Veterano soviético para expedições polares: o Mi-8AMT pode transportar cerca de 20 passageiros (Rostec)

O conglomerado russo Rostec State Corporation apresentou nesta sexta-feira, 19 de junho, o primeiro helicóptero Mi-8AMT Artic para clientes civis. O novo aparelho projetado pela Mil é a versão comercial do modelo militar Mi-8AMTSh, uma aeronave adaptada para operar em regiões com temperaturas extremamente baixas.

Segundo o fabricante, o Mi-8AMT concluiu o programa de teste de voo e o procedimento de aceitação por uma comissão independente da Agência Federal de Transporte Aéreo (Rosaviatsiya), a agência reguladora de aviação da Rússia. O helicóptero “polar” é uma das diversas versões doclássico Mi-8, um projeto da Mil Moscow Helicopter, hoje uma das divisões da Russian Helicopters, controlada pelo grupo estatal Rostec.

O helicóptero militar adaptado para o frio Mi-8AMTSh é operado na Rússia desde 2009 (Vitaly V. Kuzmin – Commons Wikimedia)

“O novo helicóptero Mi-8AMT será procurado por muitas empresas e agências governamentais russas que implementam projetos e tarefas no Ártico. O primeiro helicóptero está pronto para iniciar a operação e estão em andamento negociações com vários potenciais clientes russos”, afirmou Andrey Boginsky, diretor geral da Russian Helicopters.

O Mi-8 Artic em versão civil traz basicamente as mesmas soluções do modelo militar. Isso inclui um sistema exclusivo de aquecimento de peças da transmissão, mangueiras de combustível e fluídos de teflon, resistente a temperaturas congelantes (em vez de mangueiras de borracha) e coberturas especiais que protegem o helicóptero do frio, alta umidade e vento forte, e ele pode ficar exposto ao ar livre, sem hangar, por longos períodos.

O helicóptero ainda vem equipado com dois tanques de combustível adicionais, o que permite voar por longas distâncias – até 1.400 km. A fabricante destaca que essa característica é importante para atender os distritos no norte da Rússia com baixa densidade populacional. Outro recurso instalado no Mi-8AMT Artic é um sistema de flutuação de emergência, um item de segurança essencial para sobrevoar as águas e icebergs de regiões polares.

A Rússia tem uma longa tradição na produção de helicópteros para regiões polares e exporta essa tecnologia; na imagem um Mi-17AMT da força aérea da Argentina (FAA)

“Este helicóptero é necessário para serviços médicos aéreos, manutenção de instalações do complexo de combustível e energia e para atender às necessidades de expedições polares. Também pode ajudar a organizar o transporte nas regiões do norte”, disse Leonid Belykh, diretor da unidade de aviação da Ulan-Ude Aviation, fabricante russa que produz o Mi-8AMT.

“Quando o helicóptero foi projetado, foi dada muita atenção para garantir que ele seja capaz de voar sobre o terreno do Ártico com poucas características, nas condições de noite polar, clima severo e perda de sinais de rádio e satélite. Para esse efeito, a aeronave está equipada com um complexo de navegação especial”, cita o comunicado da Rostec.

O sistema de navegação do helicóptero é composto por um radar com varredura horizontal e vertical de informações sobre o clima, um piloto automático digital e estações de rádio com uma ampla gama de frequências. De acordo com o fabricante, o Mi-8AMT ainda é capaz de pairar, voar uma rota planejada e pousar com comandos automáticos.

A fabricante não informou o valor do helicóptero. Um Mi-8 civil “básico”, usado por exemplo em voos para plataformas de petróleo (inclusive no Brasil), é avaliado em cerca de US$ 9 milhões (cerca de R$ 48,2 milhões). Com os equipamentos especiais para operar nas condições congelantes essa conta certamente deve subir bastante.

Veja mais: Voando para o Polo Norte