Startup mostra conceito de jato de passageiros sustentável

Projeto do SE200 promete o melhor dos mundos, com capacidade para 264 assentos e consumo de combustível 70% menor do que os modelos atuais
SE200 (SE Aeronautics)

Se o SE200 existisse hoje seria a salvação das companhias aéreas. O avião widebody, com capacidade para 264 passageiros, seria capaz de oferecer um custo operacional imbatível graças ao consumo de combustível 70% menor que os atuais aviões a jato, além de emitir 80% menos CO2 por assento-quilômetro, o sonho de qualquer ambientalista.

Mas não é só isso. A aeronave da SE Aeronautics também seria capaz de voar em distâncias de quase 17.000 km sem escalas além de realizar pousos e decolagens curtas (STOL).

O problema é que o SE200 é apenas uma ideia no papel, ou melhor, na tela dos computadores. A SE Aeronautics, uma startup dos EUA fundada em 2010, anunciou o projeto do inovador widebody sustentável nesta semana, cutucando Boeing, Airbus e cia.

“Os fabricantes de aeronaves têm usado o mesmo projeto de aeronave nos últimos 60 anos, com poucas exceções”, diz o comunicado da empresa sediada no estado do Alabama.

SE200 (SE Aeronautics)

“O design inovador é uma configuração mais eficiente e leve de três asas que melhora muito a sustentação, resultando em capacidades de decolagem e pouso curtas (STOL) e voos extremamente longos. A construção é toda feita em material composto, moldado em uma resistente e mais segura peça. Também incorporamos asas super finas e longas. Fizemos tudo que é possível”, afirmou sem modéstia Lloys Weaver, engenheiro chefe da SE Aeronautics,

O SE200 relembra pouco outros jatos comerciais desse porte como o Boeing 787. A aeronave utiliza dois turbofans, porém instalados na cauda, um no topo da fuselagem e outro como no clássico 727, com entradas de ar laterais.

O jato também exibe uma configuração heterodoxa com estabilizadores verticais duplos e asas triplas. As ilustrações da aeronave são apresentadas com variações nas pontas das asas, ora com winglets voltadas para baixo ou soluções mais tradicionais.

As inovações do SE 200 não ficam apenas na parte externa. A empresa diz ter desenvolvido um sistema de ventilação e suprimento de ar “once-through”, ou seja, sem recirculação como ocorre nas aeronaves atuais. Segundo seus projetistas, isso “reduzirá drasticamente o risco de exposição de outros passageiros infectados”.

SE200 (SE Aeronautics)

O desempenho excepcional da aeronave viabilizaria inclusive que ela voasse em rotas regionais por conta da operação em pistas curtas e o peso leve. “Esta aeronave será a solução mais prática, lucrativa e permanente em comparação com a tecnologia de aviões de passageiros de baixo desempenho atuais. Nossa eficiência de produção nos permitirá produzir aeronaves em muito menos tempo do que o método tradicional atual. Mas a cereja do bolo é realmente nossa capacidade de reduzir o consumo de combustível em 70%. Vamos revolucionar a indústria”, disse Tyler Mathews, CEO da SE Aeronautics.

Um dos segredos, segundo a startup, é a fuselagem construída em uma peça sólida moldada, que permitirá uma vida útil com o dobro do tempo das aeronaves atuais, reduzindo custos dramaticamente. Além disso, o combustível é transportado em compartimentos selados no topo da fuselagem, o que permite que a aeronave flutue num eventual pouso de emergência na água.

Os executivos da SE Aeronautics só não explicaram ainda como farão para transformar o SE200 em realidade…

Total
7
Shares
Previous Post

Nova imagem revela o design frontal do Embraer “Brasilhão”

Next Post

Embraer enxerga “enorme potencial” na China apesar do avanço da COMAC

Related Posts