Super Tucano para a Holanda? Embraer coloca o turboélice A-29 entre suas ‘iniciativas em curso’ no país

Empresa brasileira assinou acordo com associação de indústria de defesa e segurança holandesas para estabelecer uma estrutura conjunta para “explorar oportunidades futuras”. País deve assinar contrato de aquisição de cinco aviões táticos C-390 Millennium em breve
A-29N: nova versão do Super Tucano é projetada para operações conjuntas entre países membros da OTAN (Embraer)

A Embraer assinou um Memorando de Entendimento (MoU) com a associação de indústrias de defesa e segurança da Holanda (NIDV) nesta quinta-feira (30) durante a 34ª Exposição para Defesa e Segurança (NEDS 2023).

Pelo acordo, a empresa brasileira e o grupo de empresas associadas unirão esforços para explorar oportunidades futuras, entre eles serviços e desenvolvimento de novas capacidades para aeronaves já existentes.

Como era esperado, a Embraer pretende incluir empresa holandesas na cadeia de suprimentos do avião de transporte tático C-390 Millennium.

A Real Força Aérea da Holanda selecionou a aeronave brasileira em junho de 2022 e pretende assinar contrato para receber cinco jatos que substituirão seus antigos C-130 Hercules.

Representantes da Embraer e NIDV assinam o Memorando de Entendinento na Holanda (Embraer)

No entanto, a despeito do anúncio há cerca de 18 meses, até o momento o governo holandês e a Embraer ainda não revelaram quando o acordo será selado.

A Embraer tinha previsto que isso ocorreria ainda em 2023, mas recentemente o CEO da empresa, Francisco Gomes Neto, afirmou ao Airway que espera concluir o processo em 2024.

A-29 Super Tucano em vista?

O comunicado divulgado pela Embraer também chama a atenção por incluir o avião de treinamento e ataque leve A-29 Super Tucano como uma “das iniciativas já em curso” na Holanda.

A assinatura do MoU é um elemento-chave no relacionamento estratégico desenvolvido entre a Embraer e a Holanda e inclui iniciativas já em curso, associadas ao C-390 Millennium e ao A-29 Super Tucano”, disse a companhia.

Os PC-7 holandeses estão em serviço desde 1988 e devem ser aposentados até 2027 (RNAF)

A Real Força Aérea da Holanda anunciou em dezembro de 2020 que iria substituir seus 13 treinadores Pilatus PC-7 recebidos a partir de 1988. As aeronaves passaram por um programa de atualização e devem permanecer em serviço até 2027.

Siga o AIRWAY nas redes: Facebook | LinkedIn | Youtube | Instagram | Twitter

Embora o Super Tucano seja um turboélice maior e mais complexo que o PC-7, tanto ele quanto os rivais PC-21 e T-6 Texan (versão dos EUA do Pilatus) poderiam estar entre os principais candidatos.

A Embraer lançou em 2023 o A-29N, um variante do Super Tucano sob medida para os países da OTAN. Em maio, o CEO da Embraer Defesa e Segurança, Bosco Costa Juniou, colocou a Holanda, junto de Portugal, como possíveis clientes da aeronave.

O executivo chefe pretendia anunciar o cliente lançador do Super Tucano da OTAN ainda neste ano.

Total
0
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post

Airbus irá preparar 15 caças Eurofighter Typhoon para guerra eletrônica

Next Post

Força Aérea da Grécia volta a se encontrar com Embraer para falar do C-390 Millennium

Related Posts
Total
0
Share