Pais periferico !!

  3. Com certeza para darem a Embraer por esta misera, quantia devem ter recebido o dobro em proprina isto não ficara assim
    Lideres sem escrupulos e sem se preocuparem com o futuro de nosso pais
    E veja nao sou Comunista, nem Petista , sou apenas um Brasileiro Capitalista !!

  4. Não vamos nos calar vamos as redes sociais e formar um grupo para termos voz, e cobramos de militares , com patriotismos que também não se calem e saiam em busca de resposta , chega de nos lubridiarem !!

  5. Temos muitos Brasileiros com muito dinheiro, que se posicionem façam um POOL, ou um ou dois ou tres e comprem nossa Embraer !!
    E Vamos mostrar a estes entreguistas que a nossa empresa continuara livre e poderosa sendo orgulho do Brasil

  6. Desde que foi anunciado esse acordo entre a Embraer e a Boeing, comecei a procurar por assuntos sobre a produção da Embraer e cheguei a conclusão que, só no Brasil uma empresa que tem pedidos firme em mais de US$ 8.000.000.000,00 pode ser vendida pela metade desse valor, para continuar sobrevivendo. Preciso voltar para a universidade e descobrir como funciona essa lógica econômica.

  7. A Embraer recebera $4.2 bilhões para abrir mão de 80% de sua área comercial e que é muito difícil tomarem a decisão de distribuir todo esse dinheiro aos seus acionistas. Acredito que boa parte desse dinheiro sera investido nas áreas que ficarão 100% com a Embraer, defesa e aviação executiva. A área de eletrônica militar também é muito interessante. Com certeza a Embraer com o tempo devera diversificar seu portfólio de produtos (naval, eletrônica, misseis, helicópteros, etc) se aproximando mais do perfil de uma SAAB ou Leonardo. Isso tudo mantendo um pé firme na área de aviação comercial com a Joint venture. Lembre-se que de cada 1000 aviões da JV vendidos 200 seriam lucro da Embraer e isso a Boeing consegue fazer de olhos fechados. Algumas pessoas muito bem informadas sobre a negociação dizem que a divisão de lucros sera de 50% para cada lado mas isso eu não sei. Um jornal de Seattle recentemente disse que essa “Boeing Brasil” sera o terceiro maior centro de inovação, projeto, desenvolvimento e produção de aviões comerciais da Boeing no mundo depois de Seattle e North Charleston na Carolina do Norte. Ontem mesmo (20/12) o presidente da Embraer anunciou à todos seus funcionários que estão iniciando o projeto e desenvolvimento de uma aeronave turboélice completamente financiada pela Boeing. Oziris Silva já falou que sera um ótimo negocio para a Embraer e eu também acho.

  8. Eu não sei se alguns dos comentarios do site são de mal intencionados ou de mal informados ou de algum sindicalista chupa sangue
    Se vc ler com atenção o contrato Boeing – Embraer diz o seguinte

    A Boeing e Embraer criarão uma Terceira empresa – e a mesma Embraer pode vender se quiser esta empresa .

    Os negocios serão dividos – ninguem compra ninguem – o lucros são dividos – a Boeing ganha no mercado de pequenos e medios – a Embraer tem uma carteira de negocios extendidas mais empregos mais salarios
    se fosse no futebol isso seria um gol de letra .
    Entenderam

Comments are closed.

Previous Post

A “tragédia” do aeroporto com uma única pista

Next Post
(Boeing)

Boeing recebe encomenda histórica de aeronaves na África

Related Posts