Rússia apresentará inédito caça no dia 20 de julho

Aeronave é cotada para ser um jato supersônico leve monomotor equivalente ao Lockheed Martin F-35. Revelação ocorrerá no primeiro dia do show aéreo MAKS 2021, em Moscou
O trem de pouso do novo caça russo (UAC)

A Rostec e a UAC decidiram utilizar um expediente comum a produtos de consumo para criar expectativa sobre a primeira aparição de “uma aeronave militar fundalmente nova” no dia 20 de julho, data de abertura do show aéreo MAKS-2021, em Moscou.

As duas empresas que controlam os maiores nomes do setor aeroespacial russo lançaram mão de um vídeo de teaser bem produzido para anunciar o lançamento de um caça inédito que será equivalente ao Lockheed Martin F-35, diz a imprensa do país.

“A Rússia é um dos poucos países do mundo que possui tecnologias de ciclo completo para a produção de sistemas avançados de aeronaves, bem como um reconhecido criar de tendências em aeronaves de combate. Temos a convicção de que o novo produto desenvolvido por especialistas da UAC despertará genuíno interesse não só em nosso país, mas também em outras regiões do mundo, inclusive em nossos concorrentes no exterior”, afirmou um porta-voz da Rostec. 

A silhueta do jato parece sugerir uma cauda com estabilizadores duplos (UAC)

A empresa também afirma que o vídeo mostra elementos do novo avião assim como faz alusão “aos principais recursos e propriedades exclusivas do projeto”. Com apenas 35 segundos, a gravação mostra a silhueta do caça sobrevoando a água (em provável computação gráfica) além de parte do trem de pouso, mas nada muito mais claro do que isso.

Na página especial da UAC há uma contagem regressiva que terminará às 11 horas no horário do Brasil.

Caça monomotor

Pelo que se cogitou até pouco tempo atrás, o avião em questão é um caça monomotor leve, possivelmente menor que um MiG-29. Ele deverá contar com capacidade furtiva, mas acredita-se que seu principal objetivo é tornar-se uma aeronave de custo bastante acessível a fim de disputar encomendas no exterior.

Quanto à Rússia, não será surpresa se a determinação de operar apenas caças bimotores seja revista. Sem tantos recursos financeiros como no passado, a Força Aérea poderia utilizar o novo jato para substituir parte da frota mais antiga e assim reduzir custos de manutenção e atualização tecnológica.

Desde a dupla MiG-23/27, ainda nos tempos da União Soviética, que o país não produz um caça monomotor, daí se imagina o impacto da possível novidade.

Como não é sempre que vemos um novo caça russo ser revelado, a contagem regressiva será ansiosamente aguardada nos próximos dias.

O MiG-23 “Flogger”: um dos últimos projetos de caças monomotor da Rússia (USAF)

Total
30
Shares
Previous Post

United Airlines quer operar avião elétrico com 19 lugares a partir de 2026

Next Post

Delta vai reforçar frota com 36 jatos A350 e 737-900 usados

Related Posts